<img height="1" width="1" alt="" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=408815549258573&amp;ev=PixelInitialized">

    6 dicas de planejamento financeiro familiar para recém-casados

    Posted by Rodobens on Setembro 2016

    x dicas de planejamento financeiro familiar para recemcasados.jpg

    Para ter uma vida financeira segura e equilibrada, investir em planejamento familiar é simplesmente essencial. E a verdade é que casais que ainda estão apenas começando sua vida a 2 devem ter cuidado redobrado nesse quesito, transformando o planejamento financeiro em um grande aliado. Afinal de contas, com o uso dessa ferramenta é possível não só definir objetivos de vida como traçar metas para efetivamente atingi-los.

    Entre as principais iniciativas que não podem ficar de fora do planejamento estão se manter dentro do orçamento familiar, estipular como será a divisão de gastos, ter atenção às despesas supérfluas e contar com uma reserva de emergência para imprevistos. Quer entender melhor cada um desses pontos? Então confira agora mesmo nossas dicas de planejamento financeiro familiar para recém-casados!

    Monte um orçamento financeiro familiar

    O primeiro passo para montar um planejamento financeiro familiar é criar um orçamento para o casal. Para isso, é importante registrar todas as receitas e despesas de ambos. Não deixe nem mesmo valores considerados pequenos de fora, uma vez que, somados, eles podem fazer toda a diferença no orçamento geral do fim do mês.

    E atenção: além de anotar valores de entradas e saídas, é essencial categorizá-los. Assim fica mais fácil definir em que áreas do orçamento é preciso cortar gastos e onde existe potencial de economia. Para isso, você pode criar uma planilha de Excel ou usar um dos diversos gerenciadores financeiros disponíveis no mercado. Depois de terminar o orçamento, é fundamental avaliar se as receitas superaram as despesas, ainda prevendo a reserva de uma quantia para investimentos.

    Controle receitas e despesas do casal

    Na prática, porém, para alcançar uma vida financeira tranquila e saudável, não basta criar um orçamento financeiro familiar. É preciso manter receitas e despesas sob controle. Isso significa estipular metas de gastos para cada categoria do orçamento — como alimentação, moradiasupermercado e lazer, por exemplo.

    Além do mais, certifique-se de que vocês estão conseguindo se manter dentro da meta durante o mês. Se os gastos em uma categoria ultrapassarem o limite, tente compensar em outra área para não ficar sem dinheiro no final do mês.

    Defina como será a divisão de gastos

    Sem o máximo de transparência e bastante conversa, o dinheiro pode acabar se transformando em um problema no início da vida a 2 do casal. Para não correr esse risco, é importante sentar com seu parceiro para definir desde o início como será a divisão de gastos da casa.

    Nesse sentido, há casais que criam uma conta corrente conjunta para os gastos familiares e investimentos em comum, mantendo contas separadas para gastos pessoais. Também há, por outro lado, quem prefira dividir, despesa por despesa, o que cada um paga por mês. Assim, enquanto um fica responsável pelas contas da casa, outro cuida do aluguel e do condomínio, por exemplo. Independentemente do modelo adotado, é importante manter a clareza em relação aos gastos e não deixar de conversar com o parceiro caso tenha algum problema.

    Estipule objetivos em comum

    Uma etapa extremamente importante na criação de um planejamento financeiro familiar é a definição de objetivos de vida do casal. Desde o início, o ideal é alinhar sonhos e metas para que, assim, seja possível poupar a quantia necessária para realizar os sonhos de ambos.

    Definam os objetivos de curto, médio e longo prazos, estipulando o limite de tempo em que gostariam de realizá-los e quanto deve ser economizado por mês para alcançar esse sonho. Dentre os objetivos possíveis estão comprar um imóvel próprio, fazer uma grande viagem de férias ou reformar o apartamento em que moram, por exemplo. Vale ter em mente que, para realizar esses objetivos, alguns sacrifícios terão que ser feitos. Que tal já começar a abrir mão de gastos supérfluos?

    Crie uma reserva para emergências

    Não tem jeito: imprevistos acontecem a todo o momento. E com a finanças também é assim. É o encanamento que precisa ser reparado, o carro que tem que ir para o conserto, uma doença inesperada que exige gastos com remédios e internação e assim por diante. Para lidar com essas emergências sem ter que recorrer a empréstimos com juros altíssimos, é preciso criar um fundo de reserva.

    O ideal é, aos poucos, conseguir poupar um montante equivalente a no mínimo 3 meses de despesas mensais do casal. Essa quantia deve ser aplicada a um investimento com alta liquidez — como a poupança ou algumas aplicações de renda fixa. Afinal de contas, vocês podem ter que sacar essa reserva a qualquer momento!

    Corte as despesas mais supérfluas

    Um planejamento financeiro familiar de sucesso não tem espaço para gastos supérfluos. Assim, a fim de conseguir manter as finanças do casal em dia, é essencial controlar as despesas e, se necessário, reduzir aqueles gastos que não são estritamente necessários. Só dessa forma será possível realizar os objetivos de vida do casal.

    Analise o orçamento financeiro familiar mês a mês, identificando onde é possível gastar menos. Comece com despesas relacionadas ao estilo de vida, aquelas voltadas a lazer, cuidados pessoais,bares, restaurantes e viagens, por exemplo. E não precisa se preocupar, porque para manter as despesas sob controle, não é preciso cortar de vez o lazer da rotina, mas sim substituir atividades mais caras, como jantar fora todo final de semana, por opções mais em conta, como preparar uma pizza em casa. Defina o quanto antes que é prioridade para o casal e o que pode ser negociado.

    Como você pôde ver, criar e manter um planejamento financeiro familiar é um passo importantíssimo para começar a vida a 2 com o pé direito. Aposte na transparência e no diálogo, faça os sacrifícios necessários, controle os gastos, defina objetivos e escolha as melhores aplicações financeiras para investir. Depois de tudo isso, pode ter certeza que valerá a pena.

    E então, pronto para encarar essa empreitada? Qual dessas etapas pareceu ser mais difícil? Comente aqui e divida suas impressões, seus medos e suas experiências conosco! Se gostou deste conteúdo, aproveite para assinar a nossa newsletter e ter acesso em primeira mão a outros posts sobre o assunto!

    Nova chamada à ação

    Consórcio, investimento seguro e programado para aquisição de bens e serviços.

    • Sem Juros
    • Diversos planos e créditos
    • Sem Taxa de Inscrição
    Simular
    Consórcio!
    New Call-to-action

    Newsletter

    Categorias

    todos
    guia de compra do seu primeiro imovel