Qual a diferença entre juros simples e compostos? Descubra em nosso post

Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Entender a diferença entre juros simples e juros compostos é um ponto importante para tomar boas decisões financeiras. Ambos os conceitos se referem à remuneração pelo uso dos recursos de terceiros, mas a forma de cálculo e o resultado obtido mudam bastante de acordo com a modalidade.

Os principais casos nos quais incidem são empréstimos e investimentos. Nos empréstimos, é preciso pagar uma taxa de juros para ter os valores disponibilizados por um banco, por exemplo, enquanto, nos investimentos, os recursos são alocados com a expectativa de remuneração.

Se você tem dúvidas sobre o assunto, continue a leitura deste conteúdo e amplie seus conhecimentos de educação financeira!

O que são os juros simples?

Os juros simples consistem na remuneração sobre o capital, calculada sempre sobre o valor inicial. Ao realizar um financiamento de carro, por exemplo, você antecipa o crédito referente ao preço do veículo, e as parcelas são calculadas com os juros simples. A fórmula do juros simples é a seguinte:

  • juros simples = capital × taxa de juros × tempo
  • montante = capital + juros

Imagine um empréstimo de R$1.000,00, juros de 3% ao mês e divisão em 10 parcelas. O cálculo seria:

  • 1.000 × 0,03 × 10
  • montante = R$1.300,00
  • juros = R$300

Os juros simples são aplicáveis principalmente em empréstimos e financiamentos. Diversos fatores podem reduzir ou aumentar essa taxa, como histórico do contratante, riscos da operação, valor do empréstimo e prazo de pagamento.

Aqui na Rodobens, temos as melhores taxas de juros do mercado para realização de financiamentos de veículos e empréstimos. Além disso, você pode usar as opções de crédito com garantias para ter um custo ainda menor ao tomar dinheiro com juros simples. 

E os juros compostos?

No caso dos juros compostos, que geram os chamados juros sobre juros, a fórmula é diferente:

  • juros compostos = montante capital
  • montante = capital × (1 + taxa de juros)tempo

Perceba que o tempo deixa de ser um fator da multiplicação e torna-se uma potência. Com isso, a remuneração do período anterior é usada na base de cálculo do período posterior. Ou seja, o que você ganhou em janeiro é somado ao capital em fevereiro antes de serem aplicados os juros dessa parcela, por exemplo.

O empréstimo de R$1.000,00, com juros de 3% ao mês e divisão em 10 parcelas teria os seguintes resultados:

  • 1000 × (1 + 0,03)10
  • montante = 1.343,92
  • juros = R$343,92

Os juros compostos aumentam o capital exponencialmente com o passar do tempo. Nesse sentido, eles são aplicados no caso de investimento financeiro, como títulos do Tesouro Direto, fundos de investimento e CDBs.

Afinal, qual a diferença entre juros simples e compostos?

De forma geral, a diferença entre juros simples e juros compostos está no retorno esperado pelo credor. Nos juros simples, a remuneração obtida não é utilizada no cálculo das prestações seguintes. Já nos juros compostos, os ganhos passados integram esse cálculo, sendo somados ao aporte inicial.

Ao entender a diferença entre juros simples e juros compostos, você consegue avaliar as oportunidades de empréstimos e investimento ofertadas no mercado. Logo, tem mais chances de encontrar boas soluções financeiras. Lembre-se, portanto, de sempre fazer simulações e conhecer todas as condições antes de fechar um negócio.

Quer conferir mais dicas de educação financeira? Então, assine gratuitamente a nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos diretamente em seu e-mail!

Quer receber mais conteúdos como esses por email?

Cadastre-se para receber nossos conteúdos por email e tenha informações em primeira mão:

Use seu imóvel para tirar seus planos da gaveta

Comentários