Uma das principais preocupações de qualquer pai é garantir o futuro dos filhos. Afinal, ninguém quer que sua cria sofra, não é mesmo? Pois é justamente o foco na segurança financeira da família que motiva pais do mundo inteiro a trabalharem duro todos os dias. Você se identifica?

    O detalhe é que isso exige fazer escolhas inteligentes. Não basta economizar, privando-se de qualidade de vida, sem pensar no que fazer com o dinheiro guardado. O que fazer então? Confira as dicas que preparamos para ajudá-lo nesse processo!

    Por que pensar em garantir o futuro dos filhos desde cedo?

    A vida traz muitas preocupações: é preciso colocar comida na mesa, ter momentos de lazer, providenciar a educação dos filhos e até deixar uma reserva para as conquistas futuras dos pequenos. Já pensou em quantos momentos exigem gastos atípicos? Quem tem filho se preocupa em guardar dinheiro, por exemplo, para:

    Por tudo isso e muito mais, o ideal é que os pais realmente criem o hábito de guardar dinheiro, já que, mais cedo ou mais tarde, um gasto extra sempre aparece. Nesse contexto, vale a pena conscientizar toda a família sobre a importância de começar a poupar imediatamente a fim de assegurar um futuro mais tranquilo.

    Como exatamente incorporar essa ideia na família?

    Na prática, pouco adianta se esforçar sozinho, não concorda? Assim, toda a família precisa esteja no mesmo compasso: economizando e poupando. Uma iniciativa que costuma contribuir para esse fim é reunir todos e perguntar quais são os sonhos de cada um.

    Focando nesses objetivos, fica mais fácil entender que as atitudes de agora vão proporcionar a realização desses desejos tão esperados. Essa é a hora de traçar um planejamento financeiro e transformar os sonhos de cada um em metas para toda a família!

    Que dicas e atitudes podem ajudar nesse processo?

    Como prometemos, reunimos aqui algumas dicas fundamentais para alcançar o sucesso nesse projeto. Tome nota e se prepare para colocá-las em prática imediatamente!

    1. Tenha um orçamento doméstico definido

    Reuniu a família? Eis a hora perfeita para montar o orçamento mensal. Calcule quanto precisará ser gasto, por exemplo, com:

    • contas de água, luz e telefone;
    • mensalidades de cursos, escolas e faculdades;
    • combustível para o deslocamento familiar;
    • compras e mantimentos.

    Nesse momento, defina também metas de economia para reduzir os gastos supérfluos e ter mais dinheiro no fim do mês.

    2. Invista em educação financeira

    Fale com seus filhos sobre investimentos financeiros, consórcios, poupanças e o que mais achar relevante. Ajude sua família a entender a importância de economizar e investir. A educação financeira é capaz de ajudar seus filhos a lidarem melhor com o dinheiro no futuro, aproveitando da melhor forma possível as economias feitas hoje.

    3. Monte uma reserva de segurança

    Ter um colchão de segurança é crucial. Imagine que você está juntando dinheiro para pagar a faculdade de um filho e surge uma emergência médica. De onde tirar recursos para cobri-la? Seria preciso fazer um grande sacrifício, não é verdade? Antes de qualquer outra coisa, portanto, preocupe-se em montar uma reserva financeira que cubra certas situações, como desemprego e imprevistos de qualquer natureza.

    4. Faça investimentos separados para cada filho

    Se você for deixar o dinheiro economizado na poupança, pense em fazer uma para cada filho. Caso entre em um consórcio, siga o mesmo caminho. Isso evita brigas em casa e pode favorecer a conscientização familiar, já que cada um saberá no que está investindo.

    5. Garanta estudo de qualidade

    Programe as finanças para comportar intercâmbios, cursos de língua e outras experiências capazes de complementar a formação profissional dos seus filhos. Isso será importante quando tentarem ingressar no mercado de trabalho, podendo funcionar como o diferencial competitivo necessário para garantir uma boa colocação.

    6. Foque na formação de patrimônio

    Quando falamos em garantir o futuro dos filhos, um dos primeiros pensamentos que vêm à cabeça dos pais é: é preciso reunir patrimônio. E não é sem razão! Imóveis, por exemplo, quase nunca se desvalorizam, configurando investimentos altamente seguros. No longo prazo, foque na conquista de bens que tragam estabilidade e renda extra.

    Gostou das dicas? Pois temos mais uma: compartilhe este post nas suas redes sociais e aproveite para trocar ideias a respeito do assunto com outros pais! Vai ser uma discussão muito positiva!