Qualquer conteúdo que traz dicas sobre como controlar o orçamento, inclusive os publicados aqui blog, recomenda identificar e cortar os gastos supérfluos para manter as contas em dia.

    Não há dúvida sobre a importância da redução dessas despesas consideradas menos importantes. Mas do que estamos falando quando mencionamos esses tais gastos supérfluos? E qual é a melhor forma de identificá-los e cortá-los? As respostas para essas perguntas estão ao longo deste texto. Acompanhe!

    O que são gastos supérfluos?

    Gastos supérfluos são aqueles feitos sem uma reflexão prévia sobre a sua real necessidade. Eles poderiam ser dispensados se houvesse uma análise maior antes da compra. E nem precisam ser de valores elevados!

    Podem ser tanto compras de itens de vestuário, eletrônicos ou qualquer outro produto de maior valor, quanto pequenas compras do dia a dia — como o cafezinho depois do almoço, o sorvete no fim da tarde ou o jantar fora de casa em vários dias da semana.

    Ainda assim, o que é supérfluo para uma pessoa pode não ser para outra. E o motivo para isso é simples: entender o que é um gasto dispensável passa por compreender a situação financeira e as necessidades da rotina de cada um.

    Uma pessoa com um orçamento organizado pode ser dar ao luxo de comer mais vezes fora ao longo do mês, por exemplo. Já quem está em apuros precisa controlar esse tipo de custo de forma rígida.

    Como identificar e eliminar essas despesas?

    É difícil listar todos os gastos supérfluos, já que eles variam de pessoa para pessoa. Mas ainda é possível separá-los em categorias, como lazer, vestuário, entretenimento e serviços. Desse modo, fica mais fácil tomar atitudes para tornar racional o uso do dinheiro e evitar que essas compras desnecessárias se transformem em dívidas. Acompanhe a seguir a melhor maneira de fazer essa divisão.

    Lazer

    Com exceção de situações extremas, o lazer nunca deve ser excluído completamente do orçamento. É essencial ter fontes de diversão e relaxamento em meio a tantas obrigações nem sempre tão agradáveis.

    Todavia, a fatia da renda destinada a esse gasto deve ser pequena e utilizada de forma bastante controlada. Usou todo o dinheiro reservado para isso antes de o mês acabar? Então procure alternativas gratuitas ou mais baratas para se divertir até o mês seguinte.

    Vestuário

    Roupas, por si só, não são uma despesa supérflua. Mas as coisas podem sair de controle se não forem tomadas algumas precauções. As duas principais são: não comprar peças que serão utilizadas pouquíssimas vezes e não gastar demasiadamente com roupas de marcas famosas, que sempre são mais caras.

    Entretenimento e serviços

    Faça uma avaliação cuidadosa dos pacotes de TV a cabo, internet e telefone celular contratados. Veja se eles estão de acordo com o seu uso. Não é raro que esses serviços estejam comprometendo uma fatia muito grande do orçamento sem que tudo esteja sendo de fato utilizado.

    Para aumentar a economia, opte por serviços de streaming. Com uma mensalidade bem mais em conta, eles oferecem boas opções de séries e filmes por meio da internet.

    No começo pode ser difícil abrir mão de pequenos luxos que estão presentes na rotina há muito tempo. Por outro lado, o esforço para cortar os gastos supérfluos vai gerar uma economia que poderá ser utilizada para fins mais relevantes.

    Deixe seu comentário contando qual é o gasto supérfluo que mais atrapalha seu bolso e o que você faz para evitá-lo!