Como escolher o consórcio ideal?

Maio 2015

6 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

O consórcio é uma modalidade de investimento cada vez mais em alta. A grande vantagem dele é que, ao contrário dos financiamentos, não há incidência de altas taxas de juros. Isso acaba fazendo com que o valor das parcelas seja menor. Mas também é preciso pesquisar para saber qual consórcio tem a menor taxa de administração, já que isso também pesa na escolha.

Na hora de escolher o consórcio ideal, é bom ficar de olho nesses e em vários outros fatores importantes. Você quer saber quais são? Trouxemos para o post de hoje algumas dicas que certamente ajudarão nessa jornada. Confira agora mesmo tudo o que você precisa levar em conta para fazer sua escolha!

Dê muita atenção ao contrato

Antes de fechar negócio com qualquer administradora, leia e conheça cada detalhe do contrato. Nele devem constar todas as informações referentes ao consórcio, como:

  • os valores das parcelas;
  • o índice de reajuste;
  • os prazos;
  • as regras dos lances;
  • as normas gerais;
  • as taxas cobradas.

Antes de bater o martelo, é essencial que você tenha ciência do que está sendo oferecido e também conheça seus direitos e deveres.

Procure conhecer a administradora

Conhecer o contrato e todos os detalhes que ele traz é uma medida fundamental antes de fechar qualquer negócio. Além de entender as cláusulas, também é fundamental conhecer a administradora na hora de contratar um bom consórcio.

Procure uma empresa que apresente um histórico positivo e que seja transparente em suas relações com os clientes, fornecendo informações claras a respeito do que oferece. Entre em contato pelas redes sociais e pelo blog institucional e veja como a empresa responde a suas questões. Existe uma boa disponibilidade? Sinal de que ela está aberta à conversa.

Para saber se uma empresa é autorizada a negociar consórcios, consulte a lista disponibilizada na internet pelo site do Banco Central. Também é interessante fazer uma pesquisa online para saber como anda o índice de reclamações contra a administradora.

Tudo isso vai dar a você uma visão completa sobre o respaldo da empresa no mercado e junto a seus clientes. Afinal de contas, você não vai se comprometer com algo tão importante sem observar quem é sua parceira de negócios, não é mesmo?

Fique de olho nos prazos oferecidos

As administradoras de consórcios podem oferecer diferentes opções de prazos. Na hora de escolher a duração do seu contrato, lembre-se de um detalhe: quanto maior for o tempo, menores serão as parcelas. Por isso, pense no que é mais vantajoso para seus planos: concluir rapidamente o consórcio ou pagar menos por mês?

Se você realmente precisa do bem mais com rapidez, o ideal é optar por um prazo menor. Mas atenção: sempre limite a parcela ao valor máximo que cabe no seu bolso, ok? Por outro lado, se não tiver pressa, a melhor opção é escolher um consórcio mais longo. Nesse caso, as parcelas serão bem menores.

Confira a forma de pagamento

Sabia que também pode haver diferença na forma de pagamento das parcelas? Isso mesmo! As empresas podem oferecer, por exemplo:

  • a opção de parcelas lineares, com valores aproximados durante todo o período de pagamento do consórcio, que traz a vantagem de se conhecer o valor médio que será pago até o fim do prazo;
  • a opção de parcelas decrescentes, com valores que vão diminuindo de acordo com o tempo de pagamento, que traz vantagens para quem até está em condições de pagar mais logo de início, mas não tem muita certeza sobre seu futuro financeiro.

Além disso, avalie se existe a possibilidade de adiantar o pagamento das parcelas e veja como isso pode ser feito. Essa é uma boa alternativa para evitar os reajustes e quitar o consórcio mais rápido.

Avalie a taxa de administração

Lembra que falamos no começo do post que os consórcios não sofrem a incidência de taxas de juros? O que acontece é que isso não significa que a modalidade seja totalmente isenta de quaisquer outras cobranças.

Existe a taxa de administração, que, na prática, é o pagamento que a administradora recebe para arcar com suas despesas de funcionamento, pagando funcionários, organizando assembleias, administrando o fundo comum e assim por diante.

A diferença desse valor entre as administradoras pode ser bem grande. E como ela pesa exatamente sobre as parcelas, é bom fazer essa análise antes de fechar negócio. Para garantir que você está fazendo uma boa escolha, avalie o contrato. É lá que você vai conhecer o percentual da taxa. Afinal, qual consórcio tem a menor taxa de administração?

Só fica aqui uma dica: priorize a avaliação da administradora! Não escolha uma empresa desconhecida, sem tempo de mercado e sem proximidade com os clientes, só porque a taxa cobrada é menor. Sua segurança vale mais!

Veja se há cobrança de fundo de reserva

Esse é outro ponto muito relevante. Em alguns consórcios, pode estar previsto o pagamento de um valor chamado de fundo de reserva. Ele é utilizado para cobrir alguns imprevistos (que inclusive devem estar especificados no contrato), como a manutenção do grupo em caso de inadimplência ou desistência de algum dos consorciados.

O valor da taxa do fundo de reserva também pode variar de uma empresa para outra e até mesmo de acordo com as características de cada contrato, seja pelo número de participantes do consórcio ou do prazo para pagamento total. Em alguns consórcios, aliás, pode nem haver cobrança de fundo de reserva, o que vai baratear o valor das parcelas.

Por essas e outras, é preciso dar bastante atenção a esse ponto. Mais que isso, inclusive, pergunte se há mais alguma cobrança, como taxa de adesão. 

Cheque os tipos de lance disponíveis

Nem todos os tipos de lances são aceitos em todo consórcio. Além disso, os valores também mudam. De modo geral, os lances podem ser:

  • fixos, que equivalem a um percentual determinado sobre o valor total do crédito contratado, sendo normal que, nesse caso, o valor permitido esteja entre o percentual mínimo e máximo que a administradora determina;
  • livres, com valor totalmente à escolha do consorciado, sendo que a administradora só determina um percentual mínimo que deve ser respeitado, independentemente da sua escolha;
  • embutidos, em que se usa uma parte do valor da carta de crédito para aumentar suas chances de contemplação. Como eles nem sempre são permitidos, pergunte sobre essa possibilidade e veja quais são as condições para lançar mão desse recurso.

Mais uma vez, portanto, é preciso ficar atento ao contrato. Afinal, todas as regras referentes aos lances devem estar explícitas nele.

Tenha um bom planejamento financeiro

Essa é uma dica que não está diretamente relacionada com a escolha do consórcio, mas que nem por isso deixa de ser importante. Na hora de decidir se vai mesmo se tornar um consorciado, é preciso levar esse ponto em consideração.

Um bom planejamento ajuda a controlar e honrar com os compromissos financeiros assumidos. Com ele, você consegue relacionar todas as suas receitas e despesas, controlando melhor as contas que têm para pagar.

Lembre-se de que, em qualquer consórcio, sempre será uma vantagem ter aquele dinheirinho extra guardado para oferecer lances e aumentar sua chance de ser contemplado nas assembleias.

Escolha o consórcio ideal para você

Parece tentador fazer o consórcio de um carro importado ou de um SUV, não é? Bom, se você tem uma família grande, precisa ou quer mesmo um modelo assim, ótimo! Mas veja se você realmente pode incluir as parcelas no seu planejamento financeiro e não se comprometa com algo mais caro que suas possibilidades. A ideia é que você comece e termine seu contrato sem problemas, com seu carro na garagem, sem passar aperto.

O mesmo vale para um consórcio de imóveis, de serviços ou de qualquer outro tipo! Sabe o que é o ideal mesmo? Que você analise do que realmente precisa e depois procure o consórcio que se encaixa direitinho nessa necessidade.

Imagine que a ideia seja comprar um imóvel. Nesse caso, confira questões como:

Sabendo disso, você pode pesquisar quanto custa um imóvel com essas características e, a partir daí, encontrar o consórcio certo! Pense bem: se você escolher um valor muito baixo, não vai conseguir comprar o que precisa. Caso opte por um contrato caro demais, pode prejudicar suas finanças. Então foque no tamanho exato das suas necessidades!

Escolher um consórcio não é uma tarefa tão simples quanto parece, mas também não precisa ser complicada! Basta tomar os devidos cuidados. Aí são diversos os fatores a que você precisa prestar atenção. Então nada de olhar somente para o valor das parcelas, combinado? 

De toda forma, esperamos que com essas dicas de hoje você possa tomar uma decisão acertada, que atenda a suas necessidades. Veja os detalhes do contrato, avalie se existe cobrança de fundo de reserva e pesquise qual consórcio tem a menor taxa de administração. É só seguir as dicas que demos aqui para acertar em cheio!

Antes, porém, entre em contato com a Rodobens! Assim você tira uma ou outra dúvida que ficou para trás, podendo finalmente contratar seu consórcio sem titubear!

 

Nova chamada à ação

 

Comentários