Investir em consórcio ou em investimentos tradicionais

Investir em consórcio ou em investimentos tradicionais? Tire suas dúvidas

Janeiro 2019

2 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Investir é aplicar um recurso com a expectativa de um retorno no futuro. E decidir onde colocar esses recursos tão preciosos traz muitas dúvidas, mesmo entre pessoas familiarizadas com o assunto.

Quem está procurando uma boa aplicação para seu dinheiro deve sempre considerar os consórcios como uma forma de investimento bastante atrativa. Quer mais detalhes sobre como investir em consórcio e entender quais são as diferenças em relação aos investimentos tradicionais? Então acompanhe este texto!

O que considerar antes de investir?

Além de conhecer as opções disponíveis no mercado, é necessário fazer uma avaliação do seu perfil e objetivo antes de escolher o melhor investimento.

perfil aborda, principalmente, a disposição de cada um em assumir riscos sobre as escolhas de modalidades feitas. Quem é conservador, por exemplo, concentra recursos em aplicações mais seguras, mesmo que isso represente ganhos menores. Por outro lado, os investidores com perfil arrojado toleram um nível de risco maior.

É preciso ter em mente também o objetivo da aplicação: quem deseja formar uma reserva financeira, por exemplo, deve escolher modalidades mais conservadoras.

Quais são as características do investimento em consórcio?

O consórcio se caracteriza pela formação de uma poupança de maneira programada, com o objetivo de adquirir um bem ou contratar um serviço. E isso é ótimo, já que a disciplina exigida para pagar as parcelas faz com que seja mais fácil acumular o valor necessário.

O consórcio é uma opção bastante flexível. A partir do momento em que o consorciado recebe a sua carta de crédito, ele pode utilizá-la para comprar qualquer bem ou serviço pertencente ao grupo escolhido na hora da contratação. Ou seja, uma carta de crédito de um consórcio de imóveis pode ser utilizada tanto para comprar uma casa quanto um apartamento, seja novo ou usado.

Por fim, existe ainda a possibilidade de antecipar o recebimento do consórcio por meio da oferta de lances, sem depender dos sorteios periódicos realizados nas assembleias. Esses lances são um adiantamento dos valores a serem pagos, acelerando a contemplação e o posterior recebimento da carta de crédito.

Quais são as vantagens de investir em consórcio?

Essas características fazem com que os consórcios sejam um investimento bastante interessante e confiável. Para demonstrar isso, listamos as principais vantagens usufruídas por quem escolhe essa aplicação.

Segurança

Todo o processo de um consórcio é resguardado por um contrato. Isso amplia a proteção ao investidor, que tem previsibilidade sobre tudo o que pode acontecer com sua aplicação.

Além disso, a atividade das administradoras é supervisionada pelo Banco Central, que garante que empresas atuantes no ramo estejam capacitadas para oferecer o serviço.

Sem juros

Ninguém gosta de pagar juros, não é mesmo? Essa preocupação não existe nos consórcios. São cobradas apenas taxas administrativas.

Poder de compra

O valor da carta de crédito é definido no início do consórcio. No entanto, são feitos reajustes periódicos para que o consorciado não perca poder de compra ao longo do período do investimento.

Burocracia menor

Do começo ao fim, a burocracia de um consórcio é limitada somente ao essencial. A adesão ao grupo envolve poucos documentos, e análises de crédito são feitas apenas depois da contemplação.

Com isso, investir em consórcio é uma excelente opção para quem quer possibilidades além das modalidades tradicionais, unindo simplicidade, segurança, rentabilidade e a oportunidade de ampliar o patrimônio.

Gostou das dicas? Então acompanhe o trabalho da Rodobens curtindo a nossa página no Facebook!


 

Comentários