<img height="1" width="1" alt="" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=408815549258573&amp;ev=PixelInitialized">

    7 dicas práticas para preservar a pintura automotiva

    dicas, cuidados-veiculos, cuidados-automoveis, veiculos, cuidados-carro

    Você vai à concessionária, leva o carro para casa e a partir daí, nem estresses ou preocupações: passeia muito, economiza tempo no dia a dia e, à noite, até esquece que o deixou na garagem. Esse seria um bom conto de fadas, não é? A não ser pelo fato de que talvez o final não seja feliz: a manutenção do carro é exigente, e sempre devemos tê-la em mente.

    A pintura automotiva é uma das primeiras a sofrer os efeitos de uma manutenção displicente. E, depois dela, quem sofre é o valor de revenda. Podem aparecer manchas, variações na cor, desbotamentos e, em alguns casos, até o vilão das pinturas: os temidos riscos.

    Afinal, muitos fatores competem para acabar com a estética do carro: sol, chuva, plantas, animais — até poeira entra na lista!

    Preservar a pintura automotiva é algo engenhoso: ir para a sombra das árvores ou fugir das folhas e pombos? Encerar sempre ou não? São questões repletas de detalhes, que vamos esclarecer a seguir! Confira, a seguir, 7 dicas práticas e fique por dentro!

    1. Adquira hábitos para preservar a pintura automotiva

    Esta não é uma dica, mas sim um mandamento. Provavelmente você já ouviu isso — "é importante criar o hábito de cuidar bem" —, porém, é algo inevitável e necessário bater nessa tecla.

    Isso porque muitas das situações que podem danificar a pintura só são revertidas na hora; do contrário, o desleixo pode transformar uma bobagem na necessidade de realizar a pintura do automóvel.

    Uma dica para manter esse hábito é deixar um borrifador de água e um pano macio no carro. Assim que você bater o olho numa sujeirinha, seja um cocô de passarinho ou um acúmulo de poeira, você pega o borrifador, vai lá e limpa. Não sendo assim, a chance de esquecer é alta, e o acúmulo de sujeiras tende a danificar a pintura. 

    Além disso, se você viu uma folhinha, barro ou até mesmo água, limpe na mesma hora. Pode parecer neurose, mas é a melhor forma de evitar gastos por causa de bobagens.

    2. Lave o carro sempre

    Já viu em algum desenho ou série televisiva alguém obrigado a lavar o carro? Em geral, um adolescente é forçado a fazer isso pelo pai e, só para descontar, lava com muita má vontade.

    Então, na vida real, seria melhor que não lavasse! Lavar o carro requer cuidado: uso de xampu adequado, neutro, com pH baixo assim como os demais produtos especiais para carros.

    Além disso, existe a ideia de que quanto mais forte o jato de água, mais ele limpa. No que diz respeito à pintura, essa ideia engana: quanto mais forte, mais danificada ela fica!

    Então, fuja desses lava a jatos que abusam disso. O correto é baixa pressão, lavando de cima para baixo, evitando, assim, tanto pedras no jato como na esponja. E dê preferência para lavar na sombra.

    3. Fuja de muito sol

    O sol dá cor ao mundo, mas também tira. Se tiver dúvidas, é só olhar quão rápido as pinturas se desbotam ao ar livre. As pinturas automotivas, pelo menos, não sofrem mais tanto desse mal: filtros UVA e UVB a protegem da radiação solar.

    Nem por isso exagere na confiança: exposição prolongada afeta a pintura, ainda mais quando o carro não está limpo.

    Correr para qualquer sombra também é exagero. Com preços de estacionamento salgados, é tentadora a sombra gratuita das árvores; galhos, folhas e as famigeradas fezes de pássaros entram no lugar da tarifa. Escolha a sombra, desde que seja boa.

    4. Invista na cera

    Enceramento realmente protege a pintura. Ele cria uma película protetora que, inclusive, ajuda a bloquear os raios UVA e UVB da radiação solar. A cera pode ser sintética, produzida em laboratório, ou natural, feita a partir da Carnaúba, árvore originária do Norte do Brasil. Há partidários para os dois lados, que argumentam sobre qual das duas ceras é melhor.

    Em resumo, a natural costuma ser utilizada para o brilho, enquanto a sintética tem uma duração maior. O importante é investir em boas ceras, pois as de baixa qualidade duram pouco e protegem irregularmente a superfície do carro.

    5. Encere sem exageros

    Ainda falando sobre a proteção da pintura, o enceramento é necessário. Seja para a estética do veículo, na qual a cera valoriza a cor e realça o brilho; seja para proteção, diminuindo o dano causado por agentes em geral (como pequenos atritos ou fezes).

    Como nada em exagero é bom, é preciso ter cuidado para não pesar a mão no enceramento.

    Alguns processos de enceramento envolvem polimento. Em geral, uma politriz (máquina de polir) é usada, criando um abrasamento (pequeno desgaste) do verniz da tinta. Se isso for feito com muita frequência, camadas da tinta serão danificadas. Tenha moderação!

    6. Tenha cuidado com as capas

    Ser pai ou mãe coruja às vezes cobra seu preço: pelo excesso de preocupação, há proprietários exageram nas capas para o veículo. A princípio, pode ser algo bom, mas deve ser utilizado nas situações devidas, e não a qualquer tempo.

    O uso é recomendado para longos períodos de desuso do carro. Do contrário, a rotina repetida de pôr e tirar a capa tende a arranhar a pintura. Busque tecidos transpiráveis, como os de camisa de futebol, pois as capas abafadas retêm umidade, podendo causar bolhas. 

    7. Tenha cuidado ao viajar

    Viajar é ótimo! Quem não gosta de ir à praia, curtir uma cachoeira ou um friozinho de montanha às vezes? Nessas horas, um pouco de caos é inevitável, afinal estamos longe das mecânicas de confiança, assim como do conforto do lar.

    Por isso, é necessário redobrar os cuidados: maresia é um veneno para o carro, ainda mais para pintura e partes delicadas; lama também pode causar manchas, quando permanece no automóvel. Então, estando de volta, lave o carro para já!

    Como você viu, preservar a pintura automotiva não é mistério. Tomando o cuidado certo em cada situação, sem exageros, a chance é que ninguém perceba a idade da pintura; nem mesmo compradores ou lojistas, em caso de revenda!

    Que tal compartilhar essas dicas nas redes sociais? Ajude seus amigos e também a família, para que todos saibam, ainda mais, como cuidar da pintura automotiva!