Solucione de uma vez por todas suas maiores dúvidas sobre consórcio

Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Pensando em comprar uma casa, um carro ou uma moto? Quer fazer uma viagem, uma cirurgia, uma festa ou reformar seu imóvel? Apesar de seu grande potencial, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre consórcio.

Por envolver um investimento financeiro, é preciso entender todo o processo, de modo a desenvolver a certeza do quanto o consórcio pode ajudá-lo a realizar seus sonhos. Então, resolver seus questionamentos e aprender mais é sempre um bom começo!

O foco do consórcio é ajudar as pessoas a conquistar seus objetivos com o menor custo possível. Mas não adianta apenas falar! Um consumidor consciente e inteligente só se sente realmente seguro para entrar em um negócio quando ele conhece seu funcionamento, não é verdade?

Assim, se você ainda tem dúvidas sobre o consórcio, é normal que fique com o pé atrás. No entanto, isso pode fazer com que você perca ótimas oportunidades de conquistar seus objetivos da forma mais econômica possível.

Foi por isso que elaboramos este post completo sobre o tema. A seguir, selecionamos as principais dúvidas sobre consórcio, buscando auxiliar você a tomar uma decisão segura e realmente vantajosa. Podemos começar?

O que é um consórcio?

O consórcio nada mais é que um grupo de pessoas que se reúnem para alcançar um objetivo em comum. Com isso, ao procurar uma administradora, ela lhe oferecerá uma cota em um grupo.

Em resumo, esse grupo tem um número já definido de membros que compartilham do desejo de adquirir o mesmo bem ou contratar o mesmo serviço, como:

Aliás, você sabia que existem consórcios até para aquisição de aeronaves e veículos marítimos? Tudo depende de suas metas pessoais e do seu orçamento mensal.

O valor do bem ou serviço que você pretende adquirir é definido junto à administradora, na hora da contratação do consórcio. Nesse momento, também é preciso escolher o período de pagamento. Desse modo, o valor desejado é dividido em parcelas, conforme o prazo estabelecido.

Pode acreditar: sabendo exatamente o que é um consórcio, você vai descobrir que ele pode ajudá-lo a conquistar sonhos em todas as áreas da sua vida. Continue a leitura para saber mais!

O que faz a administradora?

Essa é uma dúvida sobre consórcio bastante comum, mas o papel da administradora é bem simples de se entender.

Essa empresa opera como intermediadora, organizando os grupos, recebendo o dinheiro dos participantes e o aplicando para garantir sua valorização durante o prazo de pagamento — dessa forma, a quantia acumulada não será prejudicada pela inflação.

Além disso, a administradora organiza assembleias mensais entre os consorciados, para passar informações e fazer o sorteio das cotas que serão contempladas. Por fim, também está entre suas atribuições o dever de emitir e enviar os boletos, controlar os pagamentos e organizar tudo referente aos grupos vigentes.

Os consórcios têm juros?

Ninguém gosta de pagar juros, não é mesmo? Esse é o grande diferencial de um consórcio, pois não há tal tipo de cobrança. A incidência, aqui, é de alguns custos apenas.

A taxa de administração é o principal valor a ser pago por quem contrata um consórcio. Trata-se de um percentual cobrado sobre o valor do consórcio que serve para cobrir os custos da manutenção das atividades da administradora — desde o pagamento de funcionários até a organização das assembleias.

Além disso, há o seguro prestamista, que pode ou não ser cobrado pela empresa. Nesse caso, cada consorciado paga para garantir a saúde financeira do grupo se algum membro vier a falecer ou ter dificuldades para arcar com as parcelas. Lembre-se de que, como todos contribuem para formar o saldo comum, quem deixa de pagar prejudica os resultados do todo.

A depender da administradora escolhida, pode haver mais algum acréscimo, como para um fundo de reserva, que corresponde a um saldo extra para cobrir custos não previstos.

Existe, também, a taxa de adesão, que algumas empresas cobram quando a pessoa entra no grupo. É preciso sempre ter cuidado com esses valores, pois eles podem tornar seu consórcio mais caro.

As parcelas têm valores fixos?

Mais uma dúvida sobre consórcio de suma importância para sua tranquilidade em tomar uma decisão. Na verdade, o valor pago mensalmente pelo membro pode tanto aumentar como diminuir. Isso não tem nada a ver com juros, mas com a valorização ou a desvalorização do próprio dinheiro.

É sempre importante ter em mente que a inflação influencia o valor do bem ou serviço desejado e, portanto, pode afetar o valor de suas parcelas, certo?

Imagine que você entre em um consórcio de moto. Ao adquirir sua cota, o valor é definido de acordo com o preço do modelo dos seus sonhos. Aí você paga alguns meses, é sorteado e recebe sua carta de crédito. Vamos comprar a moto?

É bem possível que, ao chegar à loja, o modelo escolhido tenha aumentado de preço. Isso acontece porque os bens ficam mais caros, e o dinheiro pode perder valor, dependendo da inflação.

Para evitar que isso aconteça, o consórcio é reajustado (para mais ou para menos) sempre que o cenário econômico muda. Mas calma! A alteração do valor não é aleatória, ok? Pelo contrário, ela obedece a um índice que representa a inflação sobre o bem ou serviço. Pode ser, por exemplo:

  • o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), no caso de consórcios de imóveis;
  • o Índice Geral de Preços de Mercado (IGPM), para consórcios de serviços;
  • o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), no caso de consórcios de veículos.

Em alguns casos, sempre que a montadora informa aumento no modelo de um carro ou de uma moto, por exemplo, o valor do consórcio é adaptado à nova realidade. Por isso, mesmo que você já tenha sido contemplado com seu bem, o preço das parcelas restantes se altera, a fim de garantir o poder de compra dos demais cotistas.

Perceba que a ideia é tornar o consórcio mais justo para todos. Além disso, mesmo com um possível reajuste, é muito mais barato conquistar seus sonhos por meio da contratação de um consórcio.

Existe análise de crédito em consórcio?

A análise de crédito é uma prática muito comum no mercado e visa conferir se a pessoa tem condições de arcar com os compromissos financeiros que assume. Mas será que ela também é feita no consórcio?

A resposta é “sim”, mas o procedimento é um pouco diferente. Na verdade, a análise de crédito só é feita quando você é contemplado, seja por sorteio ou por lance.

Assim, quando a carta de crédito é emitida, a administradora faz uma análise da documentação apresentada e verifica se existem pendências em seu nome. Por isso, para que você não enfrente problemas, é importante regularizar sua situação antes da contemplação.

Vale lembrar que as regras e os requisitos para aprovação já estão previamente definidos no seu contrato. Além do mais, caso exista algum problema na aprovação, você não perderá o direito de ter acesso ao crédito. A administradora fornecerá as informações necessárias para solucionar a questão.

Quem tem nome sujo pode fazer consórcio?

A existência de restrições em cadastros, como o Serasa, não impede ninguém de ingressar em um grupo de consórcio. Qualquer pessoa pode dar início a seus projetos, e não é preciso aprovar cadastro ou comprovar uma renda mínima.

Como já mencionamos, você só precisa se preocupar em organizar sua documentação e estar com o nome limpo no momento da contemplação, isto é, quando for receber sua carta de crédito.

Sem dúvidas, essa é uma vantagem importante dessa modalidade. Afinal, enquanto paga as parcelas, você tem tempo suficiente para negociar seus débitos e ajeitar sua vida financeira.

O que acontece no caso de inadimplência?

Desde que foi criado, a ideia do consórcio é facilitar a vida do consumidor, ajudando-o a poupar dinheiro para conquistar seus objetivos de uma forma planejada, justa e econômica.

Como estamos lidando com um grupo de pessoas, quando alguém atrasa o pagamento de suas parcelas, acaba prejudicando os demais. Sendo assim, o ideal é evitar a inadimplência antes ou depois da contemplação.

Mas e se a situação ficar realmente complicada? Então, entre em contato com a administradora para tentar uma negociação o quanto antes. Ela o ajudará a encontrar a melhor saída.

Em alguns casos, é possível diminuir o valor da carta de crédito e ficar com prestações mais baixas, de modo a não atrapalhar o seu orçamento.

Mas, afinal, o que acontece se alguém não pagar suas parcelas? Quando isso ocorre, algumas medidas são tomadas para garantir a segurança e o direito dos demais consorciados. Assim, o inadimplente:

  • fica impedido de votar nas assembleias ou de dar lances;
  • paga juros e multas sobre as parcelas atrasadas;
  • pode ter sua contemplação cancelada, caso ainda não tenha usado a carta de crédito;
  • pode até perder o bem que conquistou, se já tiver usado o crédito;
  • corre o risco de ser excluído do grupo.

É importante destacar que, a depender das regras do contrato, a pessoa excluída do grupo por motivos de inadimplência só receberá de volta o valor das parcelas pagas depois que o grupo for completamente finalizado e todos os membros, contemplados. Ela também pode perder uma parte do valor como penalidade.

Meu nome vai ficar sujo se eu parar de pagar o consórcio?

Assim como em qualquer compromisso financeiro que assumimos, é importante manter as parcelas do consórcio em dia. Afinal, sua inadimplência não apenas prejudica você, como atrapalha o andamento de todo o grupo.

Exatamente por isso, é preciso entender que a administradora pode inserir o nome da pessoa com parcelas em atraso em cadastros de maus pagadores, como o SPC e a Serasa.

Essa é uma forma de manter o funcionamento do consórcio e proteger os demais cotistas. Assim, além de não conseguir acesso à carta de crédito, o inadimplente precisa lidar com as consequências de ter o nome sujo.

Como funciona o consórcio?

Ainda em dúvida sobre consórcio e seu funcionamento? É bem simples! Assim que decide ingressar em um grupo de consórcio, você escolhe uma administradora de confiança, define o grupo e já pode começar a pagar as parcelas.

A partir do primeiro mês, têm início, também, as assembleias. Nelas, são passadas informações importantes sobre o consórcio, mas o ponto alto mesmo é a realização dos sorteios, que definem quem vai receber a carta de crédito naquele mês.

O que é a carta de crédito?

Essa é uma dúvida sobre consórcio simples de responder: quando você é contemplado, recebe uma carta de crédito. Portanto, não receberá o dinheiro, e sim um documento que equivale ao valor do bem ou serviço que escolheu.

Com a carta em mãos, você define o modelo, a marca e as condições que preferir, mas é a própria administradora quem providencia o pagamento. Como o fornecedor recebe sua contrapartida à vista, você pode até negociar descontos e conseguir condições melhores.

Quem tem direito à carta de crédito?

Todo consorciado que está em dia com o pagamento de suas parcelas e é aprovado na análise de crédito tem direito à carta de crédito. Ou seja, ele poderá participar dos sorteios e dar lances.

Suponhamos que você tenha um dinheiro extra e queira antecipar algumas parcelas. Nesse caso, antes da respectiva assembleia, você avisa a administradora de que quer dar um lance. Quem oferece o maior valor é contemplado com a carta de crédito.

Já no caso do sorteio, naturalmente, o que conta muito é a sua sorte. Todos os meses, de forma democrática e transparente, alguém é sorteado para ter acesso à carta de crédito e adquirir o bem desejado.

Como funciona o lance?

Entender como funciona o lance em um consórcio é muito importante. Afinal, essa é uma maneira de aumentar suas chances de conquistar seu objetivo em um prazo mais curto. Nesse caso, é essencial saber que existem três modalidades de lance:

  • fixo — o consorciado oferece um valor estabelecido, que pode equivaler a 50% ou 25% do valor do crédito, por exemplo — isso varia em cada administradora;
  • livre — o valor não é definido, e o consorciado pode oferecer qualquer montante;
  • embutido — o consorciado usa parte da carta de crédito para completar o valor do lance e aumentar suas chances de contemplação — caso seja contemplado, ele receberá o valor da carta diminuído dessa fatia.

Em todos os casos, vencem os consorciados que fizerem as melhores ofertas. Se houver empate, o critério para escolher o vencedor é o número da cota contemplada no sorteio: a que chegar mais perto vence.

É importante destacar que aquele que dá um lance, mas não sai vencedor não precisa pagar o valor ofertado. Pode, assim, juntar mais um pouco para melhorar suas chances nas próximas assembleias.

Além disso, conforme mencionado, no lance embutido, sua carta de crédito fica com valor reduzido. Assim, se o valor inicial era de R$ 50 mil reais, e você usou R$ 10 mil para dar o lance embutido, receberá R$ 40 mil. Por isso, é importante planejar e avaliar bem as possibilidades, a fim de garantir que ainda será possível comprar o bem que almeja com esse corte.

Mais um aviso: não tem como fazer um consórcio de carros e, depois, mudar totalmente de ideia, querendo comprar uma moto, ok? Você é livre para escolher marca e modelo, mas não pode mudar o tipo de bem combinado na contratação do consórcio.

Onde acontecem as assembleias?

Cada administradora determina o lugar em que suas assembleias serão realizadas. No entanto, atualmente, muitas já aderiram ao ambiente virtual, facilitando a vida dos consorciados. A Rodobens, por exemplo, realiza as assembleias online, pelo seu canal do YouTube.

Além da comodidade proporcionada, essa modernização traz mais segurança ao registro das informações, visto que os vídeos ficam guardados e disponíveis para consulta. Também é assim que acontece com o histórico das cotas contempladas. É a transparência em seu grau máximo!

O bem fica em nome de que indivíduo?

Quando um consorciado é contemplado e usa seu crédito, o bem fica no seu nome, mas permanece alienado fiduciariamente à administradora. Isso significa que, nos seus documentos, existe uma observação que diz que ele não pode ser vendido ou negociado.

Na prática, não é possível transferir o bem para outra pessoa. Isso só poderá ser feito quando o consórcio é finalizado, ou seja, todas as parcelas são pagas.

Essa é uma forma de garantir que cada consorciado continue pagando suas mensalidades. Afinal, caso ele atrase, pode perder o que conquistou com tanto esforço, o que não é interessante para ninguém. Pense bem:

  • não é bom para o consorciado, que fica sem seu sonho;
  • não é bom para a administradora, que precisa passar por processos legais e burocráticos para não atrapalhar os outros membros;
  • não é bom para os demais consorciados, que podem ter seu grupo prejudicado.

No entanto, se você quiser vender o bem, pode quitar o restante das parcelas, liberando-o para negociação e, posteriormente, para a transferência.

Qual é o prazo para a contemplação?

Um consorciado pode ser contemplado tanto no primeiro mês como no último. Por isso, em geral, não dá para ter pressa com o consórcio.

O ideal é se planejar e organizar seu orçamento para comprar o que você quer com segurança, sem se sujeitar a juros altos. Organização financeira ajuda qualquer um a economizar!

É claro que, se você der um bom lance, pode adiantar sua contemplação, mas também não há garantias de que isso acontecerá em um prazo específico. Portanto, caso lhe prometam a certeza de rápida contemplação em consórcio, desconfie logo.

Quais são os tipos de consórcio?

Existem vários tipos de consórcio, e eles estão divididos em dois grandes grupos:

  • para a aquisição de bens;
  • para a contratação de serviços.

No primeiro caso, podem ser adquiridos imóveis ou veículos automotores marítimos, aéreos e terrestres. Ou seja, é possível comprar um avião em um consórcio, bastando encontrar uma administradora que ofereça essa modalidade.

Por outro lado, o consórcio de serviços permite que você realize algo que deseja muito, mas que não tem condições de pagar à vista, como:

Lembrando que, mesmo no caso do consórcio de serviços, você não recebe o dinheiro livremente em sua conta. Você tem o crédito liberado, mas é a administradora quem se encarrega de realizar os pagamentos. Assim, só é necessário se preocupar em escolher onde pretende usar seu crédito!

Como ser contemplado no consórcio?

Como já mencionamos, a principal forma de contemplação de um consórcio se dá por meio do sorteio nas assembleias mensais. É simples: o consorciado que tiver a cota com aquele número é o grande sortudo do mês.

Mas ainda há os lances, certo? Nesse caso, você se prepara, junta um dinheiro extra e faz uma oferta entre as modalidades disponíveis. Se fizer a melhor proposta, conquista sua carta de crédito!

De que maneiras posso acompanhar os sorteios?

Os sorteios do consórcio são realizados dentro das assembleias mensais. O ideal é checar com a sua administradora qual é a melhor maneira de acompanhá-las.

No caso da Rodobens, a assembleia transmitida ao vivo pela Internet, como mencionado. Aqui, vale relembrar que o inadimplente pode ser impedido de participar e de dar lances.

Como dar um lance vencedor?

Se a sua dúvida sobre consórcio está relacionada a dar um lance para ter acesso a uma carta de crédito, saiba que temos algumas dicas que o ajudarão a sair vencedor e não desperdiçar oportunidades.

Comece a poupar e encontrar fontes de renda que possam ajudá-lo, como o 13º salário, restituição do Imposto de Renda, abono do PIS e férias. Vale dizer que muitas pessoas pensam igual, o que faz com que, em determinados períodos, os lances sejam mais altos que o normal.

Assim, uma boa estratégia é observar o movimento do seu grupo. Avalie quantas pessoas estão ofertando e quais são os valores. Deixe para tentar quando tiver mais possibilidades de vencer. Fique de olho na média de ofertas e surpreenda, dando um lance superior em um momento mais calmo.

É possível usar o FGTS para dar lance?

O seu Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) só pode ser usado para compra de casa ou apartamento residencial, bem como para fazer reformas em um imóvel próprio.

Nessas condições, você pode usá-lo para amortizar as parcelas ou para dar (ou completar) um lance, aumentando suas chances de contemplação.

Quais as vantagens de dar um lance?

Além de ser uma chance de acelerar sua contemplação, dar um lance provoca outras mudanças em seu consórcio. Como você está reduzindo o saldo restante, diminuirá o valor das parcelas ou o prazo de pagamento. Assim, uma parte maior do orçamento fica livre para resolver outras questões, como:

  • organizar a documentação do bem;
  • fazer vistorias e manutenção;
  • repensar o orçamento, incluindo gastos com combustível para o novo carro.

A contemplação é um momento único, em que você finalmente vai receber aquilo com que tanto sonhou. Dar um lance é uma boa possibilidade de acelerar o processo e até de ajudá-lo a se adaptar à nova rotina, não é mesmo?

O que fazer após ser contemplado no consórcio?

Chegamos à última dúvida sobre consórcio! Foi contemplado? Essa é uma excelente notícia. Mas, agora, é hora de se organizar, providenciar a documentação exigida e, enfim, receber sua carta de crédito!

A documentação básica para consórcios

Seja qual for o tipo de consórcio escolhido, você precisará entregar à administradora os seguintes documentos:

  • ficha cadastral preenchida e assinada;
  • cópias da identidade (RG ou CNH) e do CPF;
  • comprovante de renda atualizado.

No caso do comprovante de renda atualizado, pode ser a última declaração do Imposto de Renda com recibo de entrega ou os 3 contracheques mais recentes, para quem é celetista — leve uma cópia da sua carteira de trabalho, das páginas que contêm sua foto, sua qualificação civil e seu último registro.

É possível que a administradora exija um fiador como garantia de que o consórcio continuará a ser pago após a contemplação. Nesse caso, o fiador deve apresentar a mesma documentação.

Depois disso, você recebe a carta de crédito e pode partir para a procura do bem ou serviço que deseja adquirir — lembrando que o negócio não é fechado diretamente por você: é a administradora quem faz a intermediação com o vendedor.

A documentação exigida no consórcio de veículos

No caso do consórcio de veículos, após definir todos os detalhes já apresentados, será preciso enviar os dados do veículo, incluindo marca, modelo, ano e número do chassi.

Somente depois disso é que a administradora autorizará o faturamento. Em seguida, será preciso apresentar a cópia do Documento Único de Transferência (DUT), o original da nota fiscal, a nota promissória e o contrato de alienação fiduciária devidamente assinados e com firma reconhecida em cartório.

A documentação exigida no consórcio de imóveis

Já para o consórcio de imóveis, tanto o comprador quanto o vendedor devem apresentar os documentos solicitados, que incluem certidões negativas de ações judiciais (cíveis, fiscais ou trabalhistas) que possam afetar o imóvel e prejudicar a negociação. Em geral, os documentos pedidos são originais e cópias de:

  • escritura pública;
  • matrícula do imóvel atualizada — com validade de 30 dias;
  • certidão negativa de débitos municipais;
  • certidão do estado civil atual;
  • certidão de valor venal.

Quando o consórcio é usado para reforma, deve-se apresentar a planta aprovada, o memorial descritivo, o alvará e o cronograma da obra.

A documentação exigida no consórcio de serviços

Como há diversos serviços, a documentação necessária varia conforme o caso. Portanto, é prudente verificar junto à administradora o que será preciso providenciar para usar sua carta de crédito.

Em geral, é solicitada a nota fiscal. Nesse caso, as empresas emissoras e a descrição dos serviços prestados precisam ser compatíveis com o que foi contratado no consórcio.

Caso o bem ou serviço desejado seja mais caro que o valor da carta, você ainda pode completar a quantia com recursos próprios. Por essa razão, preste bastante atenção à escolha e faça um planejamento financeiro detalhado, para que isso não atrapalhe seu orçamento.

Conseguiu sanar as suas dúvidas sobre consórcio? Esperamos que este post o tenha ajudado a entender melhor essa modalidade de aquisição de bens e serviços. Naturalmente, há sempre algo novo para se aprender. Para isso, basta acompanhar o nosso blog.

E se você gosta mesmo de se manter bem informado, não deixe de nos seguir no Instagram e Facebook

 

Use seu imóvel para tirar seus planos da gaveta

Comentários