Como comprovar renda? Veja o procedimento para diferentes naturezas de ocupação

Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Carla é uma mulher independente, empreendedora e autônoma que recebeu uma ótima notícia: foi contemplada em seu consórcio e agora pode comprar seu carro zero! Os planos saíram como ela esperava e sua compra programada está se concretizando. Então, a administradora solicita um documento para ter como comprovar renda. E agora?

Assim como Carla, muitas pessoas precisam comprovar renda em diferentes instituições para fins bem distintos. Em alguns casos, a solução é simples, bastando apresentar um contracheque. Em outras situações, é preciso buscar outros tipos de documentos — mas pode ser bem mais fácil do que se imagina.

Preparamos este artigo para você entender o que cada tipo de profissional pode apresentar para comprovar renda. Continue a leitura e saiba mais!

O que é um comprovante de renda?

O comprovante de renda é um documento apresentado a terceiros para atestar o seu volume de ganhos mensais, seja um salário fixo, sejam proventos variáveis. Por meio dele, empresas, Governo, bancos e demais instituições financeiras podem avaliar a capacidade do cliente de arcar com pagamentos ou ter acesso a serviços e benefícios.

Esse registro precisa ser produzido ou validado por terceiros, ou seja, não pode ser gerado pelo próprio usuário, pois, dessa forma, não haveria garantias de sua veracidade. Por isso, os comprovantes podem vir da Receita Federal, de bancos, empresas empregadoras, órgãos públicos, contratos, entre outros.

Dependendo da necessidade, o solicitante pode usar holerites, extratos de FGTS, pró-labores, extrato de conta bancária, extrato do INSS, entre outros documentos. No geral, a comprovação de renda não ocorre apenas com um único documento. Assim, pode ser necessário utilizar vários para atestar não somente o nível de rendimentos que o cliente recebe mensalmente, mas também sua estabilidade financeira.

Quando é necessário comprovar a renda?

O comprovante de renda pode ser necessário em diferentes situações, especialmente em operações de solicitação de crédito. Confira algumas das possibilidades!

Aumentar limite de cartão de crédito e outros serviços bancários

Nesse caso, o banco quer saber se você tem condições de pagar as faturas do cartão de crédito ou honrar com o cheque especial, por exemplo. O objetivo é que o limite de crédito fornecido seja compatível com a renda comprovada.

Alugar imóveis

A administradora ou o proprietário do imóvel deseja ter certeza de que o futuro inquilino tem como cumprir com o valor mensal do aluguel, reduzindo as chances de inadimplência e outros tipos de riscos.

Empréstimos e financiamentos com melhores taxas

Quando uma instituição financeira fornece um empréstimo, ela precisa lidar com o risco de inadimplência. Quanto maior for o risco, maiores são as taxas de juros. Por isso, empréstimos sem comprovantes apresentam taxas mais altas. Além disso, será preciso decidir o volume do dinheiro repassado, o que é analisado com base na renda do cliente.

Aquisição do bem em consórcio após a contemplação

O comprovante de renda é um dos documentos importantes na análise de crédito em consórcios para a liberação da carta de crédito. Ele dá uma segurança maior à administradora e aos demais consorciados de que o contemplado continuará pagando as parcelas mesmo após a aquisição do bem.

Como comprovar renda em regime CLT?

Profissionais assalariados, ou seja, que têm carteira assinada, podem comprovar a renda com:

  • cópia da carteira de trabalho corretamente preenchida e atualizada, com ajustes salariais, contrato de trabalho atual e qualificação civil;
  • holerites (contracheques) dos três últimos meses, que podem atestar remunerações que vão além do que está na carteira, como recebimento de comissões e participação nos lucros da empresa.

Esses registros são normalmente apresentados juntos. Caso o trabalhador tenha remuneração variável, pode ser necessário apresentar comprovantes de pagamento que digam respeito a um número maior de meses. Existe também a possibilidade da apresentação da Declaração de Imposto de Renda atualizada.

Como comprovar renda sendo autônomo?

Profissionais autônomos e liberais, como advogados, nutricionistas, professores particulares e vendedores, podem apresentar:

  • extratos bancários dos últimos 6 meses, pelo menos;
  • última Declaração de Imposto de Renda da Pessoa Física (DIRPF), emitida anualmente com os dados sobre a renda total e seus bens no ano anterior — mas, como a DIRPF não informa exatamente a renda atual, podem ser solicitados outros documentos;
  • Declaração Anual de Faturamento do Simples Nacional (DASN-SIMEI), que é emitida pelo Microempreendedor Individual (MEI), pois serve de comprovante dos rendimentos anuais desse autônomo já formalizado;
  • Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos (Decore), emitida por um contador com base em diferentes documentos, como DIRPF, recibos de aluguéis e outras fontes de renda;
  • contratos de prestação de serviços com os valores recebidos.

Quando analisamos os diferentes tipos de documentos que podem ser utilizados, vemos a importância de manter um bom planejamento financeiro para autônomos. Aqueles que mantêm uma boa gestão financeira têm maior facilidade em comprovar renda.

Então, se você for autônomo ou trabalhador informal e ainda não tem uma conta bancária exclusiva para seu negócio, ou não tem o hábito de emitir e arquivar seus recibos, recomendamos que comece a fazer isso quanto antes. Quanto maior sua formalização, melhor. Assim, quando for necessário comprovar renda, você não enfrentará transtornos.

Como comprovar renda enquanto empresário?

O empresário também conta com diferentes documentos para comprovar sua renda. Algumas administradoras podem solicitar o pró-labore, uma espécie de holerite do empresário. Além disso, é possível apresentar:

  • Contrato Social e/ou Declaração de firma individual;
  • cartão do CNPJ juntamente ao Quadro Societário (QSA);
  • Decore.

Como comprovar renda sendo aposentado ou pensionista?

O aposentado e o pensionista podem apresentar:

  • cópia do cartão de benefício;
  • último extrato de pagamento;
  • extratos bancários dos últimos 3 meses;
  • extrato trimestral do INSS ou Instituição Pagadora;
  • recibos de pensão dos 3 últimos meses completos.

Como comprovar renda como produtor rural?

Os produtores rurais também podem comprovar sua renda de diferentes formas:

  • notas e contra-notas rurais;
  • declaração de bens e direitos;
  • Declaração de Imposto de Renda atualizado;
  • Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR), obtido no sindicato rural do município ou, em alguns casos, na prefeitura.

Entendeu como comprovar renda, independentemente da sua situação profissional? Mesmo sem um vínculo empregatício formal, a emissão dos comprovantes é bem fácil. Mas reiteramos que é importante manter uma boa organização das finanças e dos registros. Assim, quando precisar, como em contemplação de consórcio, seus documentos estarão sempre à mão.

As informações foram úteis para você? Então, que tal compartilhar nas suas redes sociais e ajudar seus contatos na comprovação de renda?

Quer receber mais conteúdos como esses por email?

Cadastre-se para receber nossos conteúdos por email e tenha informações em primeira mão:

Use seu imóvel para tirar seus planos da gaveta

Comentários