<img height="1" width="1" alt="" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=408815549258573&amp;ev=PixelInitialized">

    Freio a disco x freio ABS: entenda qual é a diferença

    cuidados-veiculos, cuidados-automoveis, veiculos, cuidados-carro

    Vai comprar um carro novo? Quer trocar o seu atual? Está de olho em revendas e trocas? Então você já deve estar sentindo a confusão de itens e alternativas do mercado: melhores e mais caros, mais econômicos e menos duráveis, barato, mas menos seguro… São muitas opções. A saída nesses casos é pesquisar a fundo para decidir corretamente.

    Quando o assunto são os componentes de segurança, a discussão é mais séria. Afinal, a segurança da família e dos passageiros não pode ser arriscada. Por isso, a escolha deve analisar cuidadosamente as particularidades dos itens para, então, concluir qual o melhor para cada contexto. Com os freios, a dúvida comum é freio ABS versus freio a disco.

    A princípio, ambos cumprem bem sua função, além de poderem se complementar — e a habilidade de quem está no volante é essencial. Conhecendo melhor esses componentes, veremos como cada um deles tem suas próprias qualidades. Estabilidade, interesse em revenda e segurança são fatores que vamos tratar.

    Quer saber mais? Confira no post os pontos principais!

    Tipos de freio: ABS, a disco e a tambor

    Para entender o funcionamento dos freios, é interessante comparar os tipos mais comuns encontrados no mercado. Embora alguns já possam ser considerados como normais ou até defasados, como o freio a tambor, é importante conhecê-los; mesmo porque a chance de encontrá-los é alta, porventura até mais de um no mesmo carro.

    Veremos que é comum os freios se apoiarem nos princípios da hidráulica; a principal constatação desse campo, aplicada à frenagem, é que líquidos são quase impossíveis de se comprimir. Quando se pisa o pedal de freio, um líquido hidráulico sofrerá uma pressão que, por sua vez, é transmitida ao sistema de freios. Assim o carro freia.

    Freios a tambor

    Inventados em 1902, pelo francês Louis Renault, são a modernizações de outras versões de freio a tambor. Neste freio, pistões hidráulicos (peças cilíndricas que se expandem) são acionados pelo pedal de freio, expandindo-se com a transmissão do fluido e empurrando sapatas (placas de fricção) contra o tambor (lateral da roda).

    É comum encontrar o freio a tambor nas rodas traseiras de veículos, principalmente os populares de passeio. Além de ter alta capacidade de frenagem, o freio a tambor costuma ser mais barato e vir acompanhado de sistema de estacionamento. Porém, sua manutenção é mais cara e ele é menos seguro, pois pode acumular água e sujeira.

    Freios a disco

    Apesar de já pesquisado desde o começo do século XX, sua produção em massa e uso popular começou na década de 1950 com a Citroën. Bastante similar ao freio a tambor, o freio a disco consiste em um disco preso à roda, sobre o qual ficam montadas pinças com as sapatas. Quando o pedal é acionado, a pinça se fecha pressionando o disco.

    Assim como o freio a tambor, esse freio é mecânico - o pedal de freio empurra o fluido. Porém, no a disco, o sistema é aberto (o disco de freio é exposto). Isso impede seu aquecimento, responsável pelo fading (perda da frenagem). Ser aberto também faz com que se seque mais rápido e acumule menos sujeira, o que torna o freio a disco mais seguro.

    Freios ABS

    Sigla de Antilock Bracking System (Sistema de Freio Antitravamento), é um sistema com conceito simples: sensores em cada roda controlam sua rotação. Quando no seu limite de rotação, os pneus podem não parar mesmo com a pressão máxima de frenagem: assim a roda trava. O ABS calcula qual a pressão suportada e a fornece aos poucos.

    Com isso, a chance de se perder a direção do controle é muito menor. Além disso, o freio é feito aos poucos, com vários toques em vez de uma só pressão; por isso, ainda se consegue dirigir o carro enquanto se freia, mesmo em curvas. Em geral, a própria frenagem é melhor, percorrendo menor distância.

    Comparação entre os freios ABS, a disco e a tambor

    Cada freio tem sua função. Freios a tambor, por exemplo, são ainda muito utilizados nas rodas traseiras, nos veículos pesados e ainda em máquinas como gruas. Isso se deve às suas particularidades, como a força de frenagem (torque). Porém, para a maioria dos carros de passeio, é considerado mais seguro o freio a disco com a tecnologia ABS.

    Quanto mais se consegue garantir uma frenagem estável e controlável, mais seguro é o veículo. Freios a disco com sistema ABS são, portanto, os mais seguros.

    Tipos de freio ABS

    Apesar de existirem vários tipos de freio ABS, seu conceito principal é o mesmo: sensores de rotação, válvulas (liberam a pressão da frenagem), unidade controladora (processa as informações dos sensores) e bomba (repõe a pressão).

    Listamos aqui os principais:

    • EAS: sigla de Eletronic Actuation System (algo como "Sistema Eletrônico de Atuador"), é um sistema auxiliar do freio ABS, controla a tração e a altura do veículo em relação ao solo;
    • EBD: Eletronic Brake Force Distribution ("Distribuição Eletrônica de Frenagem"), também é um auxiliar ao freio ABS; proporciona melhor distribuição das forças empregadas na frenagem. Também chamado de REF (Repartidor Eletrônico de Frenagem).
    • AFU: do francês Aide au Freinage d'Urgence ("Assistência a Frenagem de Emergência"), trabalha diminuindo o esforço necessário no pedal e sua trepidação. Como o ABS faz a frenagem aos poucos, pode ser necessário pisar fundo no pedal para frear; o AFU aumenta a pressão para a parada mais rápida. É conhecido também por BAS.

    Agora você já está por dentro quando o assunto é frenagem e segurança e pode avaliar qual carro oferece mais segurança para você e sua família. Como vimos, apesar das características técnicas, o freio ABS sai à frente no quesito segurança e controle. Bom saber então que, desde 2014, freios ABS e airbag são obrigatórios para carros fabricados no Brasil.

    Após avaliar os componentes e seu funcionamento com o que aprendeu, você já pode ir para a decisão entre as opções oferecidas pelo mercado. Que tal estudar então formas de financiar e comprar um carro novo? Leia esse post e fique mais perto de tornar realidade esse desejo!