Entenda o que é e como adquirir uma cota de consórcio

    dicas, dicas-para-poupar, educacao-financeira, dicas-consorcio, dicas-para-investir

    O consórcio é uma modalidade de compra parcelada e programada de bens. Com ele, você pode se organizar financeiramente para trocar de carroconquistar a casa própriaviajar para o exterior ou mesmo fazer uma cirurgia plástica! Parece ótimo, não concorda?

    O detalhe é que, por mais que o termo seja bem conhecido, ainda existem muitas dúvidas sobre o que é cota de consórcio. Você sabe do que se trata e como você pode adquirir uma cota de consórcio? Confira as respostas para essas e tantas outras perguntas neste post!

    O que é cota de consórcio?

    Para nos aprofundarmos no assunto da cota sem qualquer dúvida, vamos antes esclarecer como funciona o consórcio, ok? Trata-se basicamente de um grupo de pessoas que se reúne com o objetivo de adquirir um serviço, como uma festa, uma viagem ou um tratamento estético, bem como para comprar um bem, como um automóvel, um terreno ou um apartamento. Vamos usar o carro como exemplo, combinado?

    Digamos que o veículo desejado custe 50 mil reais. Agora imagine que a administradora do consórcio vai dividir esse valor total em 60 meses, o que resultaria em uma parcela de 834 reais mensais. Como você só chegaria a conquistar seu carro novo em 5 anos, a empresa encontra um grupo de pessoas com o mesmo interesse que você.

    Somadas a cada mês, as prestações de todos fecham o valor de 50 mil reais, justamente o valor de um automóvel. Então, o que a empresa faz? Um sorteio para determinar quem vai receber o valor do carro primeiro. Isso não significa que a pessoa sorteada deixa de pagar o consórcio, mas sim que ela vai receber o automóvel antes.

    Dito isso, vai ficar mais fácil entender que a cota de consórcio de automóvel é a parte do valor total que você compra. Ela corresponde a um número que integra o grupo de consorciados, dando a eles o direito de participar dos sorteios.

    Como adquirir uma cota de consórcio?

    A maneira mais simples e segura de adquirir uma cota de consórcio é procurar uma administradorarenomada, realizando a transação diretamente com a empresa no momento em que o grupo ainda está sendo formado.

    Outra possibilidade é comprar cotas de transferência, que nada mais são que cotas de pessoas que entraram no grupo, mas não querem ou não podem mais participar do consórcio. Nesse caso, é preciso tomar alguns cuidados para não comprar uma cota inexistente.

    Para acertar na escolha, você deve, antes de mais nada, verificar se o consórcio realmente existe. Aproveite para checar também se a cota que está sendo vendida está com os pagamentos regularizados.

    É possível vender uma cota de consórcio?

    Se você está pagando um consórcio e não tem mais interesse em continuar ou não está conseguindo pagar as mensalidades, você pode sim optar por transferir sua cota para outra pessoa — isso, claro, desde que a administradora autorize a negociação.

    Nesse caso, a pessoa que está assumindo as parcelas deverá pagar os vencimentos futuros para a administradora. Sobre as mensalidades já quitadas: esse ressarcimento deve ser feito diretamente ao vendedor, em uma negociação particular, sem intervenção da empresa.

    Se a cota em questão já tiver sido contemplada, é necessário registrar o valor do crédito disponível, levando em consideração o saldo devedor e o número de parcelas restantes ao negociar a venda ou a transferência. Vale ressaltar que essa transação só pode ser realizada se a carta de crédito referente à cota não tiver sido utilizada.

    Para ficar mais claro, vamos apresentar a seguir um passo a passo que certamente o ajudará (e muito) a fazer a transferência da cota do consórcio sem erros. Veja só!

    O que é preciso fazer para transferir uma cota?

    Leia o contrato

    Em primeiro lugar, é necessário verificar se o contrato permite a transferência de cota. Normalmente, essa operação é praticada tanto em cotas não contempladas quanto em cotas ainda não contempladas. O que o contrato diz, no entanto, é o que vai definir os passos seguintes.

    Descubra o valor a ser pago

    Se o contrato permitir a transferência, você precisará agora calcular o valor que já foi pago, o saldo devedor e as parcelas a vencer. A própria administradora pode fornecer ao titular um extrato de pagamentos que vai informar justamente isso. No caso de cota já contemplada, a carta poderá ser requisitada imediatamente.

    Essas informações formam a base para definir o valor a pagar.

    Faça ofertas

    Se você é dono da cota e deseja vendê-la, é possível ofertar diretamente ao mercado. Só tenha o cuidado de não divulgar dados pessoais, combinado? Iniciando a negociação, aí sim você vai precisar fornecer informações sobre o consórcio, como valores pagos e saldo devedor… Após a negociação, a administradora passará mais detalhes ao novo titular.

    Saiba negociar

    Ao transferir a cota, o comprador passa a ser o titular do consórcio, podendo então participar das assembleias mensais, ocasiões em que os sorteios são realizados. Caso a cota já tenha sido contemplada, ele passa a ser o detentor da carta de crédito. Você pode usar essas informações como base para a negociação, pois são vantagens muito atrativas.

    Por outro lado, é bom ser razoável. Afinal, como o comprador vai entrar em um consórcio já em andamento, precisará desembolsar um dinheiro maior do que teria caso entrasse no início do plano.

    Elabore um contrato

    Embora a transferência seja feita pela administradora, algumas questões serão tratadas em particular, diretamente entre comprador e vendedor da conta. Isso precisa ser registrado em contrato! Embora não seja obrigatório, trata-se de uma garantia adicional de segurança para a operação.

    Organize a documentação

    A documentação exigida varia conforme a administradora e a situação da cota — se foi contemplada ou não, por exemplo. Por isso, ao realizar uma operação desse tipo, é preciso que as partes interessadas se informem para providenciar a papelada necessária, como o termo de transferência padrão e os documentos pessoais dos envolvidos.

    Apresentada a documentação exigida, a transferência é validada após a verificação e a aprovação de tudo, bem como do termo de transferência.

    Ressaltamos, porém, que esse tipo de operação exige atenção e cuidados especiais. Caso o comprador da cota não pague as parcelas em dia, por exemplo, a responsabilidade pode recair sobre o consorciado original.

    É permitido desistir de uma cota de consórcio?

    Em alguns casos, em vez de vender ou transferir, é possível simplesmente desistir da cota de consórcio — antes ou mesmo após a contemplação. Nesse cenário, é claro, as condições de devolução do investimento já realizado variam de acordo com os termos contratuais e de adesão. Por isso, é essencial avaliar os contratos e calcular alguns fatores, como o valor já quitado, o saldo devedor e as parcelas ainda a pagar.

    Existem algumas situações típicas de desistência de cota. A legislação que regula os consórcios no Brasil define que, a partir da data de assinatura do contrato, o consorciado tem o prazo de 7 dias para desistir do consórcio sem pagar multas. Para tanto, o contrato não pode ter sido assinado na sede administradora do consórcio.

    Já no caso de cancelamento da cota no decorrer do contrato, o consorciado deve formalizar seu pedido de desistência à administradora. O artigo 22 da Lei 11.795, de 2008, garante que o consorciado receba o dinheiro investido de volta.

    Se o consorciado já foi contemplado e não usou a carta de crédito para adquirir o bem ou contratar o serviço, mas ainda assim deseja desistir da cota, ele deve dar início ao processo de descontemplação para prosseguir com o cancelamento.

    E comprar cartas contempladas, é possível?

    Você já deve ter visto por aí pessoas vendendo cartas contempladas de consórcio. Isso significa que a pessoa pagou o consórcio parcial ou totalmente, tem o direito de usar o crédito e quer repassar esse direito um terceiro. Pode ser uma boa para conquistar seu sonho mais rapidamente, mas fique atento: existem fraudadores usando esse tipo de argumento para enganar as pessoas e roubar o dinheiro.

    A compra de cartas contempladas apresenta vantagens e desvantagens. O melhor a fazer é procurar por empresas especializadas na compra e venda de cota de consórcio. Para você já ir se preparando, vamos abordar aqui algumas dicas para avaliar uma possível compra de carta contemplada. Confira!

    Verifique a situação da carta

    Em primeiro lugar, é preciso verificar a situação da carta. Ela existe de fato? As parcelas já foram totalmente quitadas? A qual administradora ela está vinculada? Você pode enviar uma solicitação à empresa para comprovar a existência do consórcio e checar a situação do crédito.

    Aproveite para se certificar de que a administradora é devidamente credenciada e regulada pelo Banco Central. Esses são cuidados vitais para evitar tanto uma fraude quanto um péssimo negócio.

    Informe-se sobre regras e condições

    Depois, avaliada a situação da carta de crédito, é preciso se informar sobre as regras e condições do negócio. Assim, você estará ciente das responsabilidades a assumir após a transação.

    Avalie suas condições financeiras

    Por fim, nunca é demais lembrar que você deve avaliar suas condições financeiras para encaixar essa despesa nova no seu orçamento. E, claro, sempre desconfie de negócios que parecem bons demais para ser verdade, pois eles geralmente são o que parecem ser.

    Vale lembrar também que cartas contempladas são vendidas por valores maiores do que o valor real do crédito, o que deve ser avaliado antes de tomar sua decisão.

    Como escolher qual consórcio contratar?

    A essa altura, você entendeu bem o que é cota. Mas se você deseja entrar em um consórcio, seja comprando uma cota ou ainda no início do plano, como um titular original, é necessário estar atento a alguns detalhes básicos. Falaremos sobre alguns agora!

    Analise o contrato

    Essa dica é elementar. É no contrato que estão todas as condições e informações sobre o consórcio, como prazos, valores das parcelas, taxas, regras e assim por diante. Por isso, antes de assinar qualquer documento, esteja ciente sobre todos os seus direitos e deveres.

    Avalie os prazos

    Quanto menor o prazo de pagamento, mas rapidamente você garante o bem ou serviço desejado, mas, ao mesmo tempo, mais caras se tornam as parcelas. E o contrário também vale: quanto mais extenso, menores são as mensalidades.

    Existem consórcios de diversos prazos. Por isso, além do valor a ser pago, é necessário avaliar suas necessidades. Se for algo de que você não precisa tão rapidamente, talvez seja possível entrar em consórcio mais longo, que se encaixe melhor no seu bolso.

    Calcule taxas e adicionais

    Embora o consórcio não tenha juros, além da parcela referente ao bem ou serviço em si, você precisará pagar uma taxa de administração, que corresponde à remuneração da empresa.

    Além disso, pode ser cobrado um fundo de reserva a fim de garantir o funcionamento do consórcio no caso do surgimento de certos imprevistos. Tais ocorrências devem estar descritas no contrato, como inadimplência e desistência de usuários. Então fique atento, pois esses valores se somarão às parcelas.

    Verifique as parcelas

    É necessário conferir como funcionam as parcelas, que podem ser:

    • lineares: de valor aproximado durante todo o consórcio, o que ajuda no planejamento financeiro;
    • decrescentes: começando com parcelas maiores que vão diminuindo com o tempo.

    Não se esqueça de verificar se os valores podem ser adiantados. Dessa forma, você pode não só quitar o consórcio mais rápido como também se livrar de reajustes.

    Sem dúvida, o consórcio é um tipo de investimento que aproxima as pessoas da realização de seus sonhos. Além disso, o modelo ajuda o consorciado a se preparar para o futuro de um modo financeiramente sustentável! Só ressaltando: entender bem como funcionam as condições do plano é fundamental para o sucesso dessa estratégia.

    Tudo esclarecido ou ainda restam dúvidas sobre o que é cota de consórcio? Deixe seu comentário aqui no post e participe da conversa!