<img height="1" width="1" alt="" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=408815549258573&amp;ev=PixelInitialized">

    O que significa o sinistro em seguro auto?

    Posted by Rodobens on Abril 2017

    Um aposentado pega seu carro, saindo da casa da irmã e, após alguns minutos na direção, percebe uma fumaça suspeita em sua Blazer movida a GNV (gás). Assustado, o motorista sai do carro, mas não se passam muitos minutos até que as chamas se espalhem com violência pelo veículo. Uma fatalidade, mas que pode acontecer com qualquer um, a qualquer momento.

    De qualquer forma, era para ser uma história com final feliz, uma vez que a vítima não se feriu, certo? Só tem um problema: o veículo não tinha seguro! Agora, o aposentado sai com um prejuízo de R$ 35 mil por menosprezar a necessidade de ter uma proteção dessa natureza.

    Curioso lembrar que, caso tivesse uma apólice, esse tipo de sinistro em seguro auto resultaria em uma indenização paga pela seguradora de forma rápida e sem maiores dores de cabeça. Definitivamente, algumas economias não valem a pena.

    O motorista dessa fatalidade amargou prejuízos, provavelmente por não conhecer bem o que é um seguro auto, como funciona uma apólice, quais são as terminologias e os benefícios.  Você não vai cometer o mesmo erro, certo? Então, vamos conhecer a fundo os termos de uma apólice, descobrindo o que significa sinistro em seguro auto.

    Já ouviu falar que o estudo e a pesquisa são as sementes dos sábios no cultivo das melhores decisões financeiras? Pois bem, mãos à obra!

    O que é sinistro em um seguro de automóveis?

    Sinistro é toda ocorrência prevista na apólice do seguro contratado, de natureza involuntária, súbita e imprevista. Será a amplitude da cobertura contratada que determinará se o incidente será sanado pela seguradora — o que reforça a necessidade de estar atento ao que está incluso no contrato.

    Existem basicamente os seguintes tipos de cobertura:

    • Compreensiva: cobertura mais comum, abrange colisão, incêndio, roubo e furto, além de danos da natureza. Algumas seguradoras colocam como riscos excluídos os incidentes decorrentes de vandalismos. Portanto, atente-se aos cuidados na hora de contratar um seguro auto.
    • Cobertura contra Incêndio/Roubo/Furto: cobertura mais “enxuta”, mais barata que a anterior, mas que não o protegeria em caso de incêndio, como o relatado no início do post.
    • Cobertura de Danos a Terceiros: mais conhecida como RCF-V (Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos), envolve a cobertura contra danos causados a terceiros por sinistro em seguro auto (de natureza material, pessoal ou moral), até determinado limite previsto na apólice. Costuma ser conjugada com a cobertura compreensiva.
    • Cobertura em Acidentes Pessoais de Passageiros (APP): objetiva proteger passageiros conduzidos no veículo segurado ou seus beneficiários, em caso de óbito. Também é oferecida como adicional, juntamente com a cobertura compreensiva.

    Como proceder em caso de sinistro em seu veículo?

    O incidente consumado no veículo está previsto na apólice? Menos mal, estamos então falando de um sinistro e, se todos os procedimentos forem adotados pelo condutor, a cobertura do prejuízo será garantida pela seguradora. Mas quais são esses procedimentos?

    Boletim de ocorrência

    Via de regra, a orientação das seguradoras é que, na ocorrência de sinistro, o motorista realize um Boletim de Ocorrência (BO) o mais rápido possível, registrando todos os detalhes do acontecimento.

    Testemunhas

    Se possível, anotar o nome e o contato de ao menos 3 testemunhas que estejam no local. Tirar fotos e fazer vídeos do ocorrido também auxilia na montagem do conjunto probatório, acelerando a liberação da indenização.

    Aviso de Sinistro

    O próximo passo é entrar em contato com a seguradora para informar o ocorrido. O motorista será orientado a descrever o fato e receberá instruções sobre a documentação a ser apresentada para dar andamento ao registro, como cópias do RG, do CPF, da Carteira de Habilitação e do BO.

    É importante lembrar que, atualmente, é possível fazer o aviso de sinistro online.

    Caso tenha sido feita a contratação de uma Assistência 24 horas, a seguradora informará as providências para envio de guincho, carro reserva, entre outras comodidades.

    As seguradoras possuem prazo de até 30 dias para a resolução do sinistro, contando a partir da entrega da documentação correta por parte do segurado, conforme orientação da Superintendência de Seguros Privados (SUSEP).

    Indenização integral e indenização parcial? Quais as diferenças?

    Muita gente tem dúvida com relação a isso. Na ocorrência de um sinistro em seguro auto, a seguradora será acionada e realizará perícias para dimensionar o tamanho dos danos e o custo do conserto.

    Se os prejuízos decorrentes de um mesmo sinistro ultrapassarem 75% do valor do carro (ou percentual inferior, se previsto na apólice), a indenização será integral. Nessa situação, não é permitida a cobrança de franquia de seguro de carros.

    Entretanto, se for possível consertar o automóvel e o valor dos reparos ficar abaixo desses 75%, a indenização será parcial, compreendendo o valor do restauro.

    Se o sinistro em seguro auto se referir a uma batida com perda total, qual será o valor usado como base?

    Supondo que um motorista tenha se envolvido em um acidente e este tenha resultado em perda total (portanto, com indenização integral), qual valor será usado como base? Valor da compra? Valor atual? Valor fixado em contrato? Não se preocupe, aqui também não tem segredo.

    Assim como há tipos de indenização, em casos de indenização integral, existem duas modalidades distintas (definidas na apólice).

    • Valor de Mercado Referenciado (VMR): nesse formato, o pagamento será determinado pelo valor vigente na tabela de referência (por exemplo, tabela FIPE, que estará expressamente indicada na proposta do seguro). O valor previsto será conjugado com o fator de ajuste, em percentual, aplicado sobre o valor de cotação do veículo. Esse fator de ajuste leva em conta as particularidades do veículo (como estado de conservação) e poderá culminar em indenização superior ou inferior ao valor da tabela.
    • Valor Determinado (VD): modalidade que assegura pagamento de quantia fixa em moeda corrente nacional, cujo montante é definido previamente no ato da contratação do seguro.

    Quer economizar? Então, comece fazendo um seguro auto!

    A frase soa estranho? Não deveria. Em um país em que 57 carros são roubados por hora, não faz sentido achar que é vantagem não ter um seguro auto. O interessante é que 70% dos carros que circulam hoje no Brasil não possuem qualquer tipo de seguro, o que coloca em risco não somente o condutor, mas também todos os outros motoristas ao redor.

    Dados como esses só reforçam a necessidade de ter seu carro (e suas finanças) devidamente protegidos. Trata-se de um pequeno custo necessário para evitar custos maiores (em momentos inoportunos), indenizações a terceiros (em via judicial) e até a perda irreversível do bem (em caso de roubo). Definitivamente, ter um seguro é economizar.

    A propósito, agora que você compreendeu o que significa sinistro em seguro auto, sabia que você pode comprar/trocar de carro e fazer seu seguro, tudo com a mesma empresa, uma companhia pioneira em administração de consórcios no país e com 65 anos de tradição? Entre em contato conosco e encurte o trajeto para o alcance do carro dos seus sonhos!

     

    Consórcio, investimento seguro e programado para aquisição de bens e serviços.

    • Sem Juros
    • Diversos planos e créditos
    • Sem Taxa de Inscrição
    Simular
    Consórcio!
    New Call-to-action

    Newsletter

    Categorias

    todos
    guia de compra do seu primeiro imovel