Quem demonstra preocupação com seu veículo procura protegê-lo da melhor maneira possível. E isso inclui a contratação de um seguro, que resguarda o motorista caso algo de ruim aconteça. Por mais que cuidados sejam tomados, todos estão sujeitos aos riscos que demandam o acionamento da cobertura.

    Embora isso seja algo que ninguém deseja, e um momento talvez desagradável, é importante saber como acionar o seguro de forma correta para evitar problemas ainda maiores. Por isso, veja como agir seguindo as dicas do nosso texto!

    Em quais condições é possível acionar o seguro?

    Nem sempre o seguro pode ou deve ser acionado. Antes de qualquer coisa, é importante entender qual cobertura foi contratada, já que a seguradora só cobrirá os incidentes descritos na apólice.

    Se o seguro não prevê a cobertura em caso de enchentes, por exemplo, não adianta acioná-lo. Do mesmo modo, nem sempre vale acionar a cobertura em danos menores, principalmente quando há a cobrança de franquia (o valor estipulado caso haja acionamento do seguro).

    Em um seguro com franquia de R$ 3 mil, caso o valor dos reparos supere esse limite, o restante é pago pelo próprio motorista. Entretanto, se o incidente resultar em uma conta menor do que o valor da franquia, talvez seja melhor consertar o veículo com dinheiro do próprio bolso.

    O que fazer para acionar o seguro?

    Conhecendo bem em quais condições o seu seguro ajudará você, é importante saber como agir em caso de sinistro, que é o termo referente às situações em que o seguro pode ser acionado. Os passos a serem seguidos vão depender do tipo de ocorrência.

    Colisões

    Em colisões, é essencial primeiro verificar se não há vítimas. Depois disso, registre um boletim de ocorrência. Ele é um documento importante, já que traz todos os fatos relatados pelos envolvidos no acidente.

    Com o boletim de ocorrência em mãos, reúna também seus dados pessoais e a estimativa de preço para o reparo, que deve ser obtida por meio de orçamentos em diferentes estabelecimentos.

    A seguradora informará qual é o procedimento necessário para o reparo do carro, bem como eventuais documentos adicionais que comprovem a situação do veículo.

    Roubo ou furto

    Se o sinistro for um roubo ou furto, também será necessário registrar o caso em um boletim de ocorrência, descrevendo, com o máximo de detalhes, a situação em que o veículo foi levado. Em alguns estados, se não houver ocorrido o uso de violência, o processo pode ser feito pela internet.

    O passo seguinte é o mesmo de acidentes: entrar em contato com a seguradora, que tem até 30 dias para pagar a indenização prevista em contrato. Caso o valor seja pago e o veículo for encontrado, ele passa a ser posse da seguradora.

    Para aqueles que contam com rastreadores no veículo, é importante fazer a comunicação do ocorrido o quanto antes, a fim de aumentar a chance de recuperação do automóvel.

    Além de manter a tranquilidade, saber como acionar o seguro é essencial para ter a cobertura garantida se algo de ruim acontecer. Por isso, guarde bem essas informações!

    Tem outras dúvidas sobre seguros? Esclarecemos as principais na nossa seção de perguntas frequentes. Confira!