<img height="1" width="1" alt="" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=408815549258573&amp;ev=PixelInitialized">

    Conheça 8 dicas para comprar o segundo carro

    Posted by Rodobens on Agosto 2016

    conheca-x-dicas-para-comprar-o-segundo-carro.jpg

    A compra de um carro sempre demanda uma atenção especial, já que se trata de um bem de valor considerável, que inclui vários aspectos de ordem extremamente técnica e que deve atender a uma série de pré-requisitos condizentes com a finalidade de uso que terá. E quando falamos da compra de um segundo carro, essa atenção também deve incluir outros fatores, normalmente associados a alguma utilidade complementar que o veículo deve oferecer. Para descomplicar essa missão, listamos no post de hoje algumas dicas bastante úteis para quem quer comprar o segundo carro. É o seu caso? Então confira!

    1) Pense na finalidade do segundo carro

    A primeira questão a ser considerada diz respeito ao tipo de uso que será dado ao segundo carro. Afinal, pode ser que ele não precise repetir as características do primeiro. Aliás, é até bom que o segundo veículo sirva para complementar suas necessidades de transporte ou as demandas da família.

    Assim, se seu carro atual é um sedã, talvez investir em um SUV, por exemplo, seja interessante, considerando a maior capacidade de carga e o conforto que o modelo oferece. Dessa forma, enquanto você continuará usando o sedã no dia a dia, o SUV pode servir para as viagens ou para fazer compras. Por outro lado, se você já tem um carro de grande porte, um veículo pequeno pode se mostrar a melhor alternativa para o uso na cidade, bem como um esportivo pode dar mais charme a seus passeios no fim de semana.

    De qualquer forma, é preciso pensar bem sobre quais serão os usos mais apropriados para o novo carro, sempre levando em conta que o veículo que você já possui é capaz de atender a uma série de necessidades.

    2) Avalie a forma de pagamento

    Como muito recomendam os economistas, o ideal em qualquer compra é fazer o pagamento à vista para ter poder de barganha e não contrair grandes dívidas. Mas a verdade é que são poucas as pessoas que têm essa condição, especialmente com um valor tão alto.

    Nesse caso, uma das opções será recorrer ao financiamento, que pode ser contratado diretamente com o banco ou por intermédio da loja de veículos. Se optar pelo crédito, procure acumular o máximo possível para dar de entrada, considerando que, quanto maior for o sinal, menor será o custo com juros. Aliás, é essencial que você preste muita atenção ao que pagará de juros, viu? Diante da análise desse custo você pode chegar à conclusão de que é melhor esperar um pouco e poupar o dinheiro para pagar a compra do segundo carro à vista.

    Mas ainda há uma outra possibilidade que, em qualquer situação, funciona como uma alternativa bastante atraente: o consórcio. Sabia que com essa forma de poupança programada você fica livre do pagamento de juros? Assim, quitando prestação a prestação, você eventualmente conseguirá a carta de crédito para comprar o segundo carro — seja ele novo ou usado.

    3) Defina se quer um veículo novo ou um usado

    Ninguém duvida que o carro novo oferece uma série de vantagens sobre o usado. Primeiramente, há o prazer de adquirir um veículo que nunca foi de ninguém. Além disso, há também a questão do desgaste que o usado apresenta e das garantias de fábrica do novo. Mas existem veículos usados de altíssima qualidade, que definitivamente merecem ser considerados e que podem suprir muito bem suas necessidades por um segundo carro. Sem contar que ainda vale levar em consideração que o novo apresenta uma desvalorização em torno de 15% assim que sai da concessionária, o que pode influenciar bastante a escolha por um usado.

    4) Contrate um seguro

    Não é porque você está adquirindo um segundo carro que você deve abrir mão do seguro, ok? Mesmo que esse veículo só seja usado em situações eventuais, lembre-se de que os roubos podem acontecer a todo momento, da mesma forma que os acidentes não escolhem hora nem local para ocorrer.

    5) Analise a idoneidade do vendedor

    A idoneidade do vendedor é uma garantia de que você tem boas chances de comprar um veículo de qualidade, mesmo que usado. Assim, caso algum problema ocorra, você terá alguém de confiança a quem recorrer. Pode parecer insignificante, mas esse é um aspecto muito importante. Afinal, mesmo sendo um segundo carro, que provavelmente não será usado para atender suas necessidades rotineiras de transporte, é fundamental que você tenha absoluta certeza de que o veículo que está comprando é de qualidade ou que será atendido da maneira devida se tiver alguma questão a resolver.

    6) Pesquise bastante

    Lembre-se de que o carro de uso diário você já tem e que o segundo veículo receberá uso alternativo ou complementar, o que significa que ele não precisa ser comprado com tanta urgência. Sendo assim, considere todas as opções que o mercado oferece e só feche negócio quando tiver a certeza de que está fazendo a escolha certa, de acordo com o que você realmente pretende e precisa. Compare preços e condições de pagamento sem deixar de considerar a relação entre custo e benefício. Às vezes vale pagar um pouco mais por um segundo carro, desde que ofereça algum conforto adicional, como ar-condicionado ou direção hidráulica. Itens de segurança também são muito importantes e não devem ser deixados de lado.

    7) Faça questão de conferir absolutamente tudo

    Seja novo ou usado, quando for receber o carro, não deixe de conferir todos os detalhes. Olhe a lataria, os pneus, os acessórios, os equipamentos e, claro, os itens de mecânica, conforto e segurança. Pense bem: a melhor ocasião para apresentar qualquer reclamação ao vendedor é exatamente nesse momento, o que pode evitar demandas futuras. Se detectar algo de errado, solicite o reparo, registrando o pedido em um documento assinado por você e pelo vendedor, certificando que ambos têm ciência da situação. É importante que essa inspeção seja feita na presença do vendedor, antes de tirar o carro da concessionária.

    8) Procure os defeitos ocultos

    Ao contrário daqueles defeitos aparentes, que você será capaz de identificar na inspeção sobre a qual acabamos de falar, há defeitos que só aparecem com o tempo, durante o uso do veículo. Problemas no motor, na suspensão, nos freios, na embreagem ou no sistema de direção, por exemplo, só ocorrem ou são observados após um tempo de uso contínuo do veículo. Como o segundo carro normalmente é menos usado que o primeiro, tais defeitos podem não aparecer imediatamente ou mesmo durante o tempo de garantia, impedindo assim que a responsabilidade sobre os reparos seja exigida do vendedor.

    Por isso, quando adquirir um segundo carro, não o coloque nessa função logo de imediato. Procure rodar com ele o máximo possível, inclusive substituindo seu carro de todos os dias. Rode nas ruas e em estradas, a fim de testá-lo em todas as condições de uso. Dessa maneira, você terá como exigir do veículo um funcionamento adequado, realista. Se algum problema acontecer, então, você terá como cobrar do vendedor o reparo necessário.

    E aí, tem alguma dica a mais para comprar o segundo carro de maneira segura? Ou ainda ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Comente aqui e compartilhe suas sugestões e seus questionamentos conosco!

    Nova chamada à ação

    Consórcio, investimento seguro e programado para aquisição de bens e serviços.

    • Sem Juros
    • Diversos planos e créditos
    • Sem Taxa de Inscrição
    Simular
    Consórcio!
    New Call-to-action

    Newsletter

    Categorias

    todos
    Como funciona o consórcio de imóveis