Por que os carros 1.0 são mais econômicos?

Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Não é difícil perceber que os carros 1.0 têm grande adesão no mercado brasileiro. Basta uma saída à rua para ver que eles dominam o trânsito. O fato de serem os carros mais baratos no mercado tem grande influência nisso, claro, mas uma das maiores vantagens da categoria vem depois da compra.

Estamos falando da economia que os carros 1.0 oferecem para quem os utiliza — principalmente dentro de cidades. Quer entender melhor o que faz os modelos 1.0 gastarem menos que outras cilindradas? Então, continue com a leitura!

Quais são as diferentes cilindradas existentes?

Antes de falar sobre os carros 1.0, é interessante esclarecer o que esse número significa. Quando falamos em potência, as cilindradas do motor são o principal indicador de quanto você pode extrair de um carro quando precisa de velocidade.

A cilindrada (cc) é uma medida que determina o máximo da mistura de combustível e ar que um carro queima a cada movimento de pistões. Mesmo que você não se interesse em ir mais fundo na parte técnica, o importante é saber que, quanto maior esse número, maior a potência do motor.

No mercado é comum encontrar as seguintes cilindradas:

  • 1.0 (1.000cc): motor menos potente, mas que consome menos combustível quando está em funcionamento;
  • 1.4 (1.400cc): um degrau acima do 1.0, gasta mais combustível, porém, oferece mais potência em alguns cenários — como ao usar o ar-condicionado;
  • 1.6 (1.600cc): é o motor intermediário entre modelos mais econômicos e mais potentes, mantendo um pouco da economia de um lado e da agilidade do outro;
  • 1.8 (1.800cc): já entrega uma potência consideravelmente superior aos 1.0, mas com consumo também elevado — ideal para quem pega mais estrada que trânsito;
  • 2.0 (2.000cc): com o dobro de volume de queima do 1.0, entrega muita potência com um gasto considerável de combustível.

Como é o funcionamento dos carros 1.0?

Todo motor de carro à combustão funciona basicamente da mesma forma: com o processo de explosão movendo os pistões que dão energia ao conjunto para mover as rodas. Mas, apesar de ser o mesmo princípio desde o início do século XX, esse é um modelo que vem sendo aperfeiçoado constantemente.

Essa combustão, hoje, é otimizada para entregar o máximo possível de potência com o mínimo possível de consumo. Um exemplo está no número de cilindros utilizados — o local onde fica o pistão. Os modelos mais antigos utilizavam 4 deles, chamados de motores 1.0 de 4 cilindros.

Atualmente, as fabricantes conseguiram adaptar o 1.0 para apenas 3 cilindros, o que não significa menos potência. Pelo contrário, o que os modelos mais novos entregam é um aproveitamento melhor do combustível, proporcionando, ao mesmo tempo, mais potência e menos consumo.

Por que os carros 1.0 são considerados mais econômicos?

Não existe muito segredo nessa área: quanto menos cilindradas, mais econômico é o veículo. Mas o grande sucesso dos carros 1.0 mais baratos ao longo dos anos é buscar o melhor equilíbrio possível pela otimização do uso de combustível. Um grande exemplo são os modelos 1.0 da linha HB20 Nova Geração, que têm o motor Kappa com a configuração de 3 cilindros.

Portanto, quem quer gastar pouco com gasolina ou álcool pode apostar em carros 1.0 para diminuir custos do dia a dia, mantendo o conforto e a agilidade no transporte urbano. Basta escolher o modelo mais adequado para o seu bolso e o seu estilo de vida.

E aí, gostou das dicas deste artigo? Então, assine a nossa newsletter agora mesmo e fique por dentro de outros conteúdos relacionados ao mercado de autos!

Quer receber mais conteúdos como esses por email?

Cadastre-se para receber nossos conteúdos por email e tenha informações em primeira mão:

Representante das marcas Hyundai, Toyota e Mercedes-Benz, a Rodobens tem a melhor opção para você sair de carro 0KM.

Comentários