O que avaliar antes de comprar um carro usado?

Agosto 2016

4 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

o que avaliar antes de comprar um carro usado.jpg

Você já pensou que um carro usado bem conservado e completo pode ser um negócio muito mais em conta que um zero quilômetro básico? Mas por mais que isso seja verdade, no caso dos carros usados, é preciso ter cuidado redobrado na hora de escolher a opção mais adequada a seu perfil. Afinal, por trás de um capô bem lustrado pode se esconder um motor defeituoso, entre tantos problemas que, vira e mexe, acabam resultando em dor de cabeça para os novos proprietários. Mas não se preocupe, porque neste post listaremos ao menos alguns dos itens que não podem deixar de ser avaliados antes de comprar um carro usado. Então anote aí!

CTA_Manual-como-comprar-um-carro-sem-ter-dinheiro-guardado_final (1)

Documentação

Principalmente se você fizer a negociação nas tradicionais feiras de usados dos finais de semana, é bom ficar bem atento à documentação do veículo a ser repassada pelo proprietário anterior. Saiba, portanto, que com o número da placa e do chassi em mãos, é possível pesquisar se o veículo tem multas ou autuações ainda pendentes, além de outros impedimentos que exigirão uma série de procedimentos burocráticos específicos — como se for um bem alienado de propriedade do banco, por exemplo.

Quilometragem

A quilometragem é um dos principais itens a serem avaliados, pois, de acordo com esses números, a negociação pode ter seu rumo completamente alterado. A lógica não é nada difícil: quanto mais baixa a quilometragem estiver em relação ao ano de fabricação, mais valioso o veículo teoricamente é, pelo simples fato de ter rodado pouco e, portanto, não apresentar partes desgastadas demais. A dica aqui é ter cuidado com eventuais adulterações no odômetro, fraudes que costumam ser cometidas para superestimar o preço do veículo.

Histórico

O histórico ou a procedência do usado também conta bastante. Assim, mesmo se não for possível conhecer o dono anterior, procure saber se o veículo em questão já esteve envolvido em sinistros. Com esses dados você ainda fica por dentro de problemas mecânicos habituais que, mais cedo ou mais tarde, poderão levar o veículo para a oficina, encarecendo o preço final da sua aquisição.

Cor

Esse item é de fundamental importância caso você pretenda renegociar o usado no futuro. Então saiba que cores que extrapolam os convencionais branco, preto, cinza e vermelho encontram mais resistência por parte dos consumidores e, consequentemente, pelas fábricas, que não querem dedicar sua linha de produção a modelos que ninguém comprará. Logo, comprar um usado cor de abacate pode representar um verdadeiro abacaxi na próxima negociação — a não ser que dê sorte de encontrar um comprador que queira, de fato, um usado nessa tonalidade.

Pneus

Verifique também o estado dos pneus antes de comprar um carro usado. Pneus novos ou pelo menos em boas condições podem nem fazer tanta diferença no preço final nesse momento, mas representam uma economia de, no mínimo, mil reais mais para frente — considerando o equivalente ao valor de 4 pneus simples. Além disso, não deixe de olhar o estado do estepe, já que é muito comum a falta desse acessório obrigatório só ser notada quando o motorista efetivamente precisa trocar um dos pneus.

Acessórios

Acessórios como ar-condicionado, freio ABS, sensor de estacionamento e assim por diante valorizam (e muito) o veículo. Mas procure avaliar se o acessório em questão trará efetivamente algum benefício para seu dia a dia ou se apenas servirá para encarecer a compra. Se você for usar o carro para trajetos básicos, como ir de casa para o trabalho, não há necessidade de adquirir um veículo com direção de couro e aerofólio, por exemplo, não concorda? Pese custo e benefício antes de tomar sua decisão!

Mecânica

Essa possivelmente é parte mais complicada nesse tipo de negociação, pois muitas vezes é difícil de ser avaliada por completo no ato da compra do veículo usado. Até um test drive pode ser insuficiente para detectar falhas corriqueiras na mecânica do veículo, como um sistema de frenagem avariado, mangueiras desgastadas, motor comprometido e sistema de arrefecimento danificado. Para não levar problema para casa, o ideal é sempre contar com a opinião de um especialista, que poderá diagnosticar a real condição do veículo.

Consumo

Por mais que a analogia de que carro é como um filho esteja desgastada, ainda representa bem o que significa ter a posse de um veículo hoje em dia. Afinal, não é só entrar no carro e sair dirigindo. Há uma série de gastos que exige um comprometimento praticamente diário do proprietário. Um deles é, por exemplo, o combustível. Portanto, é sempre bom questionar se o modelo consome muito ou pouco combustível, se é flex (aceita álcool e gasolina) e se desenvolve bem.

Pagamento

Por último, mas não menos importante, chegamos às condições de pagamento. E por mais que muitos consumidores cheguem aos usados com o intuito de gastarem menos, essa lógica de mercado exige certo cuidado. Depois de avaliar todos os itens anteriores, negocie uma forma de pagamento que realmente caiba no seu bolso. Verifique e compare as taxas de juros cobradas por bancos e financeiras, bem como o número de parcelas. Em relação à entrada, muitos estabelecimentos exigem uma quantia mínima, o que pode inviabilizar a compra de quem não possui uma grande soma para investir no bem logo de cara. Especialmente nesses casos, o consórcio surge como uma grande opção, pois não há necessidade de entrada e nem a cobrança de juros.

Além do mais, ao sairmos de casa para comprar um veículo usado, normalmente temos uma boa ideia do modelo que desejamos, mas deixamos a maior parte da responsabilidade de encontrar o veículo certo para o vendedor. E isso nem sempre resulta na compra ideal! Por isso, é importante que você pesquise a tabela Fipe dos principais modelos, para que tenha um maior embasamento no momento de negociar as condições de pagamento.

Agora que você ficou por dentro da nossa checklist sobre o que avaliar antes de comprar um carro usado, é bom ter bastante atenção na hora de escolher o estabelecimento onde fará essa transação. O ideal é buscar empresas sólidas, certificadas e reconhecidas no mercado, que deem garantias de que a negociação é lícita e atende ao código do consumidor. Lembre-se sempre de que negócio seguro é igual a satisfação garantida!

E então, ficou com alguma dúvida em relação a algum dos itens da nossa lista? Gostaria de acrescentar informações ou sugestões? Participe deixando aqui seu comentário!

No site da Rodobens Consórcio você pode fazer uma simulação de consórcio de carros e encontrar o plano que se encaixa no seu orçamento. 

Nova chamada à ação

Comentários