<img height="1" width="1" alt="" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=408815549258573&amp;ev=PixelInitialized">

    Consórcio de imóveis: um guia com 12 benefícios incríveis

    consorcio, consórcio de imóveis, investimento, imóveis, primeira-casa, consorcio-casa

    Consorcio de imoveis guia com 12 dicas incriveis.jpg

    Ter a casa própria é o sonho de milhares de brasileiros. Essa é a ideia de jovens recém-casados e de quem quer sair do aluguel, por exemplo, pensando em adquirir seu primeiro imóvel. Ter o seu lugar para viver, trabalhar e descansar é, realmente, uma das prioridades daqueles que se casaram ou saíram da casa dos pais.

    Viver de aluguel nem sempre é uma boa opção devido à instabilidade do negócio. E comprar imóveis à vista nem sempre é possível. Resta o financiamento, modalidade escolhida por diversas pessoas. No entanto, além do financiamento, existe uma opção que permite a aquisição de um imóvel de forma segura e sem a necessidade pagar juros altos: o consórcio. Confira a seguir 12 vantagens de fazer um consórcio de imóveis!

    Conseguir uma taxa administrativa inferior aos juros do financiamento

    A taxa administrativa corresponde ao valor cobrado pela empresa responsável para gerir o consórcio. Geralmente, ela costuma ser menor que as taxas de juros cobradas em financiamento. Dessa forma, o custo final de um imóvel, adquirido por meio do consórcio, será inferior ao de um imóvel financiado.

    Para comparar os valores, basta solicitar o custo final do consórcio e o CET (custo efetivo total) do financiamento.

    Não ter que dar um valor de entrada

    Ao contrário do financiamento, não há necessidade de dar um valor de entrada em um consórcio. Isso significa que a pessoa não precisa ter uma parte do valor de compra para participar do grupo. Seu compromisso será somente com as parcelas mensais.

    Ter menos burocracia para a aquisição

    O financiamento exige comprovação de renda mensal por meio de holerites/extratos bancários e a condição de estar sem restrições. O consórcio de imóveis, por sua vez, não é tão burocrático. Pessoas negativadas poderão, inclusive, participar, já que sua situação só será analisada no momento de receber sua carta de crédito. Um consorciado que esteja inscrito no SPC/Serasa/SCPC terá mais tempo para regularizar sua situação.

    Escolher o prazo e o parcelamento

    O prazo pode ser de até 15 anos (180 meses). Ou pode durar menos tempo, o que depende do plano escolhido (de 60 a 180 meses).

    Uma vantagem muito boa do consórcio é a flexibilidade no pagamento. É possível ao consorciado antecipar parcelas, adiantando a retirada do crédito. Isso favorece as pessoas que conseguem juntar um dinheiro a mais e podem aplicar no consórcio.

    Por outro lado, se o participante estiver se sentindo apertado, poderá repassar as cotas para outra pessoa.

    Ter sorteios frequentes

    sistema de consórcio caracteriza-se pela prática regular dos sorteios. Isso quer dizer que, embora seja, em regra, uma modalidade de compra em longo prazo, nada impede que o consorciado retire seu prêmio em pouco tempo.

    Ofertar lances

    Durante o andamento do grupo, o consorciado poderá oferecer o adiantamento das parcelas, o chamado lance. Com o lance aceito, ele recebe a carta de crédito sem precisar aguardar a contemplação por sorteio.

    Usar o FGTS

    É permitido, pela lei, o uso do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para ofertar um lance. Isso aumenta consideravelmente as chances do consorciado retirar seu imóvel antes do final do prazo. O FGTS pode ser utilizado para antecipar a contemplação (lance) ou também completar o valor do crédito e assim comprar um imóvel de maior valor.

    Optar por outro imóvel

    O consórcio permite também que, de posse de sua carta de crédito, a pessoa escolha outro imóvel para comprar. Poderá, inclusive, ter valor diferente:

    • se o preço for mais baixo, o participante poderá usar o restante do valor da carta de crédito para fazer a escritura do imóvel e resolver outros processos relacionados (ou até quitar parcelas do próprio consórcio);
    • caso o imóvel escolhido tenha um valor mais alto, o consorciado poderá completar a diferença.

    Em alguns casos, será possível adquirir até um imóvel usado. O importante é ler as regras do contrato para avaliar as possibilidades.

    Substituir o imóvel por dinheiro

    O participante que for contemplado e preferir não comprar o imóvel, poderá pegar o dinheiro equivalente ao crédito. O participante pode sacar o valor depois de:

    • 180 dias (enquanto o grupo estiver na ativa);
    • 60 dias (quando o grupo encerrar suas atividades).

    É importante sublinhar que essa regra de receber o dinheiro sem comprar o imóvel só vale para duas situações:

    • O consorciado quitar a cota — oferecer um lance de quitação, ou seja, não fica devendo mais nada para a administradora;
    • O grupo encerrar (último sorteio).

    Em caso de desistência

    Se o consorciado decide desistir da cota poderá receber parte do seu dinheiro investimento de volta. Os contratos determinam o reembolso para desistentes ou excluídos após o encerramento do grupo ou no caso de a pedra-chave ser sorteada na assembleia. Vale lembrar que pode haver descontos como multa e taxa de administração, que deverão estar descritos no contrato.

    Poupar

    Essa é uma das vantagens mais destacadas quando se fala em consórcio. O consórcio estimula o saudável hábito financeiro de poupar para o futuro. O participante tem o compromisso de depositar mensalmente uma quantia determinada, que será revertida para seu próprio bem. Ele terá que guardar uma parcela de sua renda para cumprir suas obrigações com o consórcio, sob o risco de ser penalizado caso não o faça. Dessa forma, ele estará se educando financeiramente e, provavelmente, saberá organizar melhor suas finanças.

    Usufruir de um investimento

    A médio ou longo prazos, sem taxas de juros, o consórcio vem conquistando progressivamente o mercado imobiliário. Veja alguns pontos positivos:

    • se o consorciado não utiliza a carta de crédito imediatamente, o valor fica em uma conta, acompanhando os juros da taxa Selic;
    • forma de investimento para aquisição ou formação de patrimônio;
    • baixa liquidez, o que estimula o ato de poupar e manter o investimento até o fim, aproveitando melhor as oportunidades que ele proporciona;
    • cartas de crédito são sempre corrigidas para conservar o poder de compra do participante;
    • investimento mais vantajoso que outros de renda fixa;
    • alugar o imóvel e pagar as parcelas restantes do consórcio com o aluguel.

    As correções monetárias funcionam como juros que atualizam o saldo dos valores pagos no ano anterior. Assim, mesmo incluindo todos os encargos pagos no consórcio de imóveis, ainda é possível receber mais do que pagar.

    Ainda não tem sua casa própria e deseja comprar um imóvel? Gostou da opção do consórcio de imóveis? Agora que você já sabe que o consórcio pode ser uma boa solução para a compra de imóveis, visite a loja online da Rodobens Consórcio para conhecer as ofertas disponíveis. Aproveite para fazer simulações que permitem calcular os valores de parcelas e prazos mais adequados às suas necessidade e capacidade de pagamento. Deixe seu comentário e enriqueça o post!

    cta_ebook_2.jpg