<img height="1" width="1" alt="" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=408815549258573&amp;ev=PixelInitialized">

    Chegou a hora de trocar de imóvel? Veja 7 sinais que provam que sim

    dicas, imovel, consorcio-imovel, primeiro-imovel, primeira-casa, primeiro-apartamento, consorcio-casa, primeiro-ap

    É simplesmente impossível fugir das mudanças que a vida proporciona. Assim, enquanto em uma fase vêm os estudos, as viagens e as festas, depois podem vir filhos, casamento e a oportunidade de adquirir a casa própria, por exemplo. Na verdade, a única certeza que podemos ter é de que a caminhada não para.

    Só vale prestar atenção a um detalhe: muitas dessas mudanças podem indicar que o momento é ideal para realizar a troca de imóvel. Quer entender melhor essas indiretas da vida para não perder o timing? Então confira agora mesmo 7 dos principais sinais que provam que chegou a hora de trocar de casa!

    1. Chegada de um novo filho

    A família vai crescer? Pois a chegada de um bebê pode ser o empurrãozinho que faltava para os pais saírem em busca de uma nova residência. Afinal de contas, uma criança precisa de um quartinho separado dos pais, bem como de mais espaço para brincar, estudar e se desenvolver!

    Além de ser um sinal de que chegou a hora de trocar de imóvel, o nascimento de um filho também faz com que os pais se preocupem com outras necessidades para garantir o bem-estar da família. Pensando nisso, é preciso levar em consideração a existência de uma boa área de lazer no condomínio ou de um quintal na casa, a proximidade de creches e escolas de qualidade, assim como a segurança na região.

    2. Problemas na estrutura do imóvel

    Outro indicativo bastante comum de que realmente chegou o momento de mudar de casa envolve a estrutura do imóvel. Os defeitos eventuais têm se tornado mais frequentes? Como anda o estado das redes elétricas e hidráulica da casa? Notou mofo, infiltração ou algum entupimento?

    Na prática, imóveis mais antigos tendem a não ter capacidade suficiente para suportar a grande quantidade de equipamentos eletrônicos que as famílias possuem hoje em dia, sabia? Surge, com isso, uma sobrecarga na rede elétrica, fazendo com que as quedas no disjuntor se tornem constantes, aumentando o risco de prejuízos maiores. Por essas e outras, a estrutura da residência também pode ser um aviso de que é preciso se mudar.

    3. Insegurança na região

    Para a maioria das famílias, a segurança local é um dos principais requisitos na escolha de um imóvel, não é mesmo? É fundamental, portanto, que a localização em si e o entorno da propriedade sejam protegidos. Também é bom contar com uma infraestrutura extra, no caso dos condomínios, como seguranças 24 horas, cerca elétrica ou circuito de vigilância com câmeras.

    Se sua família tem o hábito de viajar aos finais de semana, você precisa dar ainda mais atenção a esse item. Que tal dar prioridade a um apartamento ou a um condomínio de casas? Lembre-se de que, pelo menos a princípio, essas opções oferecem mais segurança que uma casa ou um sobrado independente. Outro ponto que vale a pena destacar aqui é que os custos para garantir essa segurança são reduzidos nos condomínios, uma vez que são divididos entre os proprietários de todas as unidades.

    4. Saída do aluguel

    O aluguel está pesando demais seu orçamento? Geralmente, isso significa que é hora de deixar o local que você mora e partir para um novo endereço! O que acha de aproveitar para concretizar o sonho da casa própria? E já podemos adiantar que, nesse sentido, o consórcio chega como a solução perfeita! Só tome cuidado: por ser um investimento de longo prazo, é necessário fazer um bom planejamento financeiro, ok?

    No entanto, algumas oportunidades podem surgir pelo caminho de quem está buscando um imóvel, acabando por levar o comprador a decidir em menos tempo. No cenário econômico atual, por exemplo, não é tão raro se deparar com ofertas de apartamentos bons e bem localizados com preço abaixo da média do mercado. Pois essas oportunidades também podem ser interpretadas como sinais de que está na hora de trocar de imóvel, deixando de pagar aluguel para ter seu próprio bem! Não seria ótimo se já estivesse com sua carta de crédito na mão?

    5. Mudança de local de trabalho

    Aqui temos uma outra indicação mais que direta de que é preciso mudar de casa: transferência ou alteração de trabalho. Essas mudanças incluem promoções ou a necessidade de trabalhar em outra localidade por determinado período, condições frequentes especialmente em grandes empresas que possuem unidades em pontos diferentes do país.

    Seja só por uma época ou por um tempo mais longo, portanto, as alterações no local de trabalho podem sim desencadear a necessidade de trocar de imóvel, buscando uma casa ou um apartamento mais próximo do emprego. Nesses casos, o profissional precisa avaliar o tipo de investimento que será preciso fazer e as oportunidades imobiliárias na nova região.

    6. Dificuldade no relacionamento com vizinhos

    A vida em pequenas comunidades nem sempre é harmoniosa e pacífica. E é justamente nesse cenário que se enquadram os condomínios! O relacionamento com os vizinhos pode se complicar graças às mais diversas questões, seja envolvendo um cachorro, um carro, os filhos ou o encanamento. Barulho de pets e crianças, desrespeito às regras no estacionamento e danos na rede hidráulica: esses são os principais pontos de atrito entre condôminos.

    Parece detalhe? O problema é que, com o passar do tempo, esses pequenos transtornos podem tornar a convivência insustentável. Com isso, para não perder noites de sono e se estressar desnecessariamente, mudar de residência pode ser uma ótima pedida!

    7. Decisão de casar ou morar junto

    Assim como a chegada de um filho, a decisão de se casar ou de morar junto é outro sinal de que está na hora de trocar de imóvel. O casal precisa definir se um vai se mudar para a residência do outro ou se encontrarão, juntos, um terceiro endereço que seja bom para ambos, de preferência mais vantajoso em relação a qualidade de vida, conforto, localização e custos.

    Nesse ponto, para ajudar nessa escolha, é fundamental que o casal sente para conversar a respeito dos seus planos para o futuro. Afinal, as opções de emprego, de estudos e de família podem alterar os passos dali para frente. De toda forma, entenda: se você pretende dividir o mesmo teto com sua cara-metade, a mudança de endereço provavelmente vem como consequência.

    Como você pôde ver, são vários os fatores que podem influenciar a mudança de residência. Conseguiu se identificar com alguma das alternativas que citamos? Confirmou que chegou mesmo a hora de trocar de imóvel? Comente aqui e divida suas experiências conosco!