<img height="1" width="1" alt="" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=408815549258573&amp;ev=PixelInitialized">

    O que é e como funciona um consórcio de carros

    Posted by Rodobens on Junho 2015

    Atualmente, o consórcio tem sido uma das alternativas mais viáveis para aqueles que querem realizar o sonho de comprar ou trocar de carro. Porém, ainda podem existir algumas dúvidas sobre como funciona um consórcio. Pensando nisso, resolvemos produzir este post para esclarecer alguns questionamentos mais comuns existentes sobre essa modalidade.

    De que forma consigo ser contemplado em um consórcio de um automóvel? E se eu atrasar alguma parcela? O administrador que eu escolhi é confiável? Se quer saber as respostas para essas e muitas outras perguntas, confira o que preparamos para você!

    Como funciona um consórcio?

    Autorizada a funcionar, a administradora começa a reunir grupos de pessoas interessadas em comprar um carro, por exemplo. É necessário atingir um número mínimo de consorciados para que o sorteio desse veículo se torne viável. Pelo menos um dos participantes ganhará, por meio de sorteio, uma carta de crédito no valor estabelecido em contrato. Além dos sorteios, existe também a possibilidade de conseguir a carta de crédito via lances — o que explicaremos melhor adiante. Cada consórcio pode durar entre 1 e 8 anos, dependendo do plano escolhido.

    Como participar de um consórcio?

    Para começar, procure uma administradora de consórcios, responsável pela venda das cotas para cada participante. Existe a possibilidade de entrar em um grupo no início ou quando os sorteios já estão em andamento.

    O boleto chega em sua casa todos os meses, podendo ser pago na rede bancária ou em caixas eletrônicos. Esse documento contém informações úteis, como a data dos sorteios e as pedras-chave contempladas por sorteio e lance. Muitas administradoras também oferecem a opção de débito automático das parcelas em conta bancária. Lembrando que as parcelas podem ser reajustadas, dependendo do aumento do valor do veículo pretendido.

    Por fim, vale ressaltar que todas as parcelas precisam ser pagas, mesmo após a contemplação, e que não existem juros incidindo sobre os valores, apenas uma taxa de administração a ser usada pelo próprio administrador na gestão do consórcio.

    Quando vou ter meu carro em mãos?

    Existem as formas de sorteio e de lance para que o participante seja contemplado, sendo realizado no mínimo um sorteio por mês. Caso você seja sorteado, leva a carta de crédito para adquirir o seu veículo. No lance, leva a carta o participante que conseguir antecipar mais parcelas. Seu lance foi menor? Não precisa se preocupar, porque o dinheiro não é perdido. Você terá a opção de antecipar parcelas ou ficar com o dinheiro para ser usado em um lance posterior, caso queira.

    Existe também a possibilidade do lance embutido. Nessa modalidade, o consorciado oferece uma porcentagem da sua carta de crédito e, caso seja contemplado, o valor que foi investido no lance é descontado. Dessa forma, sua carta de crédito será entregue com um valor menor que o acordado no início do contrato.

    E se atrasar ou não conseguir pagar as parcelas?

    Em meio à crise financeira ou diante de algum imprevisto, é possível que você não consiga quitar as parcelas do consórcio no tempo correto. Nesses casos, não há como escapar de multa e juros. Caso sejam muitas as mensalidades em aberto, você pode ser excluído do grupo. Se já tiver sido contemplado, a administradora pode pedir que o veículo seja apreendido. Para tentar não se prejudicar tanto com a situação, existem 3 opções. Veja a seguir!

    1. Vender sua cota para outro interessado, desde que essa possibilidade esteja prevista no momento da assinatura do contrato.

    2. Procurar outro item mais barato que a administradora esteja sorteando. Assim, com o valor da carta de crédito readequado, as parcelas também caem, ficando mais fácil encaixar as mensalidades do consórcio no orçamento.

    3. Pedir sua exclusão do grupo. Nesse caso extremo, será necessário que o consorciado pague uma multa. Todo o valor que foi investido durante o consórcio só poderá ser recuperado após a contemplação ou ao final do consórcio.

    Lembre-se de que também é possível buscar alternativas financeiras para quitar as dívidas em atraso e não deixar o sonho do carro próprio escapar. A venda de outros bens ou a tomada de empréstimos pessoais podem até ser cogitados, desde que você só tome uma decisão ao ter certeza de que vale mais a pena financeiramente continuar com a participação no consórcio.

    Como exatamente funciona a carta de crédito?

    A carta de crédito de um consórcio não é paga em dinheiro. Na verdade, o contemplado escolhe o carro na concessionária e avisa a administradora, que cuidará do processo para o pagamento. Você pode escolher a marca e o modelo, se for o caso, mas a carta de crédito não pode ser usada para comprar outro tipo de bem, como motos ou imóveis.

    Aqui é preciso fazer uma ressalva: mesmo que o pagamento não seja feito diretamente pelo contemplado, ele ainda pode negociar descontos com a concessionária de maneira direta. Ao fim da negociação, o consorciado deve repassar as informações para a administradora para que o valor correto seja quitado.

    Vale lembrar que, dependendo do ano, carros usados podem sim ser adquiridos. Nesse caso, se o veículo escolhido for mais barato que o valor de face da sua carta de crédito, você usa o valor que sobrar para quitar as parcelas restantes do seu consórcio. Também é possível efetuar esse procedimento na compra de carros mais novos, usando o valor sobressalente da carta de crédito para quitar serviços relacionados à compra do automóvel. Entre as transações aceitas estão o pagamento do IPVA e do seguro automotivo.

    Caso você decida comprar um carro mais caro do que sua carta de crédito cobre, também não há problema, desde que o modelo e o ano do veículo estejam dentro do portfólio da administradora do consórcio. Nesses casos, o valor restante da compra precisa ser pago pelo comprador.

    Com a contemplação, a administradora do consórcio libera a carta de crédito em um prazo que pode variar entre 48 e 72 horas. Mas atenção: esse documento tem uma validade! As cartas devem ser usadas até o fim do período do consórcio ou em até 6 meses depois da contemplação. Nesse meio-tempo, o valor da carta é colocado em uma poupança para gerar rendimentos.

    Por fim, lembre-se de que a liberação da carta de crédito acontece logo após a administradora realizar a avaliação do cadastro do consorciado, a fim de garantir que, durante o processo, não houve qualquer tipo de problema — como dívidas não quitadas, informações equivocadas (como uma mudança de endereço não relatada) e até mesmo fraudes.

    Que cuidados tomar antes de entrar em um consórcio?

    Como é um bem de alto valor, a compra de um carro demanda certos cuidados para não se transformar em dor de cabeça. O primeiro passo é fazer um rígido controle financeiro familiar, permitindo que entenda de maneira clara se está na hora de fazer esse investimento sem correr o risco de colocar as contas no vermelho. Tudo bem que, já que não possui juros, o consórcio é uma ótima maneira de controlar gastos futuros, mas a inadimplência nessa modalidade de pagamento também gera prejuízos ao devedor.

    Também não se esqueça de pesquisar bastante antes de escolher o modelo do carro para adquirir. É importante estar atento ao próprio valor do veículo e coletar informações confiáveis sobre o preço de seguro para esse tipo de bem, assim como procurar saber seu rendimento com gasolina ou álcool, os custos de manutenção envolvidos, além do valor de revenda do carro.

    Além de tudo isso, fique de olho aberto em relação às fraudes! Sabia que existem criminosos que anunciam a venda de cotas em consórcios ou mesmo de cartas de crédito com valores muito abaixo do que é prático no mercado? Com isso em mente, desconfie especialmente de ofertas vantajosas demais, só fechando uma transação se tiver garantias legais e um contrato bem feito.

    Por fim, não se esqueça de procurar uma administradora de consórcios de confiança. Afinal, é ela a responsável por cuidar do dinheiro investido e da liberação das cartas de crédito. Mas como esse é o assunto do nosso próximo tópico, continue com a leitura!

    Como saber se a administradora é de confiança?

    Você precisa verificar se existe uma autorização do Banco Central para aquela administradora. Esse é o principal requisito, já que a atividade no setor está sob a jurisdição desse órgão federal. Também procure se informar com clientes antigos ou atuais da administradora a respeito da confiabilidade e da qualidade do atendimento.

    Para garantir que essa pesquisa seja profunda o suficiente, procure por reclamações em órgãos de proteção do consumidor, como o PROCON, ou em sites e serviços especializados no assunto, como o Reclame Aqui. Além do mais, fique atento ao vencimento das parcelas e procure escolher um plano que caiba no seu orçamento. Tomando essas precauções, você vai logo perceber que o consórcio é realmente um ótimo meio para adquirir seu tão sonhado carro.

    Por fim, vale lembrar que os contratos de consórcio não preveem qualquer tipo de seguro automotivo. Portanto, o consórcio deve continuar sendo pago mesmo se o veículo sofrer alguma avaria ou for roubado, ok? Então não facilite: não saia da loja sem um seguro automotivo. E se ainda tem dúvidas a respeito do consórcio de veículos, entre em contato conosco!

     

    Consórcio, investimento seguro e programado para aquisição de bens e serviços.

    • Sem Juros
    • Diversos planos e créditos
    • Sem Taxa de Inscrição
    Simular
    Consórcio!
    New Call-to-action

    Newsletter

    Categorias

    todos
    Como funciona o consórcio de imóveis