Saiba como viajar gastando pouco sem abrir mão do conforto

Junho 2017

4 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Fazer uma viagem com a família nas férias, comemorar a formatura em uma praia com a turma ou celebrar o casamento em outro país: para que esses sonhos se tornem realidade, é preciso dedicação. E o trabalho começa lá atrás, ainda no planejamento. Afinal de contas, especialmente em tempos de crise, o investimento necessário tende a ficar um pouco mais inacessível. A boa notícia é que dá sim para viajar gastando pouco, desde que sejam adotadas algumas práticas para tornar seu passeio economicamente viável.

É justamente sobre essas estratégias de economia em viagens que vamos falar agora. Ficou curioso? Então acompanhe e já comece a arrumar as malas!

Antecipe a compra das passagens

A passagem aérea é um dos itens que mais pesa no orçamento do turista. Exatamente por isso, sua compra só deve ser realizada após uma longa pesquisa de comparação de preços entre companhias diferentes e, principalmente, com bastante antecedência. Lembre-se de que os valores ficam mais caros na medida em que a data da viagem se aproxima. Então anote aí: normalmente, é possível encontrar preços bem vantajosos de 2 até 6 meses antes do embarque — às vezes, até um ano.

Também é importante pesquisar rotas diferentes que o levem a seu destino. Afinal de contas, por serem mais rápidas e confortáveis, as rotas diretas são mais caras. Já aquelas com diferentes escalas podem até ser mais cansativas, mas costumam apresentar preços mais acessíveis.

Aposte em hospedagem alternativa

Ainda hoje e por incrível que pareça, há quem só pense em hotéis, pousadas e resorts quando o assunto é hospedagem. Mas a verdade é que atualmente existem alternativas diferentes das tradicionais que são bem mais baratas e, mesmo assim, seguras e confortáveis.

Os hostels, por exemplo, com quartos compartilhados entre os hóspedes, oferecem estadias de valores consideravelmente menores. Você também pode alugar cômodos ou até imóveis inteiros diretamente com os moradores locais por curtas temporadas, em serviços como o Airbnb. Também é possível encontrar hospedagem gratuita por alguns dias ou mesmo semanas, por meio do couchsurfing. Nesse caso, você se hospeda com um morador local, que ainda pode ajudá-lo a conhecer seu destino. Esse tipo de serviço é baseado em hospedagem solidária, sem nenhum valor financeiro envolvido.

Tome cuidado com o câmbio

Comprar moeda estrangeira sempre exige um bom planejamento, feito com a devida antecedência. Isso porque, com o tempo trabalhando a seu favor, você consegue esperar por um momento de queda do valor do dinheiro estrangeiro para fazer a conversão no momento certo.

De toda forma, caso a viagem tenha surgido na última hora ou você só tenha conseguido juntar dinheiro para os gastos no destino nas vésperas do embarque, siga uma dica simples: evite trocar todo o dinheiro assim que chegar ao país, o que normalmente é feito em lojas nas rodoviárias ou nos aeroportos. Em relação a casas de câmbio mais distantes de concentração de turistas, esses pontos costumam cobrar preços altos.

Explore outras datas e novos destinos

O mercado de turismo é um dos mais sensíveis àquela velha regra que diz que quanto maior é a procura, maiores são os preços. Por isso, viajar em épocas de alta demanda, como carnaval, feriados prolongados e férias, significa gastar mais com hospedagem, alimentação e transporte. Vale, assim, evitar as épocas mais congestionadas do mapa.

Além do mais, também é recomendável pesquisar por destinos diferentes. Afinal, locais notadamente turísticos, como Rio de Janeiro ou Paris, costumam ter um custo de visita mais alto. Procure, portanto, por cidades do interior do país ou por pontos menos badalados do exterior. Com isso, você vai não só encontrar preços que caibam no seu bolso, mas ainda descobrir uma boa oportunidade para conhecer verdadeiros tesouros escondidos!

Vá ao supermercado

Além de transporte e hospedagem, outro gasto inescapável e que merece atenção especial em qualquer viagem é a alimentação. É mais que normal querermos frequentar restaurantes que ofereçam opções de culinária local, mas é preciso lembrar que comer fora é sempre mais caro que fazer refeições em casa.

Com isso em mente, cheque se na sua hospedagem é possível ter acesso à cozinha para preparar alguns alimentos. Se a resposta for sim, aproveite um de seus passeios pela cidade para comprar itens de necessidade em supermercados locais — que, em geral, oferecem preços bastante atrativos. Além disso, também verifique se seu serviço de hospedagem oferece alguma refeição grátis, como o café da manhã. Esse tipo de solução não é apenas uma comodidade, mas uma maneira efetiva de economizar dinheiro.

Aproveite serviços públicos ou gratuitos

Aproveitar os serviços públicos e usufruir das programações culturais gratuitas é uma ótima maneira de viajar gastando pouco. O transporte via metrô e ônibus, por exemplo, é muito mais vantajoso que o uso de táxi, uber ou mesmo aluguel de carro. Da mesma forma, é possível visitar museus e parques gratuitamente. Para isso, acompanhe o calendário do local de destino e verifique se existem dias ou períodos em que as entradas não são cobradas.

Procure também por apresentações culturais, como shows e peças de teatro, que sejam abertas ao público. Além de fazer um programa sem gastar muito, você ainda entrará em contato com os artistas locais! E, por fim, lembre-se de buscar pontos gratuitos de wi-fi para economizar os dados do seu próprio celular, já que os valores aumentam em momentos de roaming.

Contrate um seguro de viagem

Por mais que sua viagem tenha sido muito bem planejada, você ainda pode enfrentar problemas ao ter que lidar com imprevistos. Afinal, acidentes e doenças em viagens não deixam de acontecer simplesmente porque você está fora! Nesses casos, se não estiver preparado, você pode acabar com seu orçamento só para resolver determinada situação.

Por isso é tão importante contar com um seguro de viagem! Com cotas baixas, esse serviço pode protegê-lo contra uma série de possíveis problemas. E por mais que sua principal utilidade seja voltada para serviços médicos e odontológicos fora da cobertura do seu plano tradicional, os seguros de viagem também podem cobrir perdas com extravio de bagagens, furtos ou roubos de bens e documentos.

Vale lembrar que o seguro é obrigatório para algumas viagens internacionais e opcional para diversas outras viagens. No entanto, é um investimento importante em todas as situações.

Por fim, além de contar com a proteção de um seguro, também é importante que você tenha uma reserva de emergência definida para a viagem. Assim, poderá contar com recursos em caso de necessidade sem ter que sacrificar toda a viagem!

Conhece algum amigo ou parente que quer muito viajar, mas tem que ir gastando pouco? Compartilhe este post em suas redes sociais para ajudar!

 

Comentários