Poucas coisas são tão capazes de nos desestimular a entrar em um negócio como a burocracia, não é mesmo? Afinal, não há quem goste de lidar com uma infinidade de papéis, documentos, assinaturas, filas e análises complexas.

    E essa situação acaba vindo à mente de muitas pessoas quando falamos em consórcio. Mas será que é verdade que o consórcio é burocrático?

    Se você está pensando em tirar do papel os planos de adquirir um carro novo e quer fugir da burocracia, fique ligado neste post. Vamos mostrar como o consórcio pode ser o negócio certo para você!

    Entenda como funciona um consórcio de automóveis

    O consórcio é uma modalidade de compra que vem atraindo o interesse de muitos nos últimos anos. No entanto, não é raro encontrar pessoas que não sabem exatamente como ele funciona — e, de maneira equivocada, acham que ele é muito burocrático!

    Ao adquirir uma cota de consórcio, você passa a fazer parte de um grupo de pessoas que têm o mesmo objetivo. A partir de então, todos os cotistas pagam parcelas mensais a fim de adquirir ao menos um desses bens. A cada mês, um sorteio é realizado para decidir quem será contemplado, sendo que também é possível a contemplação por meio da oferta de lances.

    Saiba o que é preciso para participar de um consórcio

    Diferentemente de outros meios, como o tradicional financiamento, os requisitos para adquirir uma cota de consórcio são acessíveis a diversos perfis econômicos. A comprovação de renda, por exemplo, é mais flexível, tornando o negócio possível também para profissionais autônomos e do mercado informal.

    Como o objetivo do consórcio é utilizar os recursos dos participantes para adquirir veículos à vista, não há incidência de juros sobre o seu valor. O cotista paga apenas algumas pequenas taxas relativas à administração do grupo diluídas nas mensalidades, o que faz com que as parcelas caibam no bolso da maioria dos interessados.

    Ainda que as exigências sejam menores, o consórcio é uma opção muito segura e confiável. Isso porque as administradoras precisam ser autorizadas a operar pelo Banco Central, que regula e fiscaliza o funcionamento dos grupos para garantir a transparência do negócio.

    Descubra o que acontece após a contemplação

    Em um consórcio, os sorteios e a oferta de lances acontecem durante as assembleias mensais. Ao ser contemplado, o consorciado precisa de apenas mais algumas simples etapas para finalmente ter o bem desejado em mãos.

    Pode ser necessário atualizar alguns dados cadastrais, como comprovante de endereço e de renda. Depois, basta que o participante contemplado faça os procedimentos necessários para passar o veículo pretendido para o seu nome, e a própria administradora se encarregará de fazer o pagamento ao vendedor.

    Como esse é considerado um pagamento à vista, o consorciado ganha poder de compra e pode conseguir bons descontos na negociação. Além disso, é possível optar por modelos novos ou seminovos, aumentando as possibilidades de quem se decide pelo consórcio.

    Vale lembrar que, mesmo após a contemplação, o consorciado deve continuar honrando com as parcelas em dia até o final do contrato. Afinal, outros participantes continuarão esperando para receber seus bens e, para isso, dependerão do funcionamento regular do grupo até o seu término. Por isso, a administradora pode solicitar a apresentação de garantias de pagamento ou a inclusão de um fiador para liberar o valor.

    Se você já ouviu dizerem por aí que o consórcio é burocrático, agora ficou claro que isso não passa de boato. E esse é um negócio que pode ser feito para adquirir diversos outros bens, e não apenas veículos.

    Quer saber mais? Então confira agora quais são os diferentes tipos de consórcio!