<img height="1" width="1" alt="" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=408815549258573&amp;ev=PixelInitialized">

    5 hábitos que podem atrapalhar o controle de gastos no dia a dia

    dicas, dicas-para-poupar, educacao-financeira, conquista-sonhos, dicas-para-investir

    Controlar de perto os gastos do dia a dia pode ser uma tarefa bem difícil. Por essas e outras é que muita gente até planeja, mas não tira do papel. Há também quem dê os primeiros passos nessa caminhada, mas logo deixe o planejamento de lado. O grande problema é que isso atrapalha os planos a longo prazo, uma vez que só com um bom controle de despesas é possível ter dinheiro extra para realizar sonhos.

    Pronto para mudar essa trajetória a partir de hoje? Então conheça, neste post, 5 hábitos que certamente atrapalham seu controle de gastos e, assim, boicotam suas economias!

    1. Não limitar o orçamento por período

    O primeiro ponto para não gastar todo o dinheiro que você tem (e, às vezes, até o que não tem) é limitar os gastos de cada período. Defina, por exemplo, um valor semanal máximo. Aí você pode separar esse dinheiro em 4 envelopes para o mês, usando um a cada semana. Pode acreditar: essa ação simples é bem efetiva! Quando você deixa todo o saldo livre na conta, acaba gastando todo o dinheiro antes de fechar o mês, entrando no vermelho.

    2. Não controlar seus gastos diariamente

    Um sorvete, um refrigerante, uma revista na banca de jornais: isso não pesa no orçamento, certo? Errado! Ao somar esses pequenos gastos, fica fácil perceber que, de grão em grão, o saco das despesas logo enche. Para simplificar, use uma planilha, um software ou um aplicativo para registrar todos os seus gastos, independentemente do valor. Assim você consegue acompanhar as despesas do dia a dia sem sofrimento, além de aprender a controlar os impulsos. No fim das contas, economiza pelo simples fato de acompanhar diariamente seus gastos!

    3. Não estabelecer metas

    Quanto você pretende economizar? Que valor quer guardar por mês? Essas perguntas mostram como é importante estabelecer metas de economia. Ao definir um objetivo, você não só se motiva a alcançá-lo como passa a saber se está no caminho certo ou não. Comece, por exemplo, pensando:

    • no total que quer economizar no mês;
    • no valor destinado a investimentos;
    • na eliminação de juros por atrasar o pagamento de contas.

    O segredo da escolha está em se basear na sua realidade, lembrando sempre que as metas podem ser de 3 tipos:

    • curto prazo, com o corte imediato de gastos — como restaurantes, combustível e assim por diante;
    • médio prazo, para compromissos mais longos — como parcelas no cartão de crédito ou de algum empréstimo;
    • longo prazo — como sair do aluguel para pagar a casa própria, por exemplo.

    4. Não tentar reduzir os gastos fixos

    Já pensou se uma das suas metas for reduzir o total pago com aluguel? Mas aí você pode pensar: é impossível, porque esse é um gasto fixo! Só que ele pode deixar de ser, não é? Se você paga um valor muito alto com esse ou outros gastos mais estáveis, uma boa pedida é buscar alternativas mais econômicas. Aqui podem estar contempladas reduções de aluguel, internet, assinatura de jornais e revistas, telefone e TV a cabo. Revise periodicamente esses pagamentos e busque reduzir aqueles que usa menos!

    5. Não ser prudente com o crédito

    É importante analisar suas opções, descobrindo como e quando usar o crédito de forma saudável. Que tal não recorrer imediatamente ao cartão de crédito ao efetuar uma compra? Antes, veja se tem desconto à vista! Assim você economiza e ainda evita acumular uma nova parcela. E tenha muita atenção ao valor que virá na fatura, para não comprometer seu orçamento, ok?

    Também tenha cautela antes de adquirir qualquer tipo de empréstimo. Se for comprar uma casa ou um carro, por exemplo, faça uma pesquisa detalhada entre bancos e compare com a aquisição de um consórcio, já que a diferença de taxas e do valor das parcelas pode ser gigante.

    Nada de encarar aquele valor disponível na sua conta como um saldo extra para usar durante o mês! Os juros do cheque especial são altíssimos e calculados de acordo com os dias de uso desse recurso. Então só lance mão dessa alternativa em emergências curtas, de no máximo 2 ou 3 dias — como cobrir um cheque logo antes de o salário entrar.

    Esses hábitos são importantes para que você consiga economizar e aprenda a usar seu dinheiro de forma mais consciente. É fato: os benefícios logo aparecerão. Então comece desde já a fazer seu controle de gastos e conquistar seus sonhos! E pode contar com a Rodobens nessa jornada! Siga nossos perfis no Facebook, YouTube, Google+, Twitter, LinkedIn e Instagram para acompanhar mais dicas!