<img height="1" width="1" alt="" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=408815549258573&amp;ev=PixelInitialized">

    Como economizar para fazer pós-graduação e subir na carreira?

    Posted by Rodobens on Maio 2017

    Por mais que entrar em uma faculdade seja uma grande conquista, é apenas o início da sua jornada profissional. É em uma instituição superior que você entra em contato com a área que deseja atuar para, em breve, entrar de vez no mercado de trabalho. Mas a verdade é que você já deve, a partir daí, começar a pensar nos próximos passos da sua carreira. De que maneira você pode melhorar suas perspectivas profissionais? Simples: melhorando sua qualificação. E o próximo passo nessa trajetória é fazer pós-graduação!

    Você tem muita vontade de dar continuidade aos estudos e alavancar o currículo, mas tem medo de desequilibrar suas finanças investindo nesse tipo de curso? Então chegou ao post certo. Hoje vamos mostrar como poupar dinheiro desde já para dar conta dessa despesa. Ficou interessado? Continue lendo!

    Mantenha um controle rígido sobre seus gastos

    Um controle rígido das finanças é essencial para garantir que suas contas não fiquem no vermelho durante a pós. Afinal, é preciso lidar com mensalidade, transporte, alimentação e, em alguns casos, até moradia. Por isso é tão importante que você faça um diagnóstico completo das suas contas, anotando cada gasto realizado ao dia e separando as despesas por categorias — como estudos, transporte e lazer. Assim é possível visualizar exatamente para onde seu dinheiro vai todos os meses e, com isso, identificar quais despesas precisam ser diminuídas para conseguir guardar uma quantia razoável a fim de garantir seu futuro.

    Se você já está pensando na pós desde a graduação, tem que conhecer algumas dicas de economia que podem ser colocadas em prática desde agora! Você pode apostar em transporte compartilhado, como caronas solidárias entre os colegas. Além do mais, evite se alimentar diariamente em lanchonetes ou restaurantes próximos à faculdade, já que comida na rua sai bem mais caro que comida caseira. Vale também incentivar o compartilhamento de materiais didáticos entre veteranos e calouros, reduzindo os custos com a compra de livros ou apostilas.

    Economize no pagamento das mensalidades

    Não restam dúvidas de que uma das despesas mais pesadas tanto para estudantes da graduação como para profissionais da pós é a própria mensalidade que deve ser paga à instituição de ensino. E essa quantia depende de muitos fatores, desde, claro, a instituição escolhida até a área do curso. Para tentar economizar aí, você deve, antes de mais nada, pesquisar bastante. Foque na melhor relação entre custo e benefício, garantindo uma mensalidade justa.

    Você também pode procurar por bolsas de estudos, sejam elas integrais ou parciais, para ao menos diminuir o peso das mensalidades na sua conta. Lembre-se de que esse tipo de benefício normalmente só está disponível para alunos com frequência e notas exemplares ou para alguns perfis específicos de estudantes, como os comprovadamente de baixa renda. Portanto, levar a sério os estudos não vai apenas ajudá-lo a ser um profissional melhor, mas também pode dar uma mãozinha na economia de dinheiro na pós-graduação!

    Procure fazer seu dinheiro render

    Conseguir controlar direitinho suas despesas e, de preferência, até mesmo obter um benefício para agilizar o abatimento das mensalidades é apenas o começo da caminhada para quem está se planejando para fazer pós-graduação. O ideal mesmo é fazer com que essas vitórias se traduzam em capacidade de separar uma parte da sua renda para assegurar um dinheiro de reserva.

    Nesse momento, é importante frisar que guardar dinheiro é bom sim, mas fazer esse dinheiro render até que você efetivamente entre na pós e precise usá-lo é melhor ainda! Com isso em mente, avalie a possibilidade de fazer investimentos. Se não se sentir seguro o suficiente para ousar, você pode muito bem começar com uma simples caderneta de poupança. Com o tempo, conhecendo mais sobre esse universo, certamente fará movimentos mais ambiciosos — sem sair da zona de segurança, claro.

    Existem atualmente várias opções no mercado para quem deseja começar investindo com pouco. Os títulos do Tesouro Direto, por exemplo, são considerados bastante acessíveis e podem render até 100% em um período relativamente curto, entre 4 e 5 anos. Também é possível entrar em fundos de investimento e, assim, contar com a experiência de profissionais já inseridos no mercado para ajudar a fazer sua poupança render com segurança.

    Considere entrar para um consórcio

    Poupar dinheiro de forma espontânea pode ser um desafio e tanto para qualquer pessoa, mas atinge especialmente quem tem dificuldade de fazer um planejamento financeiro a longo prazo. Nesses casos, fica muito mais fácil poupar se você assume um compromisso externo. E aí é que entra o consórcio, que funciona basicamente como uma poupança conjunta, com várias pessoas contribuindo com o objetivo de adquirir determinado bem (como um carro ou um imóvel) ou usufruir de um serviço. É possível, portanto, fazer um consórcio para quitar a sua pós-graduação!

    Nesse sistema, o consorciado não precisa lidar com os diversos possíveis contratempos de um financiamento ou de um empréstimo convencional, que começam com a necessidade de se pagar uma entrada, desdobrando-se em exorbitantes juros mensais que pesam (e muito) no valor total do investimento.

    Além disso, o consórcio pode ser contrato com diferentes prazos de pagamento, fazendo com que o valor total seja diluído em parcelas mais extensas. Dessa forma, contribuindo com só um pouquinho a cada mês, você poderá planejar a obtenção da sua carta de crédito, documento que garante a aquisição do bem ou a contratação do serviço.

    Também vale lembrar que um consorciado é contemplado a cada mês, o que aumenta suas possibilidades de conseguir a carta enquanto ainda paga as prestações do consórcio. E o melhor: caso você consiga a colocação em uma pós-graduação gratuita, como em um mestrado em instituição pública, pode usar a carta de crédito para outro fim ou recuperar o investimento em dinheiro. Nesse segundo caso, para receber o valor investido integralmente, é preciso esperar que o período do consórcio acabe e o tempo de carência passe.

    E aí, gostou das nossas dicas para economizar até conseguir fazer pós-graduação? Que tal ajudar amigos também interessados no assunto compartilhando este post em suas redes sociais?

     

    Consórcio, investimento seguro e programado para aquisição de bens e serviços.

    • Sem Juros
    • Diversos planos e créditos
    • Sem Taxa de Inscrição
    Simular
    Consórcio!
    New Call-to-action

    Newsletter

    Categorias

    todos
    Como funciona o consórcio de imóveis