Comprar imóvel é um bom negócio? Veja como se preparar para ter o seu!

setembro 2016

7 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

comprar-imovel-e-um-bom-negocio-veja-como-se-preparar-para-ter-o-seu-1.jpg

Para quem está pensando em fazer investimentos, definitivamente vale a pena considerar o ramo imobiliário como alternativa. Já parou para pensar que os imóveis têm características próprias que representam imensas vantagens para o consumidor? Aí entram, por exemplo, o tempo de vida útil indeterminado, a própria solidez do bem e o fato de, normalmente, ser uma propriedade de valor elevado.

Dentre todas as opções de investimento do mercado, os imóveis certamente ocupam o topo da pirâmide. Ficou interessado? Então acompanhe este post e descubra como se preparar para a compra de um imóvel! De brinde, saiba se o consórcio de imóveis é um bom negócio!

Existe idade certa para fazer esse investimento?

Na prática, não existe idade para se investir em imóveis. Não importa se você é um jovem solteiro que ainda mora com os pais, se casou há pouco tempo, se já tem família constituída ou se já é idoso: qualquer época da vida é certa para comprar um imóvel, aumentar seu patrimônio e assegurar seu futuro.

No fim das contas, uma verdade é indiscutível: comprar imóvel é um bom negócio para qualquer pessoa, independentemente de idade, profissão, sexo ou qualquer outro critério. O importante é avaliar qual a forma mais vantajosa de fazê-lo.

Até que ponto vai a flexibilidade de um imóvel?

Na maior parte das vezes, a prioridade está na compra de um imóvel para morar. Contudo, essa aquisição também pode ser feita com outras finalidades, oferecendo resultados igualmente bons. Você pode, por exemplo, comprar um imóvel para abrir um negócio ou alugá-lo para fins comerciais. Tendo em vista a competitividade por espaço, os imóveis comerciais estão em uma fase de alta demanda. Salas comerciais, em especial, representam uma grande oportunidade de gerar renda por meio do aluguel.

Outra forma de gerar renda é reformando sua casa ou comprando um imóvel a fim de alugar o espaço para a realização de eventos. O que vale, nesse caso, é a boa estrutura da edificação, contando com um ambiente interno mais amplo. Também é possível comprar imóveis residenciais para revender ou alugar. De toda forma, o segredo está em escolher uma boa localização e adequar a propriedade ao fim proposto, além de oferecer preços e formas de pagamento mais flexíveis.

Por último, vale lembrar que investir em terrenos também pode ser bastante lucrativo, seja para lotear, para revender ou para construir. O maior cuidado que se deve ter em relação a terrenos é, primeiramente, demarcá-los — com muro ou cerca. Fora isso, basta mantê-los limpos até que se resolva qual será seu fim.

Imóveis são melhores que outros investimentos?

Que comprar imóvel é um ótimo negócio já deve ter ficado bem claro, certo? Obviamente, porém, existem diversos tipos de investimentos disponíveis por aí, uns compensando mais que outros.

Caso você ainda não tenha casa própria e disponha de algum dinheiro que possa ser investido nessa aquisição, pense no que preferiria: comprar o imóvel ou aplicar na poupança, CDB, ações e títulos públicos em geral?

Claro que existem bons investimentos a curto, médio e longo prazos, e eles devem mesmo ser aproveitados. Porém, considerando que o rendimento recebido desses investimentos deve ser direcionado a algum fim, que tal incluir aí a compra de um imóvel? Na prática, nada impede que você diversifique seus investimentos. De toda forma, lembre-se de que possuir um imóvel sempre será uma necessidade.

Muitos têm a ideia equivocada de que um imóvel para morar não é investimento e só representa custos para o usuário. É claro que os para alugar proporcionam uma renda mensal, mas sua casa própria, além de servir de moradia, é parte integrante do seu patrimônio.

Além disso, você também não terá os custos com aluguel e qualquer despesa que você tenha com melhorias e reformas contribuem com a valorização. Por outro lado, morando de aluguel, as reformas para melhorias dependem de aprovação do proprietário e, muitas vezes, não são reembolsáveis.

Qual é a melhor forma de se comprar um imóvel?

Você tem dinheiro suficiente para comprar um imóvel pagando à vista? Apesar de tentadora, essa tentativa é perigosa porque pode descapitalizá-lo. O grande problema é que, mesmo para aquelas pessoas ou famílias tidas como ricas, desembolsar uma quantia elevada de uma só vez pode afetar significativamente o orçamento doméstico. Além disso, esse dinheiro poderia garantir rendimentos em uma conta de investimento.

Mas não se preocupe, porque há outras formas de adquirir uma boa casa ou um ótimo apartamento sem precisar gastar muito em curto prazo. Estamos falando da compra parcelada! Nesses casos, existem 2 formas básicas de aquisição: o financiamento e consórcio.

A maior vantagem do financiamento é que, caso você esteja precisando de um imóvel com urgência, ele será liberado em relativamente pouco tempo. Contudo, você terá que arcar com juros altíssimos a longo prazo. E vale lembrar, ainda, que o bem só será legalmente seu quando toda a dívida for devidamente quitada.

Já o consórcio de imóveis é um bom negócio a médio e longo prazos, além de não cobrar juros. Além do mais, as possibilidades de contemplação são as mesmas para todos os consorciados, que podem obter suas cartas de crédito por meio de sorteios ou dando lances (que antecipam a contemplação). Também é possível usar a própria carta de crédito para dar um lance embutido ou usar o FGTS com essa finalidade.

Se você paga aluguel, pode participar de um consórcio mais barato, garantindo um imóvel próprio para o futuro. Se já tem moradia, mas deseja ampliar seu patrimônio adquirindo uma casa de veraneio ou uma propriedade no interior, por exemplo, essa modalidade de aquisição também pode ser uma excelente saída.

Fora isso, caso receba lucros de algum investimento (inclusive de aluguéis), pode usá-los para pagar as parcelas de um consórcio, reinvestindo seu dinheiro. Outra opção é entrar em um consórcio com a finalidade de ter um imóvel para aluguel, antecipando a contemplação para comprar uma propriedade mais em conta e conseguir alugá-la rapidamente, gerando uma renda adicional.

Como ter controle financeiro para pagar o imóvel?

É fundamental ter um bom controle financeiro desde o momento em que se cogita essa compra e até o término do pagamento do consórcio, tudo para evitar problemas com o orçamento familiar. Para ajudar nesse controle, separamos algumas dicas. Acompanhe!

Monte um planejamento financeiro

O planejamento financeiro não serve apenas para fazer o controle das despesas, mas também para criar meios de cumprir metas e objetivos. Para adquirir um veículo ou fazer uma viagem familiar, por exemplo, você pode verificar as possibilidades de economia para investir nesse plano no futuro.

Especialmente para a aquisição de um imóvel, que é um investimento mais expressivo, esse planejamento é fundamental. Dessa forma, você garante que escolherá o melhor momento e a forma ideal de fazer essa aquisição, definindo os prazos e as possibilidades para o pagamento.

A partir daí, é possível estabelecer metas, fazer previsões de ganhos e despesas anuais, verificar os valores necessários para manter o padrão de vida da família e se planejar corretamente para que todas as necessidades sejam supridas.

Analise as receitas e despesas familiares

Faça uma análise de todos os rendimentos, bem como das despesas (fixas e variáveis) mensais da família. Mesmo que os valores oscilem, você pode estabelecer médias a fim de descobrir se os custos estão dentro na normalidade ou se existem pontos que precisam ser revistos.

Essa avaliação também é fundamental para verificar a capacidade de arcar com uma nova responsabilidade financeira, como o pagamento do consórcio. Será que é necessário trabalhar melhor o planejamento financeiro antes de assumir esse compromisso?

Corte os gastos menos importantes

Para ajudar na aquisição do imóvel, é preciso identificar pontos que podem ser trabalhados paraeconomizar. Nesse sentido, corte os gastos menos importantes e busque reduzir os custos de forma geral. Compare preços antes de contratar serviços ou comprar produtos e sempre analise com calma a real necessidade de uma nova aquisição. O consumo consciente é fundamental para viabilizar novos investimentos.

Identifique a melhor forma de pagamento

Após seguir as dicas anteriores, chega a hora de identificar a melhor forma de pagamento. Com o planejamento, você saberá até que valor pode se comprometer mensalmente para o pagamento do imóvel. Assim pode buscar o melhor negócio, procurando um consórcio que tenha um custo adequado ao orçamento e que seja capaz de suprir as necessidades da família.

Conte com ferramentas para manter o controle

Você pode usar ferramentas de controle financeiro que permitam anotar as informações de rendimentos e despesas mensais. Fazer planilhas de gastos ou usar aplicativos permite uma análise completa, mês a mês, da situação familiar. Fazendo isso, você conseguirá identificar eventuais problemas e implementar soluções rapidamente, garantindo a manutenção do orçamento conforme planejado.

Tenha uma reserva

Mesmo com o planejamento financeiro finalizado e usando boas ferramentas para controlar despesas e rendimentos, é importante continuar poupando para manter uma reserva financeira. Esse cuidado é essencial para garantir que, em caso de imprevistos, terá disponível o valor necessário para suprir suas necessidades.

No longo prazo, essa reserva pode permitir que você dê um bom lance no consórcio, possibilitando o acesso à sua carta de crédito antes dos demais. Com isso, você poderá colocar em prática todos os seus planos para o imóvel adquirido!

Com um bom controle financeiro e entrando em um consórcio adequado às suas necessidades, você garantirá a compra do tão sonhado imóvel, aproveitando os benefícios dessa aquisição para a família – seja como moradia ou como investimento.

Como você viu, o consórcio de imóveis é um ótimo negócio, podendo ser usado para diversas finalidades. E se você gostou deste post, que tal acompanhar outros conteúdos como este? Assine a nossa newsletter e fique informado!

 

 

Nova chamada à ação

Comentários