5 dicas de economia para deixar as finanças em dia

Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Você anda à procura de dicas de economia para começar um ano diferente, com as finanças em dia, dívidas quitadas e zero aperto no orçamento? Saiba que não é só você que tem esse objetivo! Muitos outros brasileiros também buscam inspirações para mudar a própria realidade financeira e deixar esse cenário de complicações para trás.

É por esse motivo que trouxemos algumas dicas que vão ajudar você a manter o foco e conseguir economizar nesse novo período da sua vida. Continue lendo para saber quais são elas e como colocá-las em prática!

1. Não se empolgue com as liquidações de início de ano

Pode reparar: de janeiro a março, é comum ver lojas físicas e virtuais fazendo liquidações dos mais diferentes produtos. Essa é uma tentativa de manter o consumo em alta após o Natal e o Ano-Novo — um período de ótimas vendas para o comércio —, e de aproveitar o impulsionamento que o 13º salário dos trabalhadores causa na economia.

Por essa razão, é importante manter o autocontrole para não se empolgar com as promoções e ofertas para lá de tentadoras dessa época. Do contrário, você pode acabar deixando de pagar suas dívidas, aumentando o número de contas mensais ou, pior ainda, comprando coisas desnecessárias apenas porque estavam com um preço em conta.

"E como evitar esse impulso consumista nos primeiros meses do ano?", deve estar se perguntando. Existem algumas dicas que ajudam a diminuir as tentações, como:

  • desabilite as notificações de aplicativos de compra e cashback (como aquelas que informam sobre descontos, ofertas e bônus);
  • evite passeios frequentes em shoppings e áreas comerciais, principalmente quando esse locais têm lojas com ações externas, para atrair clientes para dentro delas;
  • não inscreva o seu e-mail nem o seu número de celular em listas de campanhas promocionais de sites, para não receber alertas sobre as novidades deles;
  • silencie as postagens e os Stories das lojas que você segue nas redes sociais — assim, elas não ficam aparecendo no seu feed.

2. Faça lista de compras antes de ir ao supermercado

Uma das principais dicas de economia é adotar o hábito de fazer uma lista de compras antes de ir ao supermercado — o que também vale para mercearias, hortifrutis, atacados e afins. O motivo é simples: quando você anota o que precisa ou está em falta em casa, se torna mais fácil controlar esse tipo de despesa.

A lista funciona como um lembrete do porquê você está no estabelecimento, e permite ter uma noção da quantidade de itens que deve colocar no carrinho (ou na cesta) e do quanto deve gastar.

Por meio da lista, que pode ser em papel ou no celular, você evita aqueles episódios de, por exemplo, sair para comprar arroz e sabão em pó e voltar não só com eles, mas com um refrigerante, um doce e um pote de sorvete.

3. Use o cartão de crédito somente para o essencial e/ou emergências

Além das dicas de economia que já foram repassadas até aqui, vale a pena evitar o uso do cartão de crédito no seu cotidiano — isso vale para compras físicas e online, pedido em aplicativos de delivery, corridas com aplicativo de motorista particular, assinaturas de serviços de streaming, refeições fora de casa etc.

Tenha em mente que, desse jeito, você compromete facilmente o seu limite disponível — podendo, eventualmente, estourá-lo. Isso sem falar no caso das pessoas que, ao acabar o crédito de um cartão, começam a utilizar o de outro, depois o de um terceiro, e por aí vai.

O pior de tudo é que essas pessoas podem não se dar conta de que esse não é um dinheiro extra que elas têm para gastos pessoais, mas um valor que, ao ser usado, deve ser pago em até 30 dias. Do contrário, não vão faltar encargos sobre as suas dívidas.

Para evitar esse tipo de dor de cabeça, limite o uso do cartão apenas para casos emergenciais ou essenciais, como a compra de um remédio ou o pagamento do plano dentário.

4. Comece a planejar os gastos da sua semana

Nossa penúltima dica é planejar as despesas da sua semana, já que um período de 7 dias é mais fácil de monitorar e organizar financeiramente. Defina, por exemplo, o quanto você vai gastar com transporte, alimentação (café da manhã, almoço e janta/lanche), recarga de celular e por aí vai.

Isso é importante para colocar um limite nas despesas e evitar que os gastos esporádicos, principalmente os que acontecem quando você passa o dia fora de casa, acabem se tornando o principal destino da sua renda. Essas compras compulsivas prejudicam o seu orçamento e podem interferir na quantia que você tem que ter para pagar as contas domésticas, para investir e para fazer uma reserva financeira.

5. Use o valor do 13º economizado com sabedoria

Recebeu o seu 13º salário? Pois é hora de usá-lo de maneira bastante estratégica. Para isso, faça um levantamento das dívidas que tem e seus respectivos valores. A partir daí, selecione quantas forem possíveis para tentar abatimentos de juros com o credor no pagamento à vista. Assim, você consegue quitá-las e, de quebra, limpar seu nome.

Se você não tem dívidas, uma boa solução é utilizar esse dinheiro para arcar com aquelas despesas típicas dos primeiros meses do ano, como IPTU, IPVA, matrícula dos filhos, renovação de uniforme e material escolar.

Tanto na primeira alternativa quanto na segunda, não é necessário recorrer ao seu orçamento mensal, deixando esse montante livre para bancar as contas regulares.

Curtiu as dicas de economia que listamos aqui? Faça com que elas estejam presentes no seu dia a dia, para se acostumar mais rapidamente a esses novos hábitos de consumo, controlar o dinheiro e planejar os gastos. Vale lembrar que nada impede que você estenda as sugestões por todo o ano, deixando, assim, o seu orçamento sempre em dia.

Aproveite e assine a nossa newsletter para receber mais dicas de como organizar sua vida financeira e construir um patrimônio para a sua família!

 

Finanças em família: passo a passo para prosperarem juntos

Quer receber mais conteúdos como esses por email?

Cadastre-se para receber nossos conteúdos por email e tenha informações em primeira mão:

Use seu imóvel para tirar seus planos da gaveta

Comentários