Ser caminhoneiro MEI é vantajoso? Como faço para me tornar um?

Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Se você é um caminhoneiro autônomo e deseja regulamentar o seu trabalho, passando a ter um número de CNPJ como todas as empresas formais, esse é o momento de se tornar um caminhoneiro MEI. Sabe do que estamos falando?

Há poucos anos, o governo federal lançou o programa de Microempreendedor Individual para que pessoas como você possam ter acesso a benefícios como aposentadoria, linhas de crédito, emissão de nota fiscal, entre outros. A boa notícia é que, recentemente, em dezembro de 2021, o MEI caminhoneiro foi aprovado, com novas regras específicas para a categoria.

Por que isso é bom? Porque oferece mais segurança para você e sua família, além da garantia de melhores trabalhos — de maneira mais profissional e com taxas reduzidas de impostos. 

Neste artigo, explicamos como funciona o MEI caminhoneiro e quais são as vantagens de se tornar um. Confira!

Como funciona o MEI para caminhoneiros?

Para se tornar um Microempreendedor Individual (MEI), você precisa estar enquadrado em algumas regras estabelecidas pelo governo. 

A renda anual, antes da nova legislação, deveria ser como para outras categorias, de até R$ 81 mil — o que correspondia, em média, a R$ 6.700 por mês. Pela regra atual, esse valor é de até R$ 251.600 anuais, proporcional aos meses de atividade. Além disso, é preciso atender os seguintes requisitos:

  • não ser ou se tornar titular, sócio ou administrador de outra firma;
  • ter, no máximo, um funcionário;
  • não ter nem abrir filial;
  • não ter outro CNPJ.

É importante destacar que a empresa MEI pode ter apenas um empregado, recebendo até um salário-mínimo mensal (ou piso da categoria), também regularizado. Esse funcionário deve ser registrado, para que também possa ter seus direitos trabalhistas assegurados.

Se você se encaixa nesse perfil, é hora de acessar o Portal do Empreendedor para iniciar o seu processo de formalização. É bem fácil! Basta ter em mãos os documentos pedidos. Veja quais são:

  • comprovante de residência.
  • CPF;
  • Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física (caso tenha declarado nos últimos 2 anos) — se for isento, informe o seu título de eleitor;
  • definição das ocupações que terá no seu CNPJ (caminhoneiro é uma delas);
  • documentação do caminhão;
  • documento de identificação (carteira de motorista ou RG);
  • título de eleitor.

Quais são as novas regras do MEI para caminhoneiros?

O MEI caminhoneiro, criado pela Lei Complementar 188/2021, começou a funcionar a partir de 31 de dezembro de 2021 e alterou o Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte. Essa nova norma beneficia o setor do transporte de cargas, facilitando e tornando mais barata a inclusão dos caminhoneiros no regime previdenciário.

Com isso, a categoria de caminhoneiros passa a ter uma configuração especial como Microempreendedor Individual, devido às condições especiais relacionadas aos altos custos da atividade de transporte. De acordo com essa lei, o valor mensal da contribuição para a Seguridade Social dos caminhoneiros enquadrados como MEI será de 12% sobre o salário-mínimo.

Embora a lei já esteja aprovada, a norma ainda deve receber alguns ajustes do Comitê Gestor do Simples Nacional para especificar as ocupações permitidas pelos transportadores autônomos e operacionalização do MEI caminhoneiro.

O que mudou em relação ao faturamento do caminhoneiro MEI?

Conforme já comentamos, de acordo com as novas regras aprovadas em 2021, a inscrição como MEI passa a ser permitida para os transportadores e caminhoneiros com renda de até R$ 251.600 por ano, que correspondem a R$ 20.966,67 por mês. Para as outras categorias, o limite continua sendo de R$ 81 mil anuais.

Como é exigida uma renda anual, para os caminhoneiros que se cadastrarem após o início de 2022, esse limite será proporcional. Assim, para saber qual é esse valor, basta você multiplicar o limite mensal de R$ 20.966,67 pelo número de meses de atividade durante o ano. 

Por exemplo: se você começou a atividade como MEI em fevereiro de 2022, o limite do faturamento bruto anual será:

  • R$20.966,67 x 11 meses, totalizando R$ 230.633,37.

 

Atenção: se você conseguir um faturamento anual acima do limite permitido para caminhoneiro MEI, será preciso realizar o seu desenquadramento do regime MEI, pois a sua empresa deverá começar a recolher impostos como Simples Nacional, ok? 

Quem pode se tornar caminhoneiro MEI?

É preciso dar atenção a esse tópico, pois nem todo motorista autônomo pode se tornar um caminhoneiro MEI. Confira a lista dos beneficiados abaixo e verifique se você se encaixa em alguns desses casos:

  • caminhoneiros de cargas não perigosas;
  • transportadores de mudanças;
  • transportadores escolares;
  • transportadores municipais de carreto (cargas não perigosas);
  • transportadores municipais de passageiros (frete).

Quais são os benefícios de se tornar um caminhoneiro MEI?

Regularizar a sua atividade permite que você garanta a sua aposentadoria no futuro. Os impostos cobrados do caminhoneiro MEI são mais baixos, conforme explicaremos adiante. Com isso, você e a sua família começam a ter direito a auxílio-doença, pensão por morte, aposentadoria por idade ou invalidez, salário-maternidade, entre outras seguridades. Assim, você terá mais meios para recorrer em casos de imprevistos.

Quais regras devem ser seguidas?

Ao se tornar MEI caminhoneiro, você terá responsabilidades legais, como:

  • emissão de notas fiscais toda vez que prestar serviço para alguma empresa;
  • envio da Declaração Anual de Faturamento à Receita Federal;
  • pagamento mensal do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS);
  • realização do Relatório Mensal de Faturamento referente aos serviços prestados para cada empresa.

A data de vencimento do DAS do mês corrente sempre será até o dia 20 do mês seguinte. Essa guia pode ser baixada no Portal Empresas e Negócios, clicando na opção “Já sou MEI” e, em seguida, na opção “Pagamento de contribuição mensal e parcelamentos”.

O MEI caminhoneiro também precisa enviar, uma vez por ano (até o último dia de maio), a Declaração Anual de Faturamento do Simples Nacional (DASN-SIMEI). Nela, você deve informar os valores totais obtidos no ano anterior, mesmo que ainda não tenha recebido tudo o que declarou.

Nessa declaração, devem ser informados tanto os valores dos transportes entre cidades/municípios quanto os relativos às prestações de serviços no próprio município, para transporte municipal de cargas não perigosas (carreto). Essa declaração deve ser enviada mesmo que a sua empresa não tenha obtido nenhum faturamento durante o ano, ok?

Se você é autônomo e deseja ter mais segurança, pense na possibilidade de se tornar um caminhoneiro MEI. Provavelmente, você terá mais chances de conseguir trabalho junto a empresas maiores, que exigem a apresentação de nota fiscal, além de obter todos os benefícios conferidos pelo governo às pessoas que trabalham na formalidade.

Este conteúdo foi útil? Deseja ficar por dentro de outros assuntos importantes para quem leva a vida na estrada? Então, cadastre-se e receba a nossa newsletter gratuitamente no seu e-mail!

Quer receber mais conteúdos como esses por email?

Cadastre-se para receber nossos conteúdos por email e tenha informações em primeira mão:

Potencialize seu negócio,
com caminhão, ônibus ou van Mercedes-Benz

Comentários