Qualquer pessoa que aplica dinheiro, mesmo que em pequenas quantias, procura investimentos rentáveis. Mas a busca por aplicações com boa rentabilidade e de baixo risco não é tão simples.

    Para ajudar, indicamos neste post formas de investimentos que oferecem uma boa rentabilidade sem grande exposição a riscos. Na lista, dividimos as aplicações em dois grupos: as três primeiras são ideais para o curto prazo, enquanto as duas últimas são recomendadas para períodos maiores. Dito isso, tenha uma ótima leitura!

    1. CDB

    Os certificados de depósito bancários (CBDs) são papéis que bancos emitem para captar dinheiro e manter suas atividades comerciais. Ou seja, quem investe em CDBs está emprestando dinheiro para a instituição financeira, que remunera o investidor com juros.

    Em investimentos de curto prazo, o ideal é optar pelos CDBs com liquidez diária. Eles permitem que o saque seja feito a qualquer momento, sem nenhuma penalidade. 

    2. LCI e LCA

    As Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e as Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) são investimentos que aplicam o dinheiro nos setores imobiliários e no agronegócio, como os próprios nomes dão a entender.

    Com isso, o investidor recebe uma parte do retorno como remuneração. Existem no mercado LCIs e LCAs de curto prazo, com vencimento semestral. A vantagem dessa aplicação é a isenção da cobrança de Imposto de Renda, o que não acontece com os CDBs, por exemplo.

    3. Fundos DI

    Os Fundos DI colocam a maior parte do dinheiro investido em títulos públicos e têm como referência de rentabilidade o chamado CDI, taxa muito próxima à SELIC, os juros básicos da economia nacional.

    Embora a rentabilidade possa ser um atrativo, é importante ficar atento às taxas de administração cobradas. Se elas forem muito altas, comprometerão o retorno, principalmente em aplicações de períodos mais curtos.

    4. Tesouro Direto

    Tesouro Direto é conhecido pela sua segurança, já que os papéis negociados nessa plataforma são garantidos pelo Tesouro Nacional. Quem investe nessa modalidade empresta dinheiro ao governo e recebe como remuneração ao final do período estipulado os juros de acordo com que foi definido no momento da aplicação.

    São vários os tipos de títulos negociados no Tesouro Direto. O que muda entre eles é o prazo e a forma como a remuneração é calculada. Para períodos mais longos, a dica é escolher os papéis chamados de IPCA+, que pagam uma taxa de juros prefixada mais a inflação do período.

    5. Consórcios

    Quem está pensando no futuro deve considerar também os consórcios como uma excelente alternativa de investimento. Por meio deles, é possível programar a aquisição de bens e serviços sem pagar juros. Com isso, é possível ampliar seu patrimônio e assim garantir um futuro mais tranquilo.

    Uma boa administradora costuma oferecer diversos planos, com parcelas e prazos de acordo com a necessidade de cada um. Além disso, os consórcios são boas opções para quem precisa criar disciplina para separar uma parte do orçamento todo mês e investi-lo. 

    Ao escolher entre essas e outras opções de investimentos rentáveis disponíveis no mercado, considere sempre alguns aspectos, como seu perfil e seus objetivos. Quem ainda é jovem certamente terá preferências e necessidades diversas de pessoas em outros estágios da vida, por exemplo. Logo, é essencial avaliar tais variáveis.

    Quer investir mais não sabe nem por onde e como começar? Confira essas dicas para não errar nessa hora!