Os consórcios já são uma maneira relativamente popular de adquirir bens como imóveis carros em condições mais favoráveis, de forma menos burocrática e sem a cobrança de juros. O que poucos sabem é o que os consórcios também podem ser utilizados para a contratação de diversos tipos de serviços.

    Entre as opções mais interessantes está o consórcio para implantes dentários. Como esse é um tratamento caro, essa alternativa permite que muitas pessoas deixem o sorriso em dia.

    Quer entender como funciona essa modalidade de consórcio? Explicamos tudo neste post!

    Como funciona um consórcio para implantes dentários?

    Não há muitas diferenças entre um consórcio para adquirir um bem e um consórcio para contratar um serviço — no caso, o tratamento odontológico.

    O primeiro passo é saber qual é o custo do procedimento e escolher a carta de crédito de valor adequado (ela é o documento que viabiliza o pagamento da operação). Para esse tipo de procedimento, podem ser escolhidos, geralmente, valores entre 5 e 10 mil reais.

    A partir disso, é necessário pagar as parcelas mensais de acordo com o plano estabelecido, em períodos que costumam variar entre 12 e 48 meses. Mensalmente, um integrante do consórcio é contemplado e recebe a carta de crédito, podendo, assim, realizar o tratamento. Quem quiser acelerar esse processo pode se planejar para oferecer lances, uma forma de antecipar os pagamentos.

    O implante não é o único tratamento dentário que pode ser pago com a carta de crédito. O consorciado pode optar por tratamentos de canal, aparelhos ortodônticos, limpezas, clareamentos, cirurgias plásticas nas gengivas, entre outros.

    Quais são as vantagens de um consórcio?

    O consórcio para implante dentário é uma excelente saída para quem quer fugir das altas taxas de juros dos empréstimos pessoais. A taxa de administração cobrada pelas administradoras certamente são menores que os juros cobrados pelos bancos. Dessa forma, fica mais barato pagar pelo tratamento.

    Ele também é interessante para quem não tem a disciplina para poupar o dinheiro suficiente para arcar com os custos do procedimento. O pagamento das parcelas substitui a obrigação de depositar um valor todo mês na poupança, por exemplo. No entanto, é importante nunca atrasar as parcelas, já que a inadimplência impede a participação nos sorteios que definem os contemplados.

    Em que situações ele não é uma boa opção?

    Apesar das vantagens, em algumas situações a contratação de um consórcio para implantes dentários pode não ser interessante. Como os prazos para contemplação podem variar muito, quem precisa de um atendimento mais urgente deve procurar outras formas de fazê-lo, como a negociação direta com os profissionais de saúde ou com as operadoras dos planos.

    Fique atento à reputação da empresa que administra o consórcio. Observe as taxas cobradas e demais condições previstas em contato. Assim, você evita surpresas desagradáveis e aproveita o serviço da melhor forma possível.

    Como você viu, um consórcio para implantes dentários é recomendado para quem quer repaginar o sorriso sem se endividar com empréstimos e pode esperar um pouco para dar início ao tratamento.

    Se esse é o seu caso, entre em contato com a Rodobens e conheça nossas opções de planos para procedimentos odontológicos!