Guia completo para comprar um carro sem erros

Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Muita gente quer comprar carro sem dores de cabeça, só que, quando veem a realidade, nem sempre as pessoas conseguem obter sucesso. Afinal, não basta somente querer: é necessário seguir algumas recomendações para atingir essa meta. Com foco nos detalhes, otimismo e paciência, é possível adquirir o automóvel ideal por um preço convidativo.

Nesse momento, uma dúvida comum surge na mente dos interessados: compensa mais comprar um carro novo ou usado? Há pontos positivos e negativos entre as duas alternativas, e a decisão deve ser tomada conforme as suas demandas e necessidades.

Pensando nisso, elaboramos este guia completo para ajudar você a comprar um carro sem erros. Continue lendo para conhecer as melhores dicas!

Comprar carro novo ou usado?

Vale mais a pena comprar um carro seminovo ou zero-quilômetro? Bem, não existe um pensamento unânime sobre isso. Se você perguntar às pessoas próximas, certamente, ouvirá opiniões variadas. Por isso, vamos expor os diferenciais de cada uma das opções.

Veículo novo

O maior benefício dessa alternativa é a garantia de fábrica. Em geral, as montadoras oferecem de três a cinco anos de suporte, o que dá mais segurança ao comprador. Essa escolha também:

  • facilita a emissão de documentos;
  • confere maior desempenho e durabilidade a peças e sistemas;
  • garante a ausência (ou baixa ocorrência) de falhas mecânicas nos primeiros quilômetros rodados;
  • permite planejar-se financeiramente para a próxima compra ou troca.

Veículo seminovo

Os motivos para se colocar um seminovo na garagem vão além do preço de compra mais em conta. Isso, porque você consegue adquirir uma máquina com diversos opcionais de conforto e segurança, ar-condicionado, câmbio automático, câmera de estacionamento, painel multimídia, quatro portas etc., tudo por um preço mais em conta.

Além disso, a depreciação é menor em relação à dos carros novos. No que se refere à garantia, o usado pode conservá-la, desde que esteja dentro do prazo definido pela montadora e que o proprietário anterior tenha providenciado todas revisões presentes no manual.

No entanto, é importante ter cautela na hora de escolher esse tipo de carro. A compra só valerá a pena se ele for avaliado com cuidado. Afinal, é preciso checar não só lataria e pneus, mas, também, seu interior, bem como o motor, a direção, a suspensão e os aparatos elétricos. Um bom mecânico pode ajudar nessa etapa.

O que analisar na hora de comprar um carro novo?

Veja o que deve ser considerado durante a compra de um automóvel zero-quilômetro.

Faça um bom planejamento financeiro

Quando estiver à procura de um veículo novo e vir o preço na vitrine da loja, seja realista: os custos com um bem desse tipo não param por aí. Logo, para que esse momento seja alegre e tranquilo, planeje-se.

Monte uma planilha e coloque dados relevantes, como o valor do carro e todos os gastos envolvidos. Alguns exemplos são as taxas (IPVA, DPVAT e licenciamento), seguro auto, emplacamento e acessórios que você pode adicionar.

Mas não para por aí! Afinal, o veículo consome combustível, precisa de manutenções e se desgasta com a frequência de uso. Esses fatores devem constar no seu planejamento financeiro

Ainda, para conservar a boa aparência, é preciso gastar com lavagens, polimentos e cristalização. Todos esses pontos levam ao custo total para que você mantenha esse bem, e o seu orçamento deve ser suficiente para lidar com isso.

Pesquise muito

Após fazer todos os cálculos, comece suas pesquisas. Hoje, os catálogos das montadoras são lotados de modelos e versões para todos os perfis de motoristas. Neles, você provavelmente encontrará o veículo ideal para o seu dia a dia.

Porém, não tenha pressa para a compra. Monte uma checklist de itens e visite ou acesse a página de concessionárias. Tire algumas horas da sua semana para fazer isso, negocie condições, assista a vídeos de análise do carro em questão, faça test drives e só feche o negócio quando tiver certeza de que fará uma boa compra.

Também é bom ter cautela com as promoções-relâmpago de algumas lojas, como se aquela fosse a última oportunidade de comprar um carro zero por um bom preço. Essa abordagem de venda é muito antiga e pode fazer você se arrepender depois.

Uma sugestão é coletar preços em localidades diferentes da cidade ou região e comparar tudo. Se você mora no interior do seu estado, visite a metrópole mais próxima, para aumentar seu poder de negociação. E pode ficar calmo, que as boas promoções não vão acabar, e você poderá aproveitar oportunidades interessantes sempre.

Considere a economia de combustível

Um dos gastos mais altos de um automóvel vem do combustível. Isso acontece por causa das variações de preço do álcool e da gasolina. Então, é importante escolher um carro que seja bastante econômico.

No passado, economia era sinônimo de modelos populares, desconfortáveis e com poucos acessórios e equipamentos, mas essa realidade mudou completamente. Hoje, até veículos de entrada podem oferecer conforto e segurança por um preço mais amigável. Basta procurar os que atendam essa demanda com potência e eficiência para comprovar o custo-benefício.

Avalie o plano de revisões e a manutenção do carro

Os carros novos já são comercializados com um cronograma de revisões encerrado, que atende os primeiros anos de uso. Avalie se os valores definidos são compatíveis com o seu plano financeiro.

Lembre-se de que, se você não fizer todas as revisões, não contará com a garantia de fábrica. Logo, enquanto estiver avaliando o automóvel, não considere somente os dados técnicos ou a experiência ao volante. Pergunte tudo, peça tabelas e reúna todas as informações possíveis para saber como manter o veículo zero sempre em bom funcionamento.

Pesquise, também, o histórico da marca e avalie se os seus carros têm bom funcionamento e segurança. Após alguns anos da compra, ele pode manifestar problemas (pequenos ou grandes), e, quanto mais barato for o reparo, melhor para você.

Isso também pode ser descoberto conversando com os donos dos veículos por que você tem interesse. Aproveite para fazer perguntas e levantar tudo o que for possível para ter uma noção exata do que pretende adquirir.

O que analisar antes de comprar um carro usado?

Existem carros usados de excelente qualidade e desempenho no mercado — além de serem bem equipados. Se você quer adquirir um, basta seguir as recomendações abaixo.

Faça uma inspeção visual minuciosa

Antes de iniciar a checagem do carro, é preciso escolher o melhor local e horário para isso. O ambiente deve ser iluminado sob a luz do sol. Jamais faça esse tipo de avaliação em um local escuro e estreito e evite dias chuvosos, já que a umidade pode encobrir pequenos defeitos na lataria e amassados.

Veja, também, a distância nas frestas do capô, portas e porta-malas, pois, se houver diferenças, é provável que o veículo já tenha sofrido reparo por conta de um acidente de trânsito. Também não se esqueça de observar os parafusos internos do cofre do motor. Se o carro não sofreu batida, eles terão a mesma aparência do restante da pintura.

Cheque desgastes e irregularidades

Um dos itens a serem inspecionados logo de cara são os pneus. Veja se eles estão lisos ou rachados. Nesse sentido, vale observar que, se a banda de rodagem estiver com deterioração irregular, pode ser que os componentes da suspensão estejam danificados ou haja um desalinhamento da direção, o que exige um reparo imediato.

Além disso, um motor muito sujo não é um bom negócio. No entanto, ligue o desconfiômetro se ele estiver muito limpo, pois podem estar querendo esconder defeitos e vazamentos. Por isso, também é necessário verificar o nível de óleo.

Se o automóvel já tiver saído da garantia, observe o volante e o pedal do freio. Se ele for muito rodado, essas peças apresentarão desgastes de uso frequente. De qualquer modo, é importante dizer que nem sempre uma quilometragem baixa significa que um carro está em perfeitas condições, e é possível encontrar opções em bom estado e que já rodaram muito.

Realize um test drive minucioso

O teste drive é uma parte indispensável para comprar um carro com segurança. Faça um trajeto que exija um pouco mais do automóvel. Logo, veja se ele se esforça de forma exagerada para subir um morro ou se emite ruídos estranhos ao passar por lombadas ou valetas.

Veja, também, se, em um percurso plano e reto, o volante puxa para um dos lados, se o freio manifesta sons agudos e se a aceleração é constante. Se encontrar alguma irregularidade, pode ser que a máquina precise de reparos.

Para levantar o histórico do veículo no site do Detran (outro passo essencial), basta digitar o Renavam presente no documento. Assim, você saberá se ele tem algum registro de sinistro, roubos ou multas pendentes. Observe, também, o código do chassi, para saber se os números no motor e nos vidros são os mesmos.

Compreenda os fatores de precificação de um seminovo

Quer saber como os preços dos seminovos são definidos no mercado? Então, continue a leitura!

Tabela FIPE

Na hora de comprar um carro de segunda mão, a primeira etapa é pesquisar seu valor na Tabela FIPE. Antes de tudo, é importante ressaltar que ninguém é obrigado a vendê-lo pelo preço sugerido na tabela. Como não existe uma lei que apoie esse tipo de negociação, o valor final é escolhido pelo próprio dono (ou vendedor).

No entanto, esse recurso deve ser usado como referência para se ter uma base do que esperar nas ofertas e fazer comparações. Os números apontados nela são determinados a partir da média das negociações em todo o país.

Ano de fabricação ou ano do modelo

A prática de lançar modelos com um ano de antecedência é muito comum no segmento automobilístico. Ou seja, neste momento, as fabricantes já estão projetando o lançamento das suas linhas 2022.

Essa abordagem existe para impulsionar as vendas de veículos novos, mas pode confundir quando o objeto de desejo é um seminovo. Isso, porque é preciso considerar o ano em que eles foram lançados, e não o modelo. Logo, não aceite a falácia de que o ano do modelo vai valorizá-lo de alguma forma, pois essa informação não fará diferença na hora da revenda.

Estado de conservação

Esse é o ponto que mais conta no momento de determinar o valor do automóvel. Afinal, ninguém deseja comprar um carro que apresente aparência envelhecida e tenha problemas mecânicos e elétricos.

Isso quer dizer que quanto menos conservado estiver o veículo, mais dificuldade você terá na hora de passá-lo adiante, o que faz com que o valor caia muito.

A conservação é algo que pode ser comprovado facilmente. Conheça algumas práticas infalíveis:

  • motor: jamais feche uma compra sem, antes, dar uma volta e verificar se as correias do motor estão rachadas ou produzem assobios agudos enquanto giram;
  • pintura: observe a lataria do veículo, como já dissemos acima, sob a luz do sol. Veja se ela está com brilho e se não existem ondulações nas superfícies. Caso alguma alteração seja detectada, é provável que o automóvel já tenha sido batido;
  • bancos: as sujeiras vão indicar a falta de cuidado do dono. Procure, também, por vestígios de queimaduras nas bordas e nos acabamentos plásticos.

Quilometragem rodada

Muita gente valoriza a quilometragem total do automóvel. Porém, rodar pouco não significa qualidade e cuidado. Entre um que foi usado com frequência, mas que passou pelas revisões prescritas pela fabricante, e outro que andou pouco, mas que não tem nenhum carimbo que comprove esse procedimento no manual do proprietário, escolha a primeira opção.

De qualquer modo, a quilometragem é sempre um parâmetro para determinar o valor final de um usado. Dessa forma, como aquele que rodou menos é mais caro que os demais, é preciso investigar se a numeração do painel foi adulterada ou não.

Leve um mecânico de confiança

Ainda que você tenha conhecimento automotivo, é importante ter um mecânico de confiança na hora de vistoriar um carro usado. Ele terá uma percepção mais crítica, observando minúcias e coisas que você não enxergaria. Depois, peça uma opinião sobre o visual (lataria e parte interna) e a mecânica (alinhamento, balanceamento, motor, freio e amortecedores).

Não fique com receio de pedir para levantar o veículo. Falhas na suspensão e soldagens podem indicar se houve alguma mudança na estrutura original, como no caso da recuperação de batidas de maiores proporções.

Observe a customização

No caso de carros personalizados, veja se os acessórios que não são do seu gosto podem ser removidos — observe, também, os opcionais. Os componentes que devem ser priorizados são: airbags, alarme, banco de couro, câmera e sensores de estacionamento, central multimídia, volante multifuncional. Isso, porque esses diferenciais valorizam um seminovo. Assim, seja exigente na sua escolha.

Confira o manual

O manual não serve somente para orientar sobre o que fazer com cada sistema do automóvel: ele também pode mostrar como o carro foi usado ao longo do tempo. Nas últimas páginas, ficam espaços para as etiquetas de revisão da concessionária.

Veja se todos os selos estão preenchidos e se as inspeções foram realizadas no tempo correto. Esse documento parece um álbum de figurinhas, e que você só deve se dar por satisfeito se ele estiver completo. Além disso, fuja de um seminovo que não tem o manual original, pois é quase certo que seu passado seja desfavorável.

Descubra se o carro não sofreu enchentes

Uma forma infalível de descobrir se um veículo passou por um alagamento é prestar atenção ao odor. Para encobrir o cheiro, alguns vendedores usam sachês perfumados no interior do carro. 

Além disso, até depois de uma boa limpeza e desinfecção, é possível encontrar vestígios de barro ou impurezas em frestas e lugares pouco visíveis. Olhe o estado dos estofados e do carpete. Se o tecido estiver danificado, pode ser um indício de que o veículo tem problema de vedação ou ficou parado em uma enchente.

Avalie o histórico da marca

Certamente, vender não será o seu objetivo a curto e médio prazo, mas é preciso saber se o modelo em que está de olho é fácil de revender. Analise a marca por que tem interesse para entender se ela está na lista dos automóveis mais desvalorizados.

Veículos que saíram de linha depreciam rapidamente, porque a manutenção e a troca de componentes se tornam mais difíceis. Ainda, cores chamativas são utilizadas pelas fabricantes para lançar modelos novos, mas eles tendem a encalhar nas concessionárias. Logo, preze por um tom básico (branco, cinza, azul-escuro e vermelho).

Garanta a proteção da lei do consumidor

O seminovo adquirido em uma loja tem a garantia do Código de Defesa do Consumidor. Assim, você tem o prazo de 90 dias corridos para reclamar de problemas em geral — e não somente de falhas no câmbio e no motor.

No caso de um vendedor particular, a proteção fica a cargo do código civil, mas o procedimento é mais burocrático, exigindo-se a contratação de um advogado para abrir um processo judicial.

Escolha a forma de pagamento

Escolher a forma de pagamento é fundamental para fazer uma compra segura e eficiente. Uma sugestão é participar de um consórcio. Nele, você fará parte de um grupo com o mesmo propósito que o seu — adquirir um automóvel.

Basta pagar as mensalidades direitinho para participar do sorteio, ser contemplado e pegar sua carta de crédito. Esse processo é ideal para quem não tem pressa para comprar um carro novo ou usado e quer ter um controle financeiro eficiente. 

Por fim, é importante mencionar que os valores seguem os reajustes de mercado — ou seja, durante o período de vigência do consórcio, você garante que seu bem seguirá sempre o valor de tabela, o que lhe permitirá pagar o bem à vista e obter descontos.

 Providencie e solicite os documentos necessários para concluir a compra

Após escolher o veículo ideal para suas demandas e necessidades, é hora de apresentar os documentos para comprar carro. Ambas as partes devem providenciar aquilo que é preciso para que o negócio seja concretizado. Veja a lista:

  • RG e CPF;
  • comprovante de residência;
  • Certificado de Registro do Veículo (CRV) assinado pelo antigo dono e reconhecido em cartório;
  • Certificado de Registro de Licenciamento do Veículo (CRLV);
  • decalque do chassi.

Quais carros comprar?

Veja algumas sugestões de carros zero-quilômetro ou seminovos que você pode comprar sem medo.

Toyota Yaris

O Yaris apresenta ótimas funcionalidades de conforto, segurança e tecnologia. O modelo Hatch apresenta motor 1.3 com câmbio manual ou automático. E o Sedan oferece um 1.5 com transmissor analógico ou automático.

Todos apresentam ar-condicionado, apoio de braço dianteiro, controles de estabilidade e tração, direção elétrica, dispositivo de bordo, retrovisor interno e sistema de som wireless.

A versão XL Plus é mais robusta e recebe central multimídia com tela touch, chave presencial, compatibilidade com smartphones (Apple CarPlay ou Android Auto), partida por botão e rodas de liga-leve.

Toyota Corolla

Entre os itens de série, a versão GLI oferece ar-condicionado, dispositivo de bordo com seis funções (autonomia, indicador Eco Drive, consumo médio e instantâneo, tempo percorrido, velocidade média, controle de iluminação e temperatura), coluna de direção com ajuste ergonômico, colathte multifuncional, sistema de som (USB e Bluetooth), vidros e retrovisores elétricos, entre outros componentes.

Nas configurações Altis, Xei e XRS, o propulsor é 2.0 16V Flex com 143/154 cv de potência e 19,5/20,7 kgfm de torque, álcool e gasolina, respectivamente. Apresenta transmissor CVT com sete marchas. Além disso, todos os modelos contam com sete airbags, assistente de partida em rampas e controle de estabilidade e de tração.

Mercedes GLB 200

O GLB 200 tem tração dianteira com motor M282 Turbo com 163 cv e 25,5 kgfm. O câmbio é de dupla embreagem de sete marchas e a direção oferece quatro opções: Conforto, Eco, Sport e Individual. Contém faróis de neblina, lanterna e luzes diurnas em LED.

A bordo, o veículo oferece sensor de distância para o carro da frente, alerta de ponto cego, estacionamento automático e notificação de invasão de faixa. O SUV ainda traz a interface “Ei, Mercedes” (sistema de inteligente de interação e entretenimento).

Essas são apenas algumas sugestões de automóveis robustos. Todos eles são excelentes em desempenho, conforto, estabilidade e segurança.

O que achou das nossas recomendações para comprar um carro sem erros? Se você segui-las à risca, certamente fará um bom negócio a médio e longo prazo. O segredo está em levantar suas possibilidades financeiras e necessidades de locomoção para decidir entre um novo ou usado e começar sua busca.

Aproveite que você chegou até aqui e confira os produtos e soluções da Rodobens. Temos um catálogo variado de veículos que podem ser adquiridos por meio de diversos tipos de pagamento, inclusive o nosso consórcio. Além disso, é possível concluir a compra contratando um seguro auto. Entre em contato conosco e descubra como podemos ajudar você a realizar esse objetivo!

Use seu imóvel para tirar seus planos da gaveta

Comentários