<img height="1" width="1" alt="" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=408815549258573&amp;ev=PixelInitialized">

    Saiba como sair do aluguel em 5 passos

    Posted by Rodobens on Julho 2016

    saiba como sair do aluguel em 5 passos.jpg

    Por mais que cada pessoa tenha seus próprios desejos e objetivos na vida, alguns sonhos costumam ser compartilhados. E um exemplo de aspiração quase unânime é o da aquisição da casa própria. O detalhe é que adquirir seu um imóvel para chamar de seu, garantindo assim um lar, mais qualidade de vida e o começo da construção do patrimônio pessoal é sempre um desafio, não é mesmo? Mas é muito mais possível do que se imagina! Afinal, viver de aluguel é, em vários casos, muito mais dispendioso que fazer um financiamento ou mesmo entrar em um consórcio de imóveis!

    Pronto para conhecer um passo a passo de como sair do aluguel? Pois basta acompanhar nosso post de hoje!

    Organize suas finanças

    O primeiro passo para adquirir um imóvel é arrumar as próprias contas e ter na ponta da língua o valor da sua renda, quanto você é capaz de poupar e em quanto tempo terá um montante suficiente para dar o pontapé inicial nessa nova etapa. Nessa fase, valem os mantras básicos das finanças pessoais: anote seus gastos, procure descobrir onde você está desperdiçando dinheiro e ajuste seus hábitos de consumo para fazer seu salário render mais.

    Aqui também é importante avaliar o tamanho das suas dívidas e elencar um prazo para quitá-las, garantindo um nome limpo para poder iniciar o processo da compra do seu apartamento ou da casa dos sonhos. Suas dívidas são grandes? Nada de desespero! Foque no pagamento daquelas com a maior taxa de juros primeiro e, em seguida, quite as menores.

    Procure poupar mensalmente

    Você organizou suas finanças, equalizou as dívidas e agora é capaz de prever exatamente como destinará seu salário a partir de então. Chegou a hora de começar a poupar dinheiro de verdade! O ideal é guardar cerca de 30% dos seus ganhos a cada mês. No entanto, não vale simplesmente colocar o dinheiro debaixo do colchão, ok? Procure investimentos seguros e rentáveis para multiplicar esse montante.

    Com a inflação em alta, a poupança já não é uma boa opção, porque seu rendimento é baixo demais. Que tal então procurar saber mais sobre Tesouro Direto, aplicação em que compra papéis do governo e, dentro de um prazo previamente determinado, pode resgatar seu dinheiro com juros? Há também as aplicações financeiras em bancos, como a compra dos chamados Certificados de Depósito Bancário (CDB), alternativa oferecida por instituições financeiras que gera um rendimento fixo. O importante é que você encontre a melhor possibilidade para seu bolso e suas perspectivas, tendo como objetivo poupar entre 10% e 20% do valor do imóvel para dar entrada no processo de compra.

    Escolha a forma de pagamento

    Reza a cartilha de todo economista que a melhor maneira de adquirir qualquer bem é fazendo o pagamento à vista para, assim, conseguir bons descontos. No entanto, sendo realistas, quitar todo o valor de qualquer imóvel de uma única vez é uma alternativa muito remota para a maioria esmagadora da população. A boa notícia é que existem alternativas para diluir esse pagamento em parcelas. São basicamente 2 maneiras de se fazer isso:

    Financiamento

    Nesse processo, o comprador recorre a uma financiadora. Após dar o valor da entrada, seja com o dinheiro poupado ou mesmo com o uso do FGTS, começa a pagar as mensalidades. Em geral, as financiadoras fazem algumas exigências para disponibilizar esse serviço, que vão desde a comprovação de renda, passando pelo pagamento de taxas semestrais ou anuais maiores que as mensalidades convencionais (chamadas parcelas intermediárias), além, é claro, de exigir o nome limpo de quem pretende financiar.

    Consórcio

    Outra alternativa é entrar em um consórcio imobiliário. Nessa modalidade, o consorciado não precisa fazer o pagamento de uma entrada, realizando apenas o pagamento mensal da cota de acordo com suas condições financeiras. Ele pode ser agraciado com a carta de crédito logo que cumprir um período de carência previamente determinado ou assim que terminar o pagamento cabível. Além de dispensar o valor da entrada, o consórcio também é vantajoso por ter parcelas fixas, sem a incidência de juros. Além disso, a operação é garantida pois conta com fiscalização do Banco Central. Por fim, o dinheiro poupado para a entrada pode ser direcionado para outros gastos do seu novo imóvel!

    Procure o imóvel certo

    Uma das etapas mais prazerosas da compra de um imóvel é a pesquisa do lugar ideal. Só não se esqueça de que, aqui, o primeiro passo deve ser estipular um valor que caiba no seu bolso. Depois, pense em suas necessidades no que se refere à localização e ao tamanho do imóvel. Esse passo, no entanto, também deve ser dado com cautela.

    Por isso, não se canse de procurar alternativas, compare preços, conheça sua futura vizinhança e esteja atento às condições do imóvel, seja ele novo ou usado. Afinal, você quer evitar problemas como estruturas danificadas, certo? E como fazer a avaliação correta do imóvel que está prestes a adquirir é essencial, deve-se considerar a procura por ajuda profissional.

    Avalie gastos extras

    Tudo bem que efetivamente comprar o imóvel é o mais desafiador, mas não é tudo. Também é preciso pensar nos gastos que terá adquirindo um imóvel novo. Aqui entram despesas necessárias, como reformas e pinturas, além da compra de mobiliário e até o que você pretende investir para deixar seu novo lar com a sua cara — como a decoração, mudanças estruturais como da disposição da fiação ou mesmo de paredes e cômodos inteiros. Caso você tenha optado pelo consórcio, poderá contar com aquele dinheiro poupado ao seguir nossas primeiras dicas para lidar com esses investimentos!

    O sonho da casa própria pode estar muito mais próximo da realidade do que você imaginava! Por isso, mantenha o foco, seja disciplinado, siga nossas dicas e não esmoreça diante dos obstáculos. Assim você sairá do aluguel transformando seu suor e trabalho em patrimônio e qualidade de vida! Ainda não está convencido de que está na hora de sair de locação atrás de locação? Então leia o nosso post 4 motivos para sair do aluguel e comece a rever seus conceitos!

    Nova chamada à ação

    Consórcio, investimento seguro e programado para aquisição de bens e serviços.

    • Sem Juros
    • Diversos planos e créditos
    • Sem Taxa de Inscrição
    Simular
    Consórcio!
    New Call-to-action

    Newsletter

    Categorias

    todos
    Como funciona o consórcio de imóveis