<img height="1" width="1" alt="" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=408815549258573&amp;ev=PixelInitialized">

    Como juntar dinheiro para fazer consórcio de carro

    Posted by Rodobens on Janeiro 2017

    como-juntar-dinheiro-para-fazer-consorcio-de-carro.jpg

    O consórcio de carro é uma excelente opção para as pessoas que desejam pagar parcelas mais baratas e não arcar com as elevadas taxas de juros cobradas no financiamento dos veículos. Para quem está se planejando com sabedoria e não precisa da aquisição a curto prazo, essa é uma maneira excelente de conseguir o carro desejado, gastando menos e com muito mais controle sobre as finanças.

    Pensando nisso, decidimos oferecer dicas de como juntar dinheiro para fazer um consórcio de carro. Quer saber mais? Então confira!

    Saiba ao certo quanto você ganha

    O primeiro passo para juntar dinheiro e fazer um consórcio de carro é simples: saber ao certo quanto você ganha. Afinal, não dá para sequer pensar em fazer um planejamento financeiro sem ter pleno conhecimento de quanto entra na sua conta. Para isso, pegue seu contracheque (e o do seu cônjuge, se for o caso) e analise seu salário líquido.

    Desconte imediatamente aqueles gastos fixos, como plano de saúde, aluguel, prestações, juros de empréstimos, escola das crianças e outras contas corriqueiras. O resultado final é realmente o capital que você pode administrar melhor e usar para pagar as parcelas do seu futuro autofinanciamento.

    Faça um registro com todas as suas despesas

    Não importa o meio mais confortável para você. Pode ser um bloco de notas e caneta ou um software de planilhas, o importante é registrar suas despesas a analisá-las friamente. Isso ajuda a entender quais são seus maiores gastos e fazer um controle sobre suas dívidas, caso haja alguma.

    Através do registro financeiro, você pode se planejar para que os gastos caibam dentro do seu orçamento, ainda incluindo uma determinada margem para poupar uma quantia mensal — dentro das suas possibilidades, claro. E isso nos leva a nosso próximo tópico!

    Converse com sua família

    Agora que você já sabe ao certo quanto ganha e tem um registro básico de suas despesas, é o momento de ter uma conversa aberta com sua família. Seu cônjuge provavelmente já está ciente de que você deseja fazer o consórcio de carro, certamente tendo se prontificado a ajudar como puder, mas o ideal é que os outros membros também façam parte dessa equação.

    Informe seus planos para seus filhos ou qualquer outra pessoa que resida com você, como pais e irmãos. Explique que será fundamental contar com o auxílio de todos para economizar e juntar dinheiro. No final das contas, quando o automóvel chegar, todos acabarão se beneficiando, de um jeito ou de outro.

    Elimine os gastos supérfluos e o desperdício

    Com todos devidamente informados, é hora de eliminar os gastos supérfluos. Lembre-se de que um dos maiores inimigos de um bom orçamento doméstico é exatamente a despesa oculta, aquela que você gasta sem nem perceber.

    Comece pelo básico: diminua as contas de energia e água. Que tal trocar suas lâmpadas incandescentes por fluorescentes ou de LED? Elas são mais modernas, duram mais e gastam menos. Banhos demasiadamente longos e o uso de quantidades elevadas de água para a limpeza dos ambientes também devem ser evitados. Fique de olho em infiltrações e vazamentos, grandes causadores do desperdício hídrico nas cidades. 

    Elimine também o que você não usa: paga mensalidade na academia de ginástica ou em um clube esportivo, mas não frequenta? Corte! Seu pacote de TV a cabo também pode ser revisto, afinal, alguém da casa assiste a todos aqueles canais? Você pode simplesmente optar por um plano mais básico e adequado às demandas da família. É possível que ninguém sequer note a diferença, sabia?

    Renegocie suas dívidas

    O fato de você estar endividado não quer dizer, necessariamente, que você não possa aderir a um bom consórcio de carro. O importante é que você, antes de mais nada, renegocie esses débitos para tentar conseguir abatimentos ou até mesmo melhores condições para quitá-los.

    O cartão de crédito, por exemplo, aplica juros absurdos no Brasil, taxa que pode destruir completamente seu planejamento econômico. O cheque especial também não é dos mais baratos e acaba com as reservas de qualquer um.

    Tenha em mente que seus credores estão mais que interessados em receber para não engrossarem seus números de inadimplência. Use isso a seu favor, pedindo descontos ou prazos mais estendidos. Se for o caso, peça a ajuda de parentes ou amigos. É melhor ir pagando pessoas da sua confiança que manter dívidas com instituições financeiras.

    Evite comprar por impulso

    As compras planejadas são armas poderosas para a disciplina financeira. Afinal, é comum que os preços e as condições não sejam os mais favoráveis quando você cede a impulsos e faz uma compra sem planejamento ou pesquisa prévia. Além disso, ao resistir conseguimos reavaliar a necessidade de certos mimos e presentes que, a longo prazo, não acrescentam muito às nossas vidas.

    Portanto, antes de comprar, procure planejar com cuidado, pesquise preços, busque descontos e se limite a comprar somente o que for necessário. Pode acreditar: adotar uma postura consciente nesse sentido pode transformar sua vida financeira!

    Procure pagar à vista e com dinheiro

    Evite compras no cartão de crédito, pois esse recurso às vezes passa a sensação de que tudo está bem, quando na verdade o orçamento já estourou faz tempo. Caso isso não seja possível, faça o controle do que está sendo comprado e garanta que você será capaz de pagar a fatura integralmente.

    O cartão de débito também é uma comodidade, mas pode ser perigoso se não houver um controle sobre o que está sendo gasto. O cheque especial merece menção especial: toda vez que você lança mão desse recurso, paga taxas de juros e tarifas exorbitantes. Fuja ao máximo desse artifício. Sempre que possível, compre com dinheiro. Dói mais quando ele sai do bolso, mas possibilita um maior controle sobre os gastos.

    Opte por fazer as refeições em casa

    Em alguns casos, as refeições que são feitas fora de casa podem representar gastos maiores do que as compras com supermercado no final do mês. Portanto, deixe para fazer suas refeições fora de casa apenas em ocasiões especiais. Faça refeições caseiras no dia a dia!

    E esse hábito tem um benefício duplo: é sabido que, ao fazer muitas refeições fora de casa, a qualidade nutricional das refeições tende a diminuir drasticamente. Com acesso fácil a guloseimas, frituras e outras besteiras, é apenas natural que nossos pratos sejam menos saudáveis. Assim, levar refeições balanceadas de casa ainda o ajuda a entrar em forma!

    Use e abuse da tecnologia

    Acredite: por menos moderno que você seja no seu dia a dia, a tecnologia pode ser uma grande aliada para organizar suas finanças, evitar gastos supérfluos e deixar seu planejamento financeiro muito mais efetivo. Os aplicativos do gênero são bem fáceis de usar e você pode fazer o download de alguns dos melhores do mercado em seu celular, sem pagar nada por isso.

    Se antigamente você precisava se valer de papéis e planilhas para controlar contas, despesas, pagamentos ou qualquer dado que influenciasse nas economias, agora você pode fazer tudo isso em um só local: na palma da mão. A grande praticidade está no fato de esses programas centralizarem os dados e permitirem atualização em tempo real. Assim você visualiza tudo sem dificuldades e fica muito mais organizado.

    Esses aplicativos normalmente têm interfaces amigáveis e intuitivas, que facilitam bastante o aprendizado das funcionalidades. Depois de pegar o jeito (o que não vai levar muito tempo), você poderá comprovar que essa é a maneira mais inteligente e simples de ver tudo o que você precisa para não ficar no vermelho.

    Fuja dos erros considerados fatais

    Por fim, você precisa evitar alguns erros que minam a administração financeira de qualquer pessoa. Afinal, de nada adianta seguir os passos citados até aqui se você marca bobeira e acaba fazendo algo que destruirá seus esforços em pouco tempo.

    Nesse sentido, uma das falhas mais comuns é subestimar os pequenos gastos. Por isso, mesmo que sejam valores aparentemente irrisórios, jamais os ignore. Afinal, quando somados no final do mês, podem acabar se revelando bem significativos. Outra tentação muito presente na vida dos brasileiros é a deixar tudo para depois. Não se engane: se você deseja investir em um consórcio de carro, não deixe para começar no mês que vem ou sequer na próxima semana. Inicie seus bons hábitos agora, mantendo em mente que pequenos sacrifícios podem resultar em uma grande felicidade no futuro.

    Economizar ou poupar dinheiro para muita gente parece ser uma tarefa impossível. No entanto, se você repensa seus gastos e tem disciplina, verá que é possível economizar boas quantias. É por meio dessa economia que você terá a oportunidade de adquirir seu veículo mais rapidamente, pagando menos do que em um financiamento. Entenda aqui como funciona um consórcio!

    O que achou das nossas dicas de hoje? Como você faz para economizar dinheiro no dia a dia? Não deixe de compartilhar suas opiniões conosco! E se quer receber mais conteúdos como este diretamente na sua caixa de entrada, assine já a nossa newsletter!

    Nova chamada à ação

    Consórcio, investimento seguro e programado para aquisição de bens e serviços.

    • Sem Juros
    • Diversos planos e créditos
    • Sem Taxa de Inscrição
    Simular
    Consórcio!
    New Call-to-action

    Newsletter

    Categorias

    todos
    Como funciona o consórcio de imóveis