Como funciona a contemplação em consórcios?

Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Por serem opções bastante vantajosas em relação a qualquer forma de aquisição de bens, os consórcios de carros e imóveis fazem grande sucesso no país. Vale destacar que o sistema de consórcio é regido e fiscalizado pelo Banco Central do Brasil. Assim, as administradoras devem ter a autorização da entidade para atuar.

Independentemente do bem ofertado, do prazo para a quitação das mensalidades, do número de cotas de cada participante, do valor do bem ou de quaisquer outros detalhes, é com a carta de crédito que o consorciado pode adquirir seu bem. A esse processo, se dá o nome de contemplação em consórcios. Quer saber como ela funciona? Então, não deixe de conferir o conteúdo!

Oportunidades iguais e regulares

As oportunidades de contemplação são iguais para todos os consorciados. Elas acontecem a cada mês durante as assembleias — que podem ser presenciais ou transmitidas online. Para participar, a única exigência é que o consorciado esteja com as mensalidades em dia.

Todos os detalhes sobre a contemplação e demais pontos relativos ao consórcio estarão definidos no contrato de adesão. Por isso, é fundamental que o consorciado leia atentamente o documento e tire todas as dúvidas antes mesmo de assinar.

As formas de contemplação em consórcios são duas: sorteios e lances. Confira como funciona cada uma delas!

Sorteios

O sorteio é a forma mais usual de contemplação em consórcios e conta com a participação de todos. Neles, existem dois números, referentes ao grupo e à cota. Para realizá-los, a regra é usar bolinhas numeradas, que são colocadas dentro de globos giratórios.

A quantidade de bolinhas dependerá do número de participantes. Contudo, é preciso que a administradora disponha de dinheiro suficiente para a compra do bem.

Lances

Os lances devem ser ofertados antes da realização do sorteio. Para se preparar para esse momento, o consorciado deve poupar e, de preferência, se informar sobre como os valores do lance variam nas assembleias.

Para tanto, é possível questionar os consorciados já contemplados com lances no mesmo consórcio. Na Rodobens Consórcio, os participantes contam com uma área exclusiva para acompanhar o extrato do seu grupo e cota.

No lance, há um valor mínimo para oferta, definido pela administradora e expresso no contrato. Ele não pode ser superior ao montante total das mensalidades a vencer, já que o valor é descontado das parcelas restantes. É importante calcular esse lance mínimo para a contemplação nas assembleias de um consórcio.

Trata-se de fazer uma estimativa sobre valores que conseguiram vencer nas reuniões anteriores, de modo a facilitar o planejamento. Mas atenção: não há garantias de que um lance mínimo vencedor na assembleia anterior seja suficiente na seguinte. Tampouco é possível afirmar que os lances baixos vão se repetir ou se só acontecerão os de valor mais elevado.

No entanto, certos períodos costumam ter menos competitividade, como no início do ano. Isso se deve aos gastos com o Natal e carnaval e ao pagamento de IPTU e IPVA. O mês de dezembro, por outro lado, costuma ter mais concorrência, em vista do 13º salário.

Diferentes tipos de lance

Agora que você já conhece as formas de contemplação em consórcios, veja, a seguir, os tipos de lance normalmente permitidos!

Lance comum ou livre

Antes da data do sorteio, o consorciado deve avisar à administradora que deseja dar um lance e informar qual será seu valor — ou seja, quanto pretende oferecer além da mensalidade. O lance comum ou livre costuma ser equivalente à quantidade de parcelas que o consorciado pode adiantar. Assim, quem oferece o maior número de mensalidades acaba sendo contemplado.

Lance fixo

Lance fixo, como o próprio nome já indica, equivale a um percentual definido previamente por todo o grupo. Em geral, ele corresponde a 25%, 30% ou 50% do valor do bem. Assim, caso o consorciado possa oferecer esse lance, terá chances de ser contemplado de modo mais rápido, pois a pedra chave é usada para fazer uma espécie de sorteio entre as pessoas que ofereceram o lance fixo.

Lance embutido

No lance embutido, o consorciado usa um percentual do valor da carta de crédito, sendo que o montante ofertado será descontado da carta. Vale dizer que o lance embutido pode ser uma estratégia em lances fixos e livres. Nessa modalidade, é preciso saber a quantia máxima que o contrato permite para cada consorciado.

Assim, considerando o consórcio de um imóvel no valor de R$200 mil, se o consorciado ofereceu 15% de sua carta de crédito (lance embutido) mais 35% de seu próprio bolso, deu, no total, um lance de 50%. Considerando que tenha dado o maior lance, será contemplado com uma carta de crédito no valor de R$170 mil (15% de R$200 mil é igual a R$30 mil).

Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS)

Por último, importante lembrar da possibilidade de fazer lances com recursos do FGTS, mas somente no caso de consórcios de imóveis residenciais. Esses lances devem ser feitos conforme as normas do Conselho Curador do FGTS, da Caixa Econômica Federal e, claro, do contrato.

Dicas para ser contemplado

Confira, agora, dicas para aumentar sua probabilidade de contemplação em consórcios!

Fazer um planejamento financeiro

A primeira é ter um planejamento financeiro. Afinal, trata-se de um grande aliado na hora de se organizar para conseguir quitar parcelas antes do vencimento. Nesse sentido, recomenda-se fazer um controle de gastos mais rígido por meio de uma planilha, já que eles extrapolarão o que estava incluído inicialmente no orçamento mensal.

A ideia é que você consiga visualizar custos que possam ser cortados e redirecionados para isso, além de investimentos e saldos em poupança que permitam resgate.

Avaliar a entrada

Outra dica para ser contemplado é verificar a possibilidade de entrar em um grupo de consorciados que já está em andamento. Isso, porque, nesse caso, há vários integrantes que já foram contemplados e que não estarão mais em busca da carta de crédito.

Por outro lado, é importante avaliar as características desse consórcio, verificando as condições de participação e lances antes mesmo de entrar. Assim, você poderá se assegurar de que os valores mínimos são equivalentes ao que você pode ofertar a partir do planejamento financeiro.

Manter a cota em dia

Manter a cota em dia também é requisito fundamental para ser contemplado. Afinal, pagando as parcelas com regularidade, você não só cumpre com o que foi estabelecido em grupo, como permite que a contemplação aconteça sempre a partir do seu suporte financeiro.

Outra vantagem de manter as contas em dia é a possibilidade de participar das assembleias, já que estar com as cotas quitadas é requisito para a presença do consorciado. 

Vale lembrar que essas reuniões podem decidir pelo representante do grupo, que será o responsável por fiscalizar as ações da administradora na gestão dos recursos. Caso surja um imprevisto, portanto, não deixe de negociar os débitos com a administradora.

Conhecer o grupo

Conhecer o grupo de que você participa também é fundamental para prever ações que possam ajudar na contemplação. Saber de detalhes como o número médio de contemplações feitas no mês, o valor dos lances vencedores e as parcelas oferecidas pelos contemplados é algo que permite se planejar de maneira mais eficaz para atender aos critérios.

Para tanto, peça para a administradora o extrato de contemplações do grupo consorciado. Assim, será possível conhecer melhor as ações e se reorganizar financeiramente para dar bons lances.

Pagar por meio de lance embutido

Pagar por meio de lance embutido é outra estratégia para ser contemplado. Nesse caso, como vimos, se oferece um percentual do plano contratado para compor o lance. Se o consorciado for contemplado, o valor oferecido é descontado do valor a receber.

Contemplação em consórcios

Definidas as formas de contemplação, basta saber como o consorciado deve agir com a carta de crédito em mãos. Em primeiro lugar, vale destacar que, para a liberação do crédito, serão exigidos alguns documentos que garantam o pagamento das mensalidades restantes.

O contemplado no consórcio poderá escolher, por exemplo, um imóvel mais caro ou mais barato, desde que complete a diferença ou use o saldo para pagar as mensalidades do consórcio. Também tem o direito de se decidir por uma casa ou apartamento ou, até mesmo, um imóvel usado, seja na cidade, no campo ou na praia. No caso dos veículos, também terá liberdade para adquirir um modelo diferente ou usado.

Depois que o consorciado contemplado escolhe seu carro ou imóvel, a administradora o orientará sobre como proceder e efetuará o pagamento diretamente ao vendedor— em geral, por meio de depósito em conta. Ainda assim, não custa nada entender melhor como a contemplação em consórcios funciona, não é mesmo? Os principais pontos são os que listamos a seguir. Acompanhe!

Apresentação de garantia

Para que o crédito seja efetivamente liberado, a administradora do consórcio precisa avaliar seu cadastro. Nesse momento, você deve apresentar algumas garantias ao grupo do qual participa. Pode ser exigido um fiador, por exemplo — caso seja, também será preciso fornecer a documentação dessa pessoa. Vale lembrar que não podem ser fiadores:

  • os cônjuges;
  • pessoas com restrições bancárias (nome no Serasa e SPC, por exemplo);
  • menores de 18 anos;
  • maiores de 65.

Após a análise, a aprovação das garantias e a escolha do bem a ser adquirido, a carta de crédito será liberada em poucos dias.

Levantamento de documentos pessoais

A documentação pode variar conforme o bem (veículos, imóveis etc.). Ainda assim, há documentos que costumam ser pedidos em todos os casos, a exemplo dos seguintes:

  • ficha cadastral preenchida e assinada;
  • cópia de comprovante de residência atualizado em nome do consorciado;
  • cópia de RG ou CNH;
  • CPF ou CNPJ.

Comprovação de renda

Dependendo do percentual pago na cota, independentemente de ser pessoa física ou jurídica, o contemplado deve apresentar sua última declaração de Imposto de Renda (incluindo o comprovante de entrega). Trabalhadores com carteira assinada ou profissionais liberais devem apresentar os três últimos contracheques e cópias de algumas páginas da CLT, além de foto, registro de trabalho mais recente e qualificação civil.

Já os aposentados podem comprovar renda apresentando seu último extrato de pagamento da aposentadoria e cópia do cartão de benefício. Produtores rurais, empresários e autônomos também devem apresentar a declaração do Imposto de Renda.

Homologação dos documentos

Além dos documentos básicos já citados, diferentes tipos de consórcios pedirão documentos específicos. Conheça, então, o que é demandado nos dois principais tipos de consórcio!

Veículos

Automóveis muito similares podem ter especificações diferentes, já que cada montadora produz diversas variações de seus modelos. Portanto, no consórcio de veículos, é fundamental identificar corretamente todos os detalhes, como modelo, marca, cor e ano de fabricação. Além disso, carros usados também necessitam de avaliação do número do chassi e realização de vistorias por perícia.

Imóveis

No caso do consórcio de imóveis prontos, podem ser exigidas certidões específicas que atestem a legalidade do bem, como: matrícula atualizada do imóvel, certidão negativa de tributos municipais, instrumento particular com força de escritura pública e certidão de valor venal.

Já para quem vai investir na construção de um imóvel, os documentos são outros. Nesse caso, entram: alvará, cronograma das atividades de construção, memorial descritivo da obra e planta aprovada pela prefeitura.

Sem dúvidas, saber como funciona a contemplação em consórcios é fundamental quando se deseja entrar em um grupo. Isso permite prever ações que acelerem o recebimento do crédito. Após a contemplação, no entanto, o consorciado também deve estar atento a algumas etapas para ganhar agilidade no processo. Afinal, as condições para a liberação do crédito podem variar de uma administradora para outra.

Por essa razão, inclusive, é importante acompanhar tudo o que está contido no contrato. Além disso, mesmo depois da contemplação em consórcios, é preciso continuar quitando as mensalidades. Para evitar complicações ou riscos desnecessários, o ideal é sempre se informar com antecedência, tirando todas as suas dúvidas junto à administradora.

Gostou das nossas dicas? Caso tenha ficado com alguma questão sobre o processo de contemplação ou queira conferir oportunidades de consórcio, não deixe de entrar em contato com a equipe da Rodobens!

 

Confira um guia completo sobre o consórcio Rodobens

Quer receber mais conteúdos como esses por email?

Cadastre-se para receber nossos conteúdos por email e tenha informações em primeira mão:

Consórcio de Imóveis

A chave da sua casa nova mais perto de você.

Comentários