Entenda como funciona o consórcio de imóveis

    assembleias, o que é consorcio, carta de crédito, finanças, consórcio de imóveis, imovel novo, imovel, consorcio-imovel, primeiro-imovel, consorcio-casa, primeiro-apartamento, dicas, dicas-consorcio

    Adquirir a casa própria, fazer uma boa reforma no imóvel e comprar um terreno para construir: esses são sonhos compartilhados por diversas pessoas, não é verdade? No entanto, como os investimentos no mercado imobiliário costumam ser altos, o desejo de muitos acaba ficando só no mundo da fantasia. Não deixe que isso aconteça com você!

    Nos últimos anos, muitas pessoas têm visto no consórcio habitacional uma excelente oportunidade de tirar seus planos do papel. Afinal, o negócio é ideal para quem não tem condições de fazer esse tipo de aquisição à vista ou não consegue assumir as parcelas de um financiamento tradicional.

    Ficou animado e quer entender mais sobre o assunto? Então continue lendo o post de hoje para ver como funciona o consórcio de imóveis e conhecer os principais cuidados que devem ser tomados ao adquirir uma cota. Confira!

    Saiba o que é e como funciona o consórcio habitacional

    Para entender o que é um consórcio de maneira simples, pense em um grupo de pessoas que deseja comprar um bem, como um imóvel, mas nenhuma delas tem a quantia necessária em mãos. Ao se organizarem para contribuir mensalmente com valores iguais, essas pessoas conseguem comprar ao menos um imóvel à vista por mês!

    Para decidir quem fica com o imóvel da vez, são feitos sorteios entre os membros do grupo. Contribuindo até o final do prazo estabelecido, mesmo após serem contemplados, todos conseguem conquistar seu objetivo mais cedo ou mais tarde.

    A responsabilidade por organizar e gerenciar os grupos é da empresa administradora de consórcios, que distribui os interessados de acordo com o valor do crédito pretendido. Ela também tem o papel de organizas as assembleias mensais, momentos em que ocorrem as contemplações e são passadas informações do interesse dos participantes.

    Em resumo: ao contratar um consórcio, você passa a fazer parte de um grupo com a finalidade de formar uma espécie de poupança coletiva, um autofinanciamento destinado à compra de um bem previamente definido. 

    Na prática, existem ainda mais algumas características importantes que você deve conhecer antes de resolver fechar negócio. Vamos conhecer as principais?

    Juros e taxas

    Provavelmente, a característica mais lembrada quando o assunto é consórcio é que não há cobrança de juros. E não é difícil entender por que, já que a intenção é usar o dinheiro das parcelas pagas pelos consorciados para a aquisição de bens à vista.

    Sem pagar juros sobre o valor do crédito contratado, essa se torna uma ótima opção para quem quer fugir dos altos valores praticados pelos financiamentos tradicionais! Os consorciados devem arcar apenas com algumas taxas impostas pelas administradoras, como:

    • taxa de administração, que corresponde à remuneração da administradora pela gestão do consórcio;
    • fundo comum, que é o valor efetivamente empregado na compra do bem designado;
    • seguro, como os de vida e de quebra de garantia;
    • fundo de reserva, destinado a proteger o funcionamento do grupo em alguns casos, como na inadimplência de algum membro. Caso haja recursos nesse fundo no encerramento do grupo, o valor é restituído proporcionalmente aos consorciados.

    Colocando tudo na ponta do lápis, o consórcio se mostra uma alternativa muito mais em conta, já que suas taxas causam um impacto muito menor nas parcelas mensais. Faças as contas e confira!

    Nível de burocracia

    Além dos altos valores, toda a burocracia envolvida é outro detalhe que acaba afastando muitas pessoas dos financiamentos convencionais. Pois esse é mais um fator que faz o consórcio se destacar, visto que sua adesão é muito mais simples e suas exigências são menos rígidas.

    A análise de crédito nessa modalidade costuma ser mais flexível, o que facilita a vida de quem não tem como comprovar uma renda fixa, como os trabalhadores autônomos. Em alguns casos, também é possível aderir a um plano de consórcio mesmo com restrição de crédito. No entanto, a situação precisará estar regularizada para o recebimento da carta de crédito, o que exige um bom planejamento por parte do interessado.

    Possibilidades de contemplação

    Uma das possibilidades de ser contemplado em um consórcio é por meio dos sorteios. Realizados durante as assembleias mensais, o processo proporciona chances iguais a todos os participantes que estejam com os pagamentos em dia. A quantidade de cotas sorteadas depende da administradora e da quantidade de membros do grupo.

    Com o passar dos meses, as chances de contemplação por sorteio sempre aumentam, visto que os participantes que já receberam a carta de crédito não concorrem mais na disputa. Cada administradora tem uma forma de realizar as premiações, que sempre se baseiam nos números extraídos no sorteio da Loteria Federal.

    Mas existe outra maneira de conseguir a carta de crédito em um consórcio: por meio da oferta de lances, que funcionam como adiantamentos do restante do valor a ser pago. Essa possibilidade faz do consórcio uma ótima opção também para que tem uma reserva financeira, pois essa pessoa poderá ser contemplada mais rapidamente, com as demais parcelas até o final do contrato mantendo seu valor atrativo.

    O número de participantes contemplados por meio de sorteio também é definido pela administradora. Para você ter uma ideia, os 3 principais tipos de lances em um consórcio de imóveis são:

    1. Lance fixo

    O consorciado contribui mensalmente com uma porcentagem estabelecida pela administradora, além do valor da parcela estabelecida em contrato. Entre todos que se dispõem a ofertar lances fixos, aquele que tiver a cota mais próxima da última sorteada antecipa o recebimento da carta de crédito.

    2. Lance livre

    Nesse caso, o consorciado usa recursos próprios para oferecer seu lance, assim como em um leilão. A cada assembleia, o maior lance é contemplado.

    3. Lance embutido

    Temos aqui a possibilidade de oferecer uma porcentagem do valor da própria carta de crédito como lance, abatendo a quantia do valor final a ser recebido. Também nesse caso, vence quem oferece o maior lance.

    Tire suas principais dúvidas sobre consórcio de imóveis

    A verdade é que, apesar de se tornar cada dia mais conhecido, o consórcio habitacional ainda desperta algumas dúvidas nos interessados. Para que inseguranças sem embasamento não o privem de realizar seus sonhos, vamos esclarecer alguns desses questionamentos agora mesmo!

    Uso da carta de crédito

    Um dos principais questionamentos sobre consórcio diz respeito ao uso da carta de crédito. Lembrando que esse é o documento que o participante recebe ao ser contemplado, com o qual é possível adquirir o bem ou contratar o serviço desejado.

    A boa notícia é que, ao contrário do que muita gente imagina, a carta de crédito obtida por um consórcio habitacional pode ser usada para diversos fins, como a compra de um imóvel novo ou usado, para uso residencial ou comercial, ou até mesmo um terreno. Ainda é possível usar o saldo para fazer uma reforma na casa ou quitar dívidas referentes à negociação de imóveis com instituições financeiras.

    Uma grande vantagem da carta de crédito é que ela é considerada como uma forma de pagamento à vista. Isso ajuda a ter mais poder na hora da negociação, buscando condições ainda melhores par adquirir seu imóvel.

    Caso a opção do consorciado seja pelo recebimento do valor contratado em dinheiro, será preciso aguardar pelo prazo de 180 dias após a contemplação. Também será preciso estar com o plano devidamente quitado para fazer essa solicitação.

    Pagamento com FGTS

    Aquelas pessoas que possuem saldo em contas do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) certamente fazem um ótimo negócio ao optar pelo consórcio. Isso porque é possível usar esse valor para ofertar lances ou quitar parcelas em aberto, amortizando o saldo devedor. Outra possibilidade é complementar o valor da carta de crédito a fim de adquirir um bem mais caro.

    Para ter esse direito, no entanto, o consorciado deve contar com pelo menos 3 anos de contribuição sob o regime do FGTS e a cota de consórcio deve estar no nome do mesmo titular da conta a ser usada. Além disso, o interessado não pode ser proprietário ou usufrutuário de imóveis no mesmo município de residência ou de trabalho na data da efetiva aquisição.

    Forma de investimento

    As peculiaridades do consórcio de imóveis fazem com que essa seja uma excelente opção para quem pensa em fazer um investimento de longo prazo. Isso porque, mesmo se contemplado no sorteio, o participante pode optar por não retirar sua carta de crédito naquele momento.

    Nesse caso, a administradora deposita o valor, disponibilizando o crédito assim que o consorciado tiver interesse em usá-lo. Com isso, o montante é protegido contra os efeitos da inflação e você mantém o poder de compra da sua carta.

    Saiba que cuidados você deve tomar antes de contratar

    Antes de decidir pela contratação de um consórcio de imóveis, pesquise se a administradora está registrada no Banco Central. Como apenas as empresas que possuem tal autorização podem administrar consórcios, essa medida é fundamental para garantir sua segurança.

    Você também deve estar atento às condições estabelecidas por cada administradora para se certificar de que estão dentro do seu perfil. Nessa hora, os principais termos do contrato que você deve analisar são as taxas cobradas, o valor do crédito, o prazo para pagamento e as condições de contemplação.

    Lembre-se de que, ao ser contemplado e adquirir seu imóvel, você deve continuar pagando as parcelas do consórcio normalmente. Somado a isso, caso compre logo a casa dos sonhos, passa a ter novas despesas relativas ao imóvel. Assim, um bom planejamento financeiro se torna simplesmente essencial!

    E então, entendeu como funciona o consórcio habitacional? Ficou interessado? Entre em contato conosco e descubra como é possível realizar seu sonho com parcelas que cabem no seu bolso!

     

    Nova chamada à ação