consórcio de serviços

Esclareça 5 dúvidas sobre consórcio de serviços

Março 2019

2 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Embora menos populares do que os consórcios para carros e imóveis, os consórcios de serviços são uma realidade. Por meio deles, é possível ter acesso a procedimentos estéticos e odontológicos, viagens e até mesmo festas de casamento e formatura.

Para que você possa usufruir de todas as vantagens dessa possibilidade, respondemos neste post as principais dúvidas sobre consórcio de serviços. Acompanhe!

CTA_Manual-completo-do-consórcio-de-serviços

1. Como um consórcio de serviços funciona?

Na prática, não há grandes diferenças entre um consórcio de serviço e aquelas modalidades mais tradicionais, destinadas à compra de um carro ou imóvel. Um grupo de pessoas se une e, por meio de pagamentos mensais, vão acumulando os recursos necessários para a contratação do serviço.

Mensalmente, um ou mais consorciados são sorteados na assembleia e têm direito à carta de crédito de forma antecipada. Mesmo com ela em mãos, é preciso continuar o pagamento das parcelas até o encerramento do grupo.

2. Quanto tempo dura essa modalidade consórcio?

Não é uma regra, mas os consórcios de serviço duram em média 48 meses. No entanto, existem no mercado planos de apenas 12 meses. O prazo impacta em dois aspectos: o tempo de contemplação e as parcelas a serem pagas.

Se a contemplação não ocorrer nas assembleias, será necessário esperar até o fim do grupo para receber a carta de crédito. Assim, quanto maior o prazo, mais tempo é preciso aguardar. Por outro lado, quanto maior o número de parcelas, mais diluído fica o valor total, resultando em pagamentos mensais menores.

3. As parcelas têm juros?

Essa é um das grandes vantagens dos consórcios: diferentemente de outras formas de compra parcelada, não são cobrados juros em nenhum momento do negócio.

Entretanto, algumas outras cobranças podem ser feitas. A mais comum delas é a taxa de administração, que remunera o serviço da administradora. Pode ser preciso também arcar com uma taxa de formação de fundo de reserva e um seguro.

Por fim, são feitas correções sobre o valor da carta de crédito, para que ela não perca poder de compra ao longo do tempo. Para isso, geralmente o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) é empregado como referência.

4. Quais são as formas contemplação?

A forma de contemplação mais comum já foi mencionada: o sorteio. Participam dele todos os consorciados que estiverem com suas obrigações em dia. Todos eles têm a mesma possibilidade de contemplação.

Contudo, quem tiver mais pressa e algum dinheiro reservado pode oferecer lances. Esse mecanismo funciona como uma espécie de antecipação dos valores que ainda seriam pagos. Quanto maior o valor do lance, maior a chance de ser contemplado antecipadamente.

5. Como a carta de crédito pode ser usada?

A carta de crédito pode ser empregada para a contratação do serviço descrito no contrato assinado no momento em que o consumidor passa a fazer parte do grupo do consórcio. Todavia, isso não significa que seu uso seja assim tão rígido.

Caso o serviço desejado seja mais caro que o valor disponível, é possível complementá-lo com recursos do próprio bolso. Se acontecer o contrário e o serviço estiver barato, o restante da carta pode ser utilizado para abater as parcelas que ainda restam.

É normal que surjam dúvidas sobre o consórcio de serviços. Por isso, além das dicas deste post, confira sempre o que diz o contrato e conte com uma administradora com boa reputação no mercado.

Gostou de entender como funciona o consórcio de serviços? Se ainda restou alguma dúvida, deixe o seu comentário!

Comentários