5-dicas-de-como-ganhar-dinheiro-em-casa-de-forma-pratica.jpg

7 dicas de como ganhar dinheiro em casa de forma prática

Dezembro 2017

5 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Às vezes, para alcançar os sonhos, a gente tem que fazer um esforcinho extra. O salário do emprego formal nem sempre consegue cobrir todas as despesas e, ainda por cima, deixar espaço para poupar! Mas e se disséssemos que é possível ganhar dinheiro em casa? Essa não seria uma ótima forma de complementar a renda familiar?

Saiba que tem muita gente conseguindo realizar seus sonhos trabalhando nas suas horas livres, de casa mesmo. Aliás, cabe dizer que existe até quem largue o emprego de carteira assinada para se dedicar ao trabalho home office, melhorando a qualidade de vida e, às vezes, recebendo até melhor, viu?

Ficou interessado em saber como você pode trabalhar de casa e conquistar independência financeira? Confira agora mesmo as 7 dicas que separamos para servir de inspiração!

1. Fazer trabalho freelancer

Você tem experiência com quê? Aproveite seus conhecimentos — que você aprendeu ao longo da vida ou na sala de aula — para conseguir uns trabalhinhos extras! A dica é que na internet há muitas formas de fazer isso.

Quer um exemplo? Cada vez mais empresas têm apostado no marketing de conteúdo, gerando uma demanda significativa por materiais interessantes para seus clientes. O objetivo é se aproximar do público, criando uma relação de confiança e, ao mesmo tempo, passando autoridade sobre seu mercado de atuação.

Então, se você entende bem sobre determinado assunto, é bom saber que você pode, sim, falar a respeito e ainda ganhar por isso.

Mas não é apenas escrever que conta. Há uma procura considerável de profissionais para diversas atividades, como:

  • revisão de textos;
  • diagramação de textos;
  • artes gráficas;
  • tradução de conteúdo de (e para) línguas estrangeiras;
  • elaboração de apresentações de slides (tipo PowerPoint ou Prezi) etc.

Por onde começar a procurar?

Não é difícil achar opções pela web. Existem plataformas especializadas em produzir textos e outros materiais para alimentar blogs institucionais, atuando com a ajuda de freelancers. 

Além disso, alguns sites são especializados em fazer a ponte entre os freelances e as empresas interessadas no serviço. Quer alguns exemplos? Confira o Workana, o Freelancer o 99 freelas e o GetNinjas.

2. Prestar consultoria na sua área

Outra dica é ensinar outras pessoas aquilo que sabe. Você tem formação superior em uma área específica ou já acumulou bastante experiência em determinado setor? Que tal ajudar outros profissionais e empresas a melhorarem continuamente?

Ofereça serviços de consultoria online! Você pode preparar um material de apresentação, fazer uma fanpage no Facebook e um canal de vídeos no YouTube. Assim, vai demonstrando seus conhecimentos e ganhando clientes!

O melhor é que, à medida que consiga espaço e ganhe destaque, seu valor agregado aumenta — e, consequentemente, eleva o retorno financeiro do trabalho.

3. Oferecer cursos e videoaulas

Já que estamos falando de repassar conhecimento, há quem precise daquela ajudinha sobre Excel, Corel Draw, Photoshop ou até de aulas personalizadas das matérias mais difíceis do colégio ou da faculdade. Da mesma forma que a consultoria, você pode trazer a solução para esses problemas!

Mas fique de olho: já existe muito material gratuito sobre tudo quanto é assunto por aí. Portanto, uma forma de se diferenciar é oferecer aulas virtuais, em videoconferência com o aluno, ensinando de forma personalizada e focando no que ele tem mais dificuldade. Pense bem: se fosse você precisando de ajuda, esse não seria um ótimo recurso?

Essa atuação individualizada dá um pouco mais de trabalho e toma tempo. Mas, em contrapartida, também gera uma renda melhor. E tem muita gente disposta a pagar por serviço de qualidade! Isso pode dar um bom gás no seu planejamento financeiro.

4. Dar aulas de reforço

Se você não domina tanto um assunto mais específico ou técnico, que tal recorrer às velhas e boas aulas de reforço? O lado bom é que isso independe da sua formação. 

É possível, por exemplo, ajudar jovens do ensino médio e fundamental com suas tarefas escolares ou estudantes universitários com disciplinas e conteúdos que você conhece bem.

5. Vender produtos em um marketplace

Os marketplace vêm ganhando bastante espaço. São aquelas lojas que pessoas e empresas usam para vender seus produtos na internet. Submarino e Dafiti são exemplos.

O bom dessa alternativa é que ela oferece toda uma infraestrutura pronta, aceitando recebimentos com cartão, boleto e transferência bancária, sem que você tenha que comprar maquininhas nem nada do tipo. Além disso, você pega carona nas campanhas de divulgação sem pagar nada e aproveita que o marketplace já tem um nome no mercado.

Por outro lado, você precisa repassar um percentual das vendas para remunerar o site. Isso significa que seus produtos podem sair mais caros ou que sua margem de lucro vai diminuir.

Onde fazer isso?

Além das lojas como as que citamos, há também o Mercado Livre, plataforma onde você pode vender vários tipos de produto e o Elo7, que permite que artesãos vendam itens exclusivos. Também tem o Enjoei, que é como um brechó online, e a famosa Olx

As opções são muitas, não é mesmo? Basta procurar por aquela que case melhor com o que você pretende oferecer. E ainda dá pra marcar presença em mais de uma e aumentar as chances de sucesso.

6. Montar sua própria loja virtual

"Mas eu sei bastante sobre blogs e acho que consigo montar um site". Ótimo! Se você tem conhecimento suficiente para usar sites prontos ou até criar o seu do zero, pode montar sua própria loja virtual!

Existem diversas ferramentas que facilitam esse processo, como o Wix e o WordPress. No geral, você vai precisar:

  • registrar um domínio — endereço na web, como www.seudominio.com.br;
  • pagar um serviço de hospedagem para manter o site 24 horas por dia no ar;
  • criar o layout ou contratar um webdesigner profissional que o faça.

A partir daí, o caminho é cadastrar os produtos para vender aos interessados, independentemente de onde estiverem!

Quanto mais você oferecer condições de pagamento variadas (crédito e débito, inclusive) e opções de frete, mais profissional pode ser seu site, especialmente se a ideia for promissora!

Mas não se preocupe em ter um site gigante, como se fosse uma loja profissional. O importante mesmo é começar! Depois do pontapé inicial, tudo fica mais fácil.

7. Usar suas redes sociais para divulgar produtos e serviços

Agora, se você não quer ter um site próprio e nem pretende vender seus produtos em um marketplace, fugindo do comissionamento, ainda tem mais uma dica interessante: aproveite o poder das redes sociais!

Muita gente utiliza o Facebook e o Instagram para divulgar artesanato, mercadorias de catálogo, itens feitos à mão e até serviços como manicure e decoração de festas. Aproveite sua rede de contatos e peça divulgação.

Quanto mais gente compartilhar os posts, maior será o alcance do seu trabalho. E isso sai bem mais em conta que o marketing tradicional (como panfletos, folders e coisas parecidas). Unindo essa força a produtos de qualidade, com certeza você consegue uma boa grana!

Gostou das nossas dicas para ganhar dinheiro em casa? Com elas, você pode complementar sua renda formal, juntar dinheiro para realizar seus projetos ou até quitar algumas dívidas.

Se você achou interessante, compartilhe essas ideias em suas redes sociais! Quem sabe você não encontra um sócio para essa empreitada ou fica sabendo de outras dicas igualmente valiosas? Boa sorte e sucesso nos negócios!


 

Comentários