Esclarecemos 9 dúvidas sobre seguro para motos

Setembro 2017

4 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

 

A compra de um bem sempre exige sacrifício e planejamento financeiro, certo? Exatamente por isso, depois de adquirir sua moto, você precisa pensar em soluções para preservar esse investimento.

Neste post, vamos falar sobre a principal ferramenta usada para esse fim: o seguro para motos. Você tem dúvidas sobre seguro moto? Então chegou a hora de esclarecê-las. Confira!

1. Algum seguro para motos cobre roubo?

Em geral, as apólices de seguro para motos incluem proteção contra furto, roubo e colisões, com esse tipo de seguro padrão variando entre 30% e 40% do valor da moto. No entanto, é possível contar com uma proteção específica contra roubos e furtos. Nesse caso, o prêmio (a prestação do seguro) cai para cerca de 20% a 30% do valor do bem.

2. A cilindrada impacta o valor do seguro para motos?

A quantidade de cilindradas pode ser usada como um dos fatores para o cálculo da apólice do seguro de moto, aumentando de valor proporcionalmente à elevação das cilindradas. Por outro lado, algumas seguradoras nem trabalham com motos de menos de 300 cilindradas. Dessa forma, fique atento à capacidade do motor na hora da compra!

Modelos esportivos também podem apresentar valores mais altos de seguro moto. Já os tipos custom, como as Harley-Davidsons, apresentam uma cotação mais convidativa, uma vez que são usados majoritariamente para lazer. De forma geral, isso indica menos rodagem semanal e, por consequência, menor exposição a sinistros.

3. Como funciona a proteção contra acidentes?

O seguro para motos também inclui assistência contra colisão e incêndio. No entanto, como a moto não é capaz de causar tantos danos a outros veículos quanto um carro ou um caminhão, o valor para ressarcimento a terceiros atingidos é relativamente menor. Para modelos de baixa cilindrada, esse valor ficar próximo de R$ 20 mil, enquanto os de maior cilindrada podem chegar a R$ 50 mil.

4. Que ofertas adicionais podem ser contratadas no seguro de moto?

Como falamos, os pacotes mais básicos de seguro moto podem cobrir apenas furtos e roubos, mas é possível sim adicionar proteção contra acidentes, danos a terceiros e incêndios. Algumas seguradoras também oferecem itens específicos, como o subsídio para a instalação de localizadores ou descontos em oficinas — tanto para consertos quanto para revisões preventivas ou periódicas.

5. O perfil do condutor importa para a seguradora?

O perfil do segurado é sempre avaliado, seja para quem procura proteção para moto, carro ou ônibus. No caso dos motociclistas, a primeira informação levada em conta é a idade: até 24 anos, o perfil é considerado de risco. Quem já tem mais tempo de carteira, por outro lado, pode conseguir apólices mais vantajosas.

No momento da cotação, também é avaliado o histórico do condutor. Nessa etapa, não ter recebido multas ou não ter se envolvido em acidentes surge como um diferencial e tanto. Algumas seguradoras também podem oferecer preços diferentes com base no estado civil do motociclista. Nesse caso, de forma geral, os casados pagam prêmios menores de seguro moto.

6. A localização do condutor é usada?

O CEP do motociclista é outra variável que impacta o valor do seguro de moto. Afinal, as seguradoras fazem uma análise estatística de quais localidades podem ser mais perigosas, podendo aumentar o valor da apólice com base nisso. Em geral, os CEPs mais caros são os das grandes metrópoles.

Além disso, é preciso descrever direitinho qual é o uso da moto e em quais locais o condutor costuma circular. Trafegar frequentemente em locais considerados de risco (como portas de faculdade) pode, assim, encarecer um pouco o seguro moto. Por outro lado, quem usa a moto apenas no fim de semana pode conseguir bons descontos!

7. Para quem é indicado fazer seguro moto?

Com os altos índices de furto e roubo desse tipo de bem, atualmente, o seguro de moto é indicado a todos. A título de curiosidade, apenas entre o 2º e o 3º trimestre de 2017, uma importante empresa especializada em rastreamento de veículos apontou um aumento de incríveis 41,46% nos casos de roubos e furtos de motocicletas acima de 250 cilindradas.

Já no 1º trimestre de 2018, a elevação dessa modalidade de crime foi de 51,7% em relação ao mesmo período do ano anterior, o que justifica a necessidade de priorizar a proteção de seu patrimônio.

A importância de um seguro de motos se torna ainda maior para quem mora em grandes metrópoles e/ou quem utiliza o bem para deslocamentos diários (por exemplo, a trabalho) — situação que implica em maior desgaste e aumento do risco.

8. Quais são as vantagens do seguro moto?

O custo da prestação de um seguro para motos costuma retornar ao segurado na forma de facilidades e vantagens como as listadas abaixo:

  • indenização no valor do bem em caso de perda total, roubo ou furto, protegendo o dinheiro investido;

  • cobertura de despesas de consertos em caso de acidentes;

  • indenização a terceiros;

  • assistência 24h, que pode englobar chaveiro, guincho, troca de pneus e até transporte domiciliar em caso de pane;

  • extensa rede credenciada de lojas de acessórios/reparos com descontos;

9. Como economizar no seguro para motos?

Como diminuir o preço do seguro de moto? Essa é uma pergunta corriqueira e que pode ser resolvida por meio de algumas mudanças de ações.

Se sua moto é utilizada para trabalho, certamente o prêmio (custo do seguro) será mais amargo do que se fosse destinada apenas ao lazer de final de semana. Ter garagem e pernoitar a moto em um bairro com índice de roubos de motocicletas abaixo da média da cidade também ajuda a reduzir o preço do seguro moto.

Evite multas, pois há seguradoras que dão descontos aos condutores sem pontos na carteira. Você também deve evitar chamar o seguro se o conserto ficar próximo ao valor da franquia (limite a partir do qual a seguradora se responsabiliza pelo custeio do sinistro).

Supondo que a franquia seja de R$ 1.600 e o prejuízo foi de R$ 1.800, o reparo desembolsado por você corresponderá a quase 100% do custo do conserto. A desvantagem é que o acidente será registrado nos sistemas da seguradora, podendo reduzir eventuais descontos de renovação futura.

Por fim, fazer treinamento avançado e instalar dispositivos rastreadores também reduz o risco da seguradora, diminuindo o prêmio da apólice. Tudo isso deve ser considerado no momento de estudar a contratação da seguradora.

Bom, chegamos ao final do post por hoje! Se quer acompanhar mais informações sobre seguro moto e outros serviços para seu automóvel, siga nossos perfis no Twitter, no Facebook e no Instagram! Até a próxima!

 

Comentários