Carro novo ou usado: saiba qual é a melhor opção para você

Janeiro 2017

4 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

carro novo ou usado saiba qual e a melhor opcao para voce.jpg

Seja para concretizar o sonho de ter o primeiro carro ou para trocar por um modelo, por exemplo, a compra de um veículo é um momento que normalmente gera grande expectativa nas pessoas. Nessa hora, é mais que comum se perguntar: será que é melhor optar por um carro novo ou usado?

Como são muitas as questões que devem ser consideradas para tomar essa decisão, resolvemos preparar este post com tudo o que você precisa saber para fazer a melhor escolha. Acompanhe e tire suas próprias conclusões!

Pense em quanto pretende gastar

A primeira informação a considerar é relativa ao montante que pretende gastar na compra do carro.

Lembre-se de que, por mais que os carros novos normalmente exijam um orçamento maior (mesmo em suas versões básicas), eles contam com uma garantia da montadora, além de oferecer planos de revisão especializada para assegurar seu bom funcionamento.

Enquanto isso, os carros usados podem ser encontrados por valores muito mais atrativos, mesmo com opcionais como direção hidráulica, ar-condicionado e airbag. Contudo, é preciso fazer uma análise aprofundada para garantir que esse veículo realmente está em boas condições de uso. Afinal, caso apresente problemas após a compra, você terá que arcar com os custos de manutenção sozinho.

Avalie a desvalorização do veículo

Tudo bem que a sensação de adquirir um carro novo é única, mas ela tem seu preço. Ao comprar um carro zero quilômetro, é esperada uma desvalorização média de 10% a 15% do valor do veículo logo ao sair da concessionária. Isso sem contar a desvalorização natural, que é registrada anualmente pela tabela FIPE.

Mas os carros usados também estão sujeitos a essa depreciação natural, viu? A grande diferença é que quem opta por um usado não sente o mesmo baque da desvalorização imediata que acontece no caso dos carros novos, porque isso já aconteceu lá atrás, no ato da primeira compra.

De toda forma, é fundamental cuidar muito bem do seu veículo, seja ele novo ou usado. Assim, você diminui ao máximo sua desvalorização, garantindo um bom negócio caso queira vendê-lo no futuro.

Faça test drives

Na hora de escolher o modelo do carro, de nada adianta ser bonito e espaçoso, mas não ser tão bom na hora de dirigir, apresentando problemas que podem comprometer seu conforto. Por essas e outras é que fazer um test drive é tão importante.

Na hora do teste, avalie tudo o que for possível, desde o tempo de partida a vibrações estranhas no volante e nos pedais, bem como ruídos inesperados e outros quesitos, como potência do motor.

Como não adianta muito fazer um test drive de poucos quilômetros, uma boa alternativa é alugar um carro do mesmo modelo e usá-lo por um período mais longo. Se você conseguir um veículo com uma rodagem maior, melhor ainda! Com isso, será possível avaliar como o tempo influencia no estado do carro.

E uma dica que vale igualmente para carros novos ou usados é: nada de se encantar com tudo o que o vendedor diz. Não se esqueça que ele está desempenhando seu papel ao tentar convencê-lo a fazer negócio. É mais que natural, portanto, que ele destaque apenas os pontos positivos.

Considere o valor da manutenção

Muitas pessoas preferem um carro novo para não terem que se preocupar tanto com sua manutenção. E isso é normal, visto que os veículos novos tendem a apresentar menos problemas. Desde que observadas as manutenções preventivas estabelecidas pelo fabricante, é bem provável que o dono de um carro novo rode tranquilo por um bom tempo.

No caso dos carros usados, o ideal é fazer uma revisão completa com um profissional de confiança antes mesmo de fechar negócio. Contudo, apesar de essa medida ser importante para garantir que o seminovo esteja em boas condições de uso no momento da compra, é preciso estar ciente de que, nesse caso, os problemas de manutenção podem surgir bem antes, comparando com os modelos novos.

Considere também a disponibilidade de peças e serviços para o modelo que deseja comprar, seja ele novo ou usado. Assim, você encontrará menos dificuldades quando precisar reparar seu veículo.

Avalie o valor do seguro para cada opção

Tendo em vista que o seguro automotivo é um serviço indispensável hoje em dia, ele também deve ser considerado ao escolher entre um carro novo ou usado.

Apesar de o modelo do carro e o perfil do motorista serem mais determinantes na cotação do seguro, o valor final da apólice costuma ser um pouco inferior para os carros novos. É claro que tudo isso também depende dos tipos de cobertura e serviços adicionais desejados.

Pesquise sobre a reputação do vendedor

Por mais que esse tópico não seja tão importante para quem opta por um veículo novo, é simplesmente primordial para quem escolhe comprar um carro usado. Anote aí: o negócio nunca deve ser fechado sem que você faça, antes, uma boa busca pelo histórico do vendedor e do veículo.

Tenha em mente que negociações entre pessoas físicas não têm tantas garantias. Nesse cenário, qualquer problema que surgir terá uma solução bem mais difícil, normalmente tendo que recorrer a processos burocráticos envolvendo advogados.

Além disso, o veículo pode ter sofrido alterações que comprometem sua qualidade ou ainda estar com pendências na documentação. Por fim, lembre-se de conferir se o número do chassi confere com aquele impresso no documento.

Calcule o preço do IPVA

O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) é o principal tributo com o qual os donos de carros precisam arcar anualmente. E a verdade é que entender como ele é calculado ajuda a fazer uma melhor escolha entre um carro novo ou usado.

Por se tratar de um imposto estadual, as alíquotas variam de acordo com a localização. No entanto, como elas sempre incidem sobre o valor venal do veículo, carros novos acabam pagando taxas maiores. Tenha isso em mente para não ser surpreendido no começo do ano!

Considere fazer um consórcio de veículos

Muitas pessoas que sonham em comprar um carro recorrem a financiamentos bancários, com toda sua burocracia e o pagamento de altas taxas de juros. Nessas horas, o consórcio de automóveis deve ser uma opção considerada.

Por meio do pagamento de parcelas mensais, o consorciado recebe ao final do período estabelecido uma carta de crédito, que lhe permite fazer a aquisição do veículo. Não há cobrança de juros nem a necessidade da comprovação de renda. Os únicos requisitos são ter organização financeira para honrar as parcelas e ter disponibilidade para esperar pelo bem por um tempo maior.

Com essas dicas, certamente será bem mais fácil escolher entre um carro novo ou usado. Só não esqueça que essa é uma decisão que deve ser tomada com cuidado, considerando o maior número de variáveis possíveis. Então nada de pressa!

E aí, pensou sobre cada um desses fatores para finalmente escolher entre um carro novo ou usado? Se você quer receber mais conteúdos como este em primeira mão, aproveite e assine já a nossa newsletter!

Nova chamada à ação

Comentários