<img height="1" width="1" alt="" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=408815549258573&amp;ev=PixelInitialized">

    Passo a passo: como acertar na escolha ao comprar um carro novo?

    Posted by Rodobens on Maio 2017

    Comprar um carro novo é uma tarefa que pode ser muito prazerosa se você se cercar dos cuidados necessários para este momento. O automóvel é um bem de alto valor e, por isso, a hora de trocá-lo exige muita calma, pesquisa e paciência para fazer as melhores escolhas.

    Mas que cuidados são esses? Neste post, vamos mostrar um passo a passo de como você deve proceder para acertar na escolha do seu carro novo. Vamos falar sobre o momento ideal para trocar, como escolher entre um zero KM e um usado, os acessórios que você precisa priorizar, como pesquisar preços e muito mais.

    O ideal é que você faça uma checklist para que nenhum dos momentos listados passe em branco. Lembre-se: você não pode jogar dinheiro fora, principalmente neste momento de crise. Então, é melhor não arriscar na hora de comprar o carro novo, não é mesmo?

    O momento ideal para comprar um carro novo

    A primeira dúvida que surge na cabeça de quem tem um carro é: qual é a melhor hora de trocá-lo? A resposta para essa pergunta tem algumas variáveis e não é possível chegar a uma conclusão objetiva. Mas você pode considerar alguns aspectos importantes.

    O primeiro deles, e talvez o mais relevante, é o gasto com manutenção. Quanto mais rodado o carro está, mais frequentes são as visitas à oficina. Evidentemente que se você cuida bem do seu veículo e faz todas as revisões indicadas pela montadora, a chance de prolongar a vida útil do carro é maior.

    A conta para se chegar à conclusão se a manutenção está muito cara é a seguinte: o valor anual gasto em oficinas não pode ser maior do que 10% do valor do veículo. Ou seja, se o seu carro vale 25 mil reais pela tabela FIPE, o limite do seu gasto deve ser de 2.500.

    Mas tenha cuidado: a tabela FIPE é uma referência e dependendo do carro que você possui, o preço de mercado pode ser bem menor. Por isso, dê uma margem para esse gasto de 10%. Se estiver muito no limite, é possível que esteja na hora de você trocar de carro.

    Mas, a decisão não é apenas financeira. Muitas vezes, o carro tem um valor sentimental e se você gosta dele e não tem gastos excessivos, não se preocupe. Apenas fique atento para a alta quilometragem, que é um dos fatores que mais desvaloriza veículos. Se o seu estiver com mais de 100 mil KM, por mais que seja o carro da sua vida, considere a troca.

    Em geral, somando-se o valor sentimental, mais o gasto com manutenção e ainda o desgaste de peças como pneus, suspensão, freios etc, o ideal é que você troque de carro em um prazo que gire em torno de 5 anos. Não é um número rígido, apenas uma referência para que você se oriente sobre o momento de realizar a troca.

    Escolha entre o carro zero ou usado

    Agora que você já descobriu se é ou não o momento certo de trocar de carro, chegou a hora de tomar outra decisão importante: o que vale mais a pena? Um veículo zero ou um carro usado?

    Há muita polêmica em relação a esse tema, já que depende muito da necessidade e da preferência de cada comprador. Portanto, vamos listar as vantagens e desvantagens de cada negócio, para que você escolha o que mais se adequa ao seu perfil.

    Carro novo

    Vantagens

    • O carro nunca teve avarias, não faz barulhos de acabamento e nem de suspensão;
    • você pode realizar todas as revisões programadas pela montadora, garantindo o bom funcionamento do modelo;
    • garantia de contar com um carro atualizado;
    • veículo com garantia de fábrica;
    • possibilidade de montar o seu pacote de acessórios, de acordo com as suas necessidades.

    Desvantagens

    • Alta desvalorização do veículo no primeiro ano de uso;
    • preço alto cobrado por modelos mais simples e sem acessórios;
    • seguro e IPVA mais caros.

    Dizem que o melhor acessório do carro novo é o cheirinho que ele traz de fábrica. E é verdade: quem já teve um automóvel zero KM sabe o valor de se tirar o carro da concessionária. Mas, por outro lado, paga-se caro por um carro com poucos acessórios e a desvalorização do veículo é de cerca de 25% no primeiro ano de uso. Por isso, coloque essas vantagens e desvantagens na balança.

    Vamos ver, então, se vale mais a pena comprar um carro usado?

    Carro Usado

    Vantagens

    • Pouca desvalorização em relação ao zero KM;
    • possibilidade de adquirir um veículo de categoria superior por um preço mais acessível;
    • se for um seminovo, pode estar ainda na garantia;
    • IPVA e seguro mais baratos.

    Desvantagens

    • Menor garantia de procedência;
    • necessidade manutenção inicial (troca de óleo e correia dentada);
    • modelo pode estar desatualizado no mercado.

    Você pode comprar um carro usado mais espaçoso e confortável, pagando a mesma coisa que investiria em um zero KM básico. Essa é uma das principais razões que leva as pessoas a adquirirem um seminovo. E se for de boa procedência, de fato pode ser um bom negócio. Por outro lado, o carro usado necessita de manutenção inicial de segurança, como a troca da correia dentada, para que você não corra o risco de enfrentar problemas graves. Além disso, se o veículo estiver mais rodado, você terá que trocá-lo mais rapidamente.

    Assim, a decisão está nas suas mãos. A opção de compra por um zero KM ou usado depende da sua necessidade e da sua disponibilidade financeira. O ideal é pesquisar bastante e conhecer tudo o que está disponível no mercado, para tomar a melhor decisão possível.

    Entenda as necessidades de você e sua família

    Atualmente, o catálogo das montadoras de veículos têm opções para todos os gostos. Se antigamente era o cliente quem se adaptava aos modelos oferecidos, hoje ocorre justamente o contrário. As marcas foram atrás das necessidades dos consumidores e passaram a produzir modelos variados, cada um com características específicas.

    Por isso, antes de adquirir um carro, você precisa entender quais são as suas necessidades e também as da sua família.

    Veja, abaixo, algumas dicas para escolher o carro ideal para você:

    Espaço

    Se você viaja muito, principalmente com mais pessoas a bordo, precisa de um modelo que tenha um bom porta malas e espaço de sobra para os ocupantes. Pode optar por um sedã ou então por um SUV, estilo que vem sendo muito procurado no mercado atual.

    Economia

    Gasta-se muito com combustível hoje em dia, portanto se você usa o carro para trabalhar precisa procurar um modelo econômico. Os carros 1.0 com motores de três cilindros trazem um bom desempenho, com praticidade e economia.

    Conforto

    Se você está cansado de operar o pedal da embreagem no dia a dia, que tal optar por um carro com câmbio automático? Antigamente, esse era um opcional presente apenas em modelos luxuosos, mas hoje você pode encontrá-lo em carros mais baratos.

    Atente-se para a diferença entre câmbio automático e automatizado: o segundo ganhou popularidade nos últimos anos, mas trata-se de uma versão simplificada, que não oferece o mesmo conforto do automático.

    Custos

    Se você for financiar, procure um veículo que tenha boa aceitação no mercado. Isso fará com que você reduza pelo menos um pouco a perda financeira natural que há quando se paga os juros do parcelamento. Outro aspecto importante é a questão do seguro. Carros muito visados e de manutenção cara, costumam ter apólices mais salgadas. Faça uma cotação antes de fechar o negócio.

    Selecione os acessórios essenciais

    Tanto para a compra de veículos novo, quanto para os usados, é importante que você se atente para os acessórios do modelo escolhido. Como dissemos, até mesmo os carros mais baratos podem vir com equipamentos de primeira linha, como câmbio automático ou sensores de estacionamento.

    Os acessórios são importantes para o seu conforto e praticidade ao dirigir, mas também contam muito para a valorização do carro. Fique atento, pois a falta de equipamentos pode fazer com que você tenha dificuldades na hora de vender o veículo.

    Desde 2012, todos os carros saem de fábrica com air-bag e freios ABS. Além disso, a direção hidráulica (ou elétrica) também entrou na pauta das montadoras, que oferecem o equipamento de série na maioria dos seus modelos.

    Mas itens como ar-condicionado, travas e vidros elétricos e limpador do vidro traseiro (para veículos que necessitam) precisam ser instalados como acessórios em carros básicos. Mesmo que você não sinta falta desses equipamentos, saiba que você terá dificuldades na hora de revender o carro no futuro. Por isso, não deixe de adquiri-los.

    Já carros de categoria superior já vêm com tudo isso de fábrica. Nestes casos, os acessórios são mais sofisticados, como teto-solar, sensores de iluminação, bancos de couro, rodas de liga-leve etc. São equipamentos importantes, mas que não afetarão tanto uma venda futura quanto o caso anterior, dos veículos mais baratos.

    Portanto, na hora de escolher os acessórios, ou mesmo de comprar um carro usado que já venha com eles, atente-se para as suas necessidades mas veja também como os equipamentos podem ajudá-lo a valorizar o veículo no momento da revenda.

    Pesquise os preços e as oportunidades

    Embora a crise financeira tenha afetado a renda das pessoas, o mercado de carros usados e novos continua aquecido. Existem inúmeras oportunidades nas concessionárias e revendas e a receita para você fazer uma boa compra é uma só: pesquisar bastante.

    O primeiro passo é escolher o modelo que você deseja. Mas tome cuidado para não ficar preso a apenas uma marca. Todos os segmentos de carros possuem representação nos portfólios das montadoras atuais. Se você quer um carro 1.0, econômico, confortável e prático, certamente encontrará modelos de diferentes marcas, com preços e condições financeiras diferenciados.

    Veja, abaixo, como realizar uma boa pesquisa tanto para carros novos quanto para usados.

    Carros novos

    Para comprar um carro novo, você pode realizar uma busca inicial na Internet. Os sites das montadoras disponibilizam opções para que você monte o veículo da maneira como quiser, incluindo e retirando acessórios. O preço praticado nestes sites nem sempre bate com o que as concessionárias oferecem, mas serve como referência.

    Faça uma lista com todos os modelos que lhe interessaram e reserve um dia para ir até as lojas. Se você só tem o fim de semana, as concessionárias costumam abrir aos sábados, algumas até o meio dia, outras até um pouco mais tarde. Reserve dois sábados seguidos para ir atrás do seu carro novo.

    Leve um caderno e anote tudo o que o vendedor disser. Compare preços e condições e não deixe de realizar o test-drive de todos os modelos. Fazendo isso, a sua decisão será mais fácil.

    Carros usados

    A Internet também pode ser uma aliada para a compra de um carro usado. Faça uma pesquisa prévia de quanto os proprietários estão pedindo pelo modelo que você quer. Depois disso, dê preferência por realizar a compra em uma loja de usados, que oferecerá garantia de 3 meses para caixa de câmbio e motor.

    Quando encontrar o carro que lhe atende, dê uma volta para checar o funcionamento e peça ao vendedor que ele abra espaço para que o seu mecânico de confiança avalie o carro. Se encontrar resistência da loja, desconfie e não feche negócio. A avaliação do profissional é determinante para a compra do carro usado.

    Construa um planejamento financeiro eficiente

    Quem compra um carro precisa se planejar financeiramente. A aquisição do veículo não acaba após o pagamento, pelo contrário: um carro na garagem traz novos gastos para o seu orçamento e, por isso, é preciso se preparar.

    Além dos custos com financiamento e seguro, que falaremos mais adiante, ainda há os custos de manutenção e impostos.

    Em relação ao IPVA, o valor é calculado com base na Tabela FIPE. Essa tabela apresenta uma média dos valores de venda de cada carro em todo o país, excluindo negociações atípicas (uma venda de pai para filho, por exemplo, quando esta influencia muito o preço do carro). Para saber quanto é o IPVA do seu carro, basta pegar a alíquota do imposto, que é 2,5% para carros de passeio, multiplicar pelo valor total exibido na tabela.

    O IPVA pode ser dividido em 3 parcelas, sendo que a primeira vence sempre em janeiro. Além disso, é necessário pagar o DPVAT, que é uma espécie de seguro que beneficia terceiros envolvidos em acidentes de trânsito. Em março você precisa depositar a taxa de licenciamento do veículo. Todos estes impostos são obrigatórios e sem o pagamento deles, você não recebe os documentos do veículo para rodar ao longo do ano.

    Já a manutenção, depende da forma como você realizar as revisões do veículo. Se você seguir o cronograma da fábrica, dificilmente terá que arcar com prejuízos de última hora, causados por problemas inesperados. Se você estiver comprando um carro usado, veja como o proprietário anterior procedeu em relação às revisões. Se tudo estiver OK, tente dar continuidade ao plano traçado.

    Não se esqueça de incluir, no seu planejamento financeiro, uma previsão de depreciação do veículo. No primeiro ano de uso, no caso dos carros zero KM, o automóvel pode perder até 25% do seu valor. No segundo ano, esse percentual pode cair para 15%. A partir do terceiro ano, em diante, a taxa de depreciação estabiliza em 10%.

    Isso pode variar de acordo com o modelo e a sua reputação no mercado. Inclua isso como observação na sua checklist, quando ainda estiver escolhendo o seu carro novo.

    Defina a forma de pagamento ideal

    Nos últimos anos, os planos de financiamento tornaram-se mais flexíveis e facilitaram muito a compra de um carro novo. Mas, ainda assim, é preciso tomar cuidado com eles. Financiar um carro pode ser uma boa solução para você, mas não se empolgue e escolha um modelo que caiba na sua garagem e no seu bolso. Veja, abaixo, um comparativo entre o financiamento e o consórcio, outra forma viável de se adquirir um carro novo:

    Financiamento

    Os planos de financiamento permitem que você consiga trocar de carro, mesmo não tendo condições de pagar a vista pelo novo modelo. Algumas financeiras aceitam parcelar a dívida em até 72 vezes, o que torna os pagamentos mensais menos dolorosos para o bolso.

    Mas as taxas de financiamento já não são mais tão em conta como estiveram há cerca de 5 ou 6 anos. Dependendo do valor do veículo e da quantia que você tem disponível para dar entrada, o preço final do carro pode ser aumentado em até 75%!

    Portanto, para comprar um carro financiado, seja comedido. Escolha um veículo que seja acessível ao seu bolso e prepare-se para depositar um valor considerável como entrada. O ideal é que você financie, no máximo, 50% do valor do carro novo.

    Além disso, não comprometa a sua renda somente com a parcela do financiamento. Lembre-se de que você tem outras despesas e elas não sumirão enquanto você está pagando pelo seu automóvel.

    Se possível, programe-se para abater mais de uma parcela por mês, principalmente em ocasiões nas quais você recebe um dinheiro extra, como o 13º salário, a participação nos lucros da empresa e a restituição do imposto de renda. Essa prática diminui a incidência de juros no financiamento e torna a compra menos onerosa.

    Consórcio

    Se você não está com pressa para adquirir um carro novo, pense em um consórcio. As taxas são muito menores do que as do financiamento. Em um consórcio, o preço final do carro é aumentado em apenas 20%.

    O consórcio é formado por um grupo de pessoas que, mensalmente, deposita um valor para a compra do carro. A cada mês, um integrante é sorteado e contemplado com o bem. Isso significa que, se você der muita sorte, pode ser agraciado logo de cara. Mas também pode ser que você consiga o seu carro novo somente no último mês do consórcio.

    Uma opção que este tipo de plano oferece é a possibilidade de você dar lances esporádicos, para antecipar o sorteio do seu nome. Se você tiver esse dinheiro disponível, vale a pena utilizá-lo. E o valor do lance é abatido do preço total a ser pago pelo carro.

    Procure uma concessionária de confiança

    A compra de um carro, sobretudo de um modelo usado, precisa ser feita com muita segurança. Por isso você precisa escolher uma concessionária de confiança, que possa lhe oferecer todas as garantias necessárias para a sua tranquilidade.

    Muitas pessoas preferem comprar carros usados diretamente com o proprietário. De fato, negociando diretamente com o dono, pode-se conseguir preços mais baixos. Mas a concessionária tem vantagens que são muito importantes quando se compra um modelo que já foi de outra pessoa.

    A principal delas é a garantia, que a loja oferece contra qualquer problema envolvendo o motor e a caixa de câmbio. Se você comprar um carro e ele apresentar problemas, pode até devolver o veículo caso não esteja satisfeito.

    Além disso, o carro que está a venda na concessionária foi preparado para a negociação. Uma loja de confiança faz uma revisão completa no veículo, substituindo peças defeituosas e cuidado do visual do carro, deixando-o como se estivesse saindo da fábrica.

    Pesquise na Internet sobre a reputação das revendas e escolha uma que oferece bons carros, com ótimos preços e excelente atendimento.

    Contrate um seguro de qualidade

    Depois de todo esse cuidado para comprar seu carro novo, você não vai querer arriscar perdê-lo para bandidos, não é mesmo? O seguro deve fazer parte do seu orçamento para a aquisição do veículo, entrando na conta desde o início.

    O seguro protege contra roubos, furtos e acidentes. Ele representa um valor muito pequeno diante do prejuízo que você vai ter caso ocorra algum problema dessa natureza.

    Faça uma cotação com diversos corretores, buscando aquela seguradora que ofereça o melhor produto pelo melhor preço. Não tire o veículo da concessionária enquanto não pagar a apólice!

    Depois de ler este texto, certamente você está mais preparado para comprar um carro novo. Agora é hora de sair atrás do seu veículo, anotando tudo e tomando cuidado na hora da escolha.

    Se você gostou desse texto, e acha que ele pode ajudar a algum dos seus amigos, compartilhe com eles nas suas redes sociais! 

     

    Consórcio, investimento seguro e programado para aquisição de bens e serviços.

    • Sem Juros
    • Diversos planos e créditos
    • Sem Taxa de Inscrição
    Simular
    Consórcio!
    New Call-to-action

    Newsletter

    Categorias

    todos
    Como funciona o consórcio de imóveis