<img height="1" width="1" alt="" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=408815549258573&amp;ev=PixelInitialized">

    Entenda o que é e como adquirir uma cota de consórcio

    dicas, dicas-para-poupar, educacao-financeira, dicas-consorcio, dicas-para-investir

    O consórcio é uma modalidade de compra parcelada e programada de bens. Com ele, você pode se organizar financeiramente para trocar de carro ou conquistar a casa própria. Por mais que o termo seja bem conhecido, ainda surgem dúvidas sobre o que é cota de consórcio.

    Você sabe do que se trata? E como você pode adquirir uma cota de consórcio? Confira as respostas para essas e outras dúvidas neste post!

    O que é cota de consórcio?

    Para entrarmos no assunto da cota, vamos esclarecer rapidamente como funciona o consórcio. Um grupo de pessoas se reúne com o objetivo de adquirir um serviço ou um bem, como um automóvel. Digamos que esse carro custe 50 mil reais.

    A empresa detentora do consórcio divide esse valor total em 60 meses, o que daria uma parcela de 834 reais mensais. Mas como você só chegaria a conquistar seu carro novo em 5 anos, a empresa encontra um grupo de pessoas que têm o mesmo interesse que você.

    As prestações de todos, somadas no mês, fecham o valor de 50 mil reais, isto é, o valor de um automóvel. Então, o que a empresa faz? Um sorteio para determinar quem vai receber o carro primeiro. Isso não significa que a pessoa sorteada deixa de pagar o consórcio, apenas que ela vai receber o automóvel antes.

    Dito isso, a cota de consórcio de automóvel é a parte do valor total que você compra. Ela corresponde a um número que integra o grupo de consorciados e que te dá o direito de participar dos sorteios.

    Como adquirir uma cota de consórcio?

    A maneira mais simples e segura de adquirir uma cota de consórcio é procurar uma administradora de consórcios e realizar a transação diretamente com a empresa, no momento em que o grupo está sendo formado.

    Outra possibilidade é comprar cotas de transferência, isto é, de pessoas que entram no grupo e não querem mais participar do consórcio. Nesse caso, existem alguns cuidados que você deve ter para não comprar uma cota inexistente e acertar na escolha, como verificar se o consórcio realmente existe, se a cota que está sendo vendida está com os pagamentos regularizados, entre outros.

    É possível vender uma cota de consórcio?

    Se você está pagando um consórcio e não tem mais interesse em continuar ou não está conseguindo pagar as mensalidades, você pode optar por transferir sua cota para outra pessoa, desde que a administradora do consórcio autorize a negociação. Nesse caso, a pessoa que está assumindo as parcelas deverá pagar os vencimentos futuros para a administradora e as parcelas já quitadas a você, em uma negociação particular.

    Se a cota em questão já tiver sido contemplada, é necessário registrar o valor do crédito disponível e levar em consideração o saldo devedor e o número de parcelas restantes ao negociar a venda ou transferência. A venda ou transferência só pode ser realizada se a carta de crédito referente à cota não tiver sido utilizada.

    Ao realizar uma operação desse tipo, é preciso que as partes interessadas consultem a administradora do consórcio para providenciar a documentação necessária, como o termo de transferência padrão e a documentação pessoal dos envolvidos. Apresentada a documentação exigida, a transferência é validada após a verificação e aprovação dos documentos e do termo de transferência.

    Ressaltamos que esse tipo de operação exige atenção e cuidados especiais. Por exemplo, caso o comprador da cota não pague as parcelas em dia, a responsabilidade pode recair sobre o consorciado original.

    É permitido desistir da cota de consórcio?

    Em vez de vender ou transferir, em alguns casos, é possível desistir da cota de consórcio, seja antes, seja após a contemplação do benefício. Nesses casos, é claro, as condições de devolução do investimento já realizado devem variar de acordo com as condições contratuais e de adesão. Por isso, é sempre muito importante avaliar os contratos e calcular alguns fatores como valor já quitado, saldo devedor e parcelas a pagar.

    Existem algumas situações típicas de desistência de cota. A legislação que regula os consórcios no Brasil define que, a partir da data de assinatura do contrato, o consorciado tem o prazo de 7 dias para desistir do consórcio sem pagar multas — nesse caso, o contrato não pode ter sido assinado na sede administradora do consórcio.

    Já no caso de cancelamento da cota no decorrer do contrato, o consorciado deve formalizar seu pedido de desistência à administradora. O art. 22 da Lei 11.795/2008 garante que o consorciado receba o dinheiro investido de volta.

    Se o consorciado já foi contemplado e não usou a carta de crédito para adquirir o bem, mas ainda assim deseja desistir da cota, ele deve dar início ao processo de "descontemplação" para prosseguir com o cancelamento.

    E comprar cartas contempladas, é possível?

    Você pode ter visto por aí pessoas vendendo cartas contempladas de consórcio. Significa que a pessoa pagou o consórcio parcial ou totalmente, tem o direito a usar o crédito e quer repassar esse direito a terceiros.

    Pode ser uma boa para conquistar o seu sonho mais rapidamente, mas fique atento: existem fraudadores usando esse tipo de argumento para enganar as pessoas e roubar o dinheiro. A compra de cartas contempladas apresenta vantagens e desvantagens. O melhor a se fazer é procurar por empresas especializadas na compra e venda de cota de consórcio.

    De qualquer forma, vamos abordar rapidamente algumas dicas na hora de avaliar uma possível compra de carta contemplada. Confira:

    Verifique a situação da carta

    Em primeiro lugar, é preciso verificar a situação da carta: ela existe de fato? As parcelas já foram totalmente quitadas? A qual administradora ela está vinculada? Você pode enviar à administradora uma solicitação para comprovar a existência do consórcio e qual a situação do crédito.

    Aproveite também para certificar-se de que a administradora é credenciada e regulada pelo Banco Central. Esses são cuidados vitais para evitar tanto as fraudes quanto os maus negócios.

    Se informe sobre regras e condições

    Em segundo lugar, avaliada a situação da carta de créditos, é preciso se informar sobre as regras e condições do negócio. Assim, você estará ciente das responsabilidades a serem assumidas após a transação.

    Avalie suas condições financeiras

    Por fim, nunca é demais lembrar que você deve avaliar suas condições financeiras para encaixar essa despesa nova no seu orçamento. E claro: sempre desconfie de negócios que parecem bons demais para serem verdade, pois, geralmente, são de fato exatamente o que parecem.

    Vale lembrar também que cartas contempladas são vendidas por valores maiores do que o valor real do crédito, o que deve ser avaliado antes da sua decisão.

    Tudo esclarecido ou ainda restam dúvidas sobre o que é cota de consórcio? Deixe seu comentário aqui no post!