Crédito ou débito? Quem paga suas compras com cartão está cansado de ouvir essa pergunta. Ainda que fazer a escolha pareça ser simples, a decisão entre as duas formas de pagamento envolve algumas questões, que devem ser analisadas com cuidado para não comprometer o orçamento.

    A fim de ajudar você, preparamos este conteúdo que explica a diferença entre crédito e débito, apontando em quais situações cada opção é mais vantajosa e por que é importante fazer a escolha com consciência. Boa leitura.

    Qual é a diferença entre crédito ou débito?

    Você já deve estar cansado de saber, mas não custa nada relembrar o mecanismo de funcionamento de cartões de crédito e débito.

    No débito, o cliente efetua o pagamento como se estivesse fazendo uma transferência bancária direto para o comerciante. O dinheiro sai imediatamente da sua conta e vai para a conta do lojista. Cartões de débito não cobram tarifas pelo seu uso. Por outro lado, não permitem o acúmulo de milhas nem o parcelamento de compras.

    No crédito, as compras podem ser feitas até um limite preestabelecido pelo banco emissor do cartão e são acumuladas em uma fatura mensal. Normalmente, há a cobrança de uma anuidade e existem programas de fidelidade, que permitem a troca dos pontos acumulados por bens e serviços.

    Quando usar o crédito?

    Se utilizado de forma responsável, o cartão de crédito é um bom aliado para quem quer planejar suas finanças mensais. Concentrando as despesas nele, fica mais fácil fazer o pagamento de tudo o que foi gasto ao longo do mês na data de vencimento da fatura.

    O crédito também é uma boa opção na hora de parcelar compras de valores maiores. Além disso, os pontos acumulados podem ser interessantes e resultar em boas trocas.

    Entretanto, essa opção de pagamento se transforma rapidamente em uma armadilha se usada sem controle. Por isso, é preciso manter os gastos de acordo com a expectativa de renda nos próximos meses e não com base no limite oferecido pelo banco — que costuma ser maior que a capacidade de pagamento do consumidor.

    Os juros do cartão de crédito incidem sobre faturas em atraso ou naquelas cujo pagamento não foi feito de forma integral. Eles estão entre os mais altos do mercado, com taxas que giram em torno de 274% ao ano.

    Quando usar o débito?

    Quem precisa manter os gastos sob controle deve optar sempre pelo cartão de débito, uma vez que ele permite compras apenas de acordo com o dinheiro disponível em conta. Dessa forma, é como se os pagamentos estivessem sendo feitos em dinheiro.

    O débito também confere segurança a quem não quer ficar carregando dinheiro vivo na carteira ou na bolsa. Em caso de perda ou roubo, basta bloquear o cartão para não ter prejuízo. Por fim, os cartões de débito têm aceitação maior no comércio e, com alguma conversa, é possível negociar um desconto nos pagamentos feitos por esse meio em determinados estabelecimentos.

    Seja no crédito ou no débito, é importante que qualquer compra seja feita com consciência, certo? Em ambas as opções o dinheiro sairá do seu bolso. Portanto, cada centavo deve ser valorizado e gasto de acordo com um planejamento financeiro cuidadoso.

    Essas dicas ajudaram você? Então curta nossa página no Facebook para não perder nada do que acontece aqui no blog!