Compras de Black Friday: 8 dicas para não cair em pegadinhas

Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

A Black Friday vem aí, gerando uma ótima oportunidade para os consumidores pagarem menos e controlarem seus gastos. A promoção, que acontece na última sexta-feira de novembro, traz alguns dos maiores descontos do ano, com lojas físicas e e-commerces baixando significativamente o valor de etiqueta dos produtos.

Infelizmente, alguns anunciantes aproveitam as compras na Black Friday para tentar lucrar a qualquer custo. É preciso ficar de olho para comprar apenas nas promoções que realmente valham a pena.

Isso sem contar determinados cuidados na segurança que também são fundamentais, sabia? Para aproveitar essa chance sem correr riscos, confira nossas dicas para não cair em pegadinhas nas compras de Black Friday!

1. Confira os preços fora de promoção

Quando se trata de preço, não tem jeito: é preciso comparar. Afinal, os conceitos de caro ou barato são relativos, dependendo da média de preço praticada no mercado. E a verdade é que, especialmente nas compras de Black Friday, todo cuidado é pouco, uma vez que algumas lojas fazem uma espécie de maquiagem nos descontos de seus produtos.

Acredite: há estabelecimentos que aumentam os preços das mercadorias dias antes da Black Friday para baixarem os preços novamente quando chegar o momento da promoção, dando assim a impressão de ter feito ofertas mais ousadas.

Para não ser enganado, pesquise o quanto antes os valores dos produtos que você pretende comprar,veja qual é a média de preço desses produtos ao longo do ano a fim de se certificar de que os descontos das lojas estão de acordo com os anúncios divulgados.

2. Investigue a origem da loja

Segundo o Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) de São Paulo, 1 a cada 5 consumidores é prejudicado de alguma maneira ao comprar pela internet — isso no período de 1 ano.

Tais prejuízos incluem desde o recebimento da mercadoria errada até a não entrega do produto adquirido. E como é justamente no comércio virtual que muitos dos descontos da Black Friday estão, é preciso ficar de olhos bem abertos.

Para evitar problemas, pesquise sobre a procedência da loja e veja se ela já recebeu avaliações de outros clientes. Acesse, por exemplo, a página da marca no Facebook e veja se há avaliações positivas, conferindo o que tem sido falado sobre a experiência de compra de forma geral.

Outra maneira de se prevenir nesse sentido é pesquisar pelo nome da marca no Reclame Aqui. Tudo bem que praticamente qualquer negócio acaba tendo que lidar com uma ou outra reclamação, já que não é possível agradar a todos, mas esse pode ser um bom indicador. Em cada caso, veja se o atendimento foi prestado de forma devida e se o problema foi satisfatoriamente resolvido.

Um terceiro modo de se precaver é procurando pelo CNPJ da marca — informação que, muitas vezes, está no rodapé do site. Ao encontrar o CNPJ, basta fazer uma rápida consulta no Google a fim de verificar se o negócio está ativo. Pode ser que o CNPJ nem sequer exista ou já tenha recebido baixa, o que é sinal de perigo.

3. Tenha cuidado ao inserir dados on-line

Antes de sair por aí fazendo cadastros e mais cadastros, informando os dados do seu cartão de crédito em diversos sites, saiba: existem tecnologias pensadas justamente para proteger o usuário na internet. E um dos recursos mais importantes nesse sentido é o protocolo HTTPS.

Está prestes a concluir uma compra on-line? Então só insira os dados do seu cartão e suas informações pessoais se o endereço do site começar com https://. Além disso, veja se o símbolo de um cadeado aparece ao lado da barra de endereços do navegador, indicando que o site é seguro. Esses detalhes mostram que ele tem um checkout (caixa virtual), o que garante a proteção das suas informações.

4. Acesse o site oficial da Black Friday

O site www.blackfriday.com.br é o endereço oficial da promoção no Brasil. Por lá, você pode conferir inclusive algumas das ofertas de diversas empresas, que abrangem desde livros, roupas e acessórios até passagens aéreas.

A vantagem desse site é que ele só reúne anunciantes íntegros, ou seja, aqueles que anunciam promoções reais e seguras. Mesmo que você escolha não seguir as dicas anteriores, nada de pular essa etapa, combinado?

5. Use comparadores de preço

Já falamos sobre a importância de ficar atento à variação de preços em uma mesma loja, comparando o valor de determinado item nas semanas anteriores à Black Friday ao que a loja está cobrando na data. No entanto, se você quer mesmo garantir que está fazendo o melhor negócio, é preciso ir além.

Use comparadores de preço para ver o valor do mesmo produto ou serviço também em lojas diferentes. Entre as opções estão o Buscapé e o Google Shopping, que podem ser usados no computador ou celular.

Para garantir o melhor preço e manter os gastos sob controle, não se esqueça de, além do preço do produto, considerar outras taxas, como frete, além de possíveis descontos oferecidos pelas lojas com o uso de cupons.

6. Não clique em qualquer oferta via e-mail

Em tempos de Black Friday, é comum que o recebimento de ofertas por e-mail aumente de forma considerável. No entanto, é importante ficar alerta: nem todas as mensagens que você recebe na sua caixa de entrada são confiáveis. Não clique sem ter certeza!

O cuidado deve ser redobrado caso a oferta pareça ser muito boa para ser verdade ou venha de um remetente que você desconheça. Em geral, as lojas enviam e-mails marketing para clientes que concordaram em receber esse tipo de comunicação, então desconfie de mensagens de lojas com as quais nunca fez negócio.

E as mensagens perigosas não estão restritas ao e-mail. Na verdade, os cuidados devem ser ainda maiores com materiais recebidos via aplicativos de mensagens como o WhatsApp. Afinal, aumenta a cada dia o número de golpes por esse canal. Fique atento e desconfie principalmente de mensagens com erros de digitação ou de português e, também, daquelas que pedem dados pessoais ou bancários.

7. Estude as formas de cancelamento

Muitas pessoas fazem compras na Black Friday para aproveitar os bons preços. No entanto, na empolgação, esquecem-se de checar as formas de cancelamento aceitas pelas lojas. Não ter esse cuidado pode causar dor de cabeça no futuro, caso se arrependa da aquisição ou veja que o produto ou serviço não corresponde ao esperado.

Para não correr esse risco, verifique a política de cancelamento antes de efetuar o pagamento da compra. Veja o prazo dentro do qual você pode desistir da compra, o que precisa fazer para cancelar e em quanto tempo se dá o reembolso, por exemplo.

8. Planeje-se e não aja por impulso

Por fim, o segredo para fazer boas compras na Black Friday é investir em planejamento. Antes mesmo da data chegar, faça uma análise do que você realmente precisa ou quer comprar. Assim, não corre o risco de adquirir algo por impulso apenas porque o preço parece bom. A chance de ficar com o produto encostado em casa é grande.

É importante, ainda, fazer uma análise das suas finanças para garantir que as compras na Black Friday não comprometerão seu orçamento. O controle financeiro pessoal é um grande aliado nesse momento; afinal, a segurança das finanças vem em primeiro lugar!

Fazer compras na Black Friday é uma maneira de economizar e de comprar produtos e serviços por um preço mais em conta, dando um destino interessante para sua renda extra. Para aproveitar ao máximo a oportunidade e evitar dor de cabeça com golpes e afins, siga nossas dicas e aproveite!

Gostou dos conselhos para aproveitar as compras na Black Friday com o máximo de segurança? Então, compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais para também ajudar seus amigos!

Use seu imóvel para tirar seus planos da gaveta

Comentários