CDI: você sabe o que isso significa e como afeta os investimentos?

Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Para garantir uma boa performance nos investimentos, é muito importante entender um pouquinho sobre os assuntos relativos a esse universo. Portanto, é preciso que você esteja a par de informações relevantes, como o que é o CDI, por exemplo.

E, caso ainda não saiba, fique tranquilo. Nós preparamos um conteúdo breve que vai te ajudar a entender melhor o que é essa taxa e como ela torna os seus investimentos rentáveis. Ficou curioso? Então, vamos lá!

O que é o CDI?

A sigla CDI significa Certificado de Depósito Interbancário. De uma forma bem simplificada, trata-se de uma taxa exercida com base naquelas transações feitas entre instituições bancárias. Assim, quando um banco precisa transferir seus recursos para outro, ele emite esses títulos.

Imagine, portanto, que uma instituição precisou pedir dinheiro emprestado para outra, com o objetivo de fechar o caixa com saldo positivo. Então, ela pede crédito por meio do Certificado de Depósito Interbancário, que paga uma taxa específica para a instituição que está emprestando o dinheiro.

Portanto, quando dizemos que um investimento paga 100% do CDI, significa que ele remunera o mesmo que as instituições estão pagando a outros bancos para tomar dinheiro emprestado.

Atualmente, no mercado, é possível encontrar instituições que pagam até 120% do CDI em investimentos simples e com liquidez diária. Sendo assim, o CDI é considerado uma taxa de juros adotada no mercado financeiro.

Como essa taxa se regulamenta?

O CDI é regulamentado e calculado principalmente pela B3, bolsa de valores do Brasil. É ela quem fica de olho nas operações interbancárias, estabelecendo um custo médio para as transferências realizadas entre os bancos. Assim, esse custo determina a base de cálculo para o CDI diário, mensal e anual.

O valor desse índice está, inclusive, associado a outra taxa — a Selic, que é a taxa básica de juros. Ela é determinada pelo Copom — Comitê de Política Monetária do Banco Central — e ajustada a cada 45 dias com base nos indicadores de inflação e endividamento da nação.

Como ela influencia os investimentos?

O rendimento do CDI influencia no desempenho dos investimentos, especialmente porque ele direciona a taxa que será paga a um investidor por sua aplicação. Tecnicamente, ele investe o seu dinheiro em uma aplicação de Renda Fixa, por exemplo, que rende com base nessa taxa.

São exemplos de investimentos afetados pelo CDI:

  • CDB – Certificado de Depósito Bancário;
  • LCI – Letra de Crédito Imobiliário;
  • LCA – Letra de Crédito do Agronegócio;
  • LC – Letra de Câmbio;
  • CRI — Certificado de Recebíveis Imobiliários;
  • CRA — Certificado de Recebíveis do Agronegócio;
  • RDB — Recibo de Depósito Bancário;
  • Debêntures;
  • Fundos de Investimento;
  • Poupança — quando a Selic estiver abaixo de 8,5%.

Quanto rende o CDI?

A taxa de CDI costuma seguir a mesma direção dos juros básicos referentes à economia brasileira — a Selic. Há algum tempo, as aplicações em renda fixa rendiam facilmente 1% ao mês, de acordo com a taxa. Hoje, fica em torno de 0,7% ao mês.

Então, como você viu, o CDI é muito importante no cenário da economia nacional. E é claro que ele também afeta muitos dos seus melhores investimentos. Por isso, é imprescindível ficar de olho na oscilação dessa taxa, inclusive para comparar as rentabilidades das suas aplicações.

E agora que você já sabe o que é CDI e por que ele é importante, que tal assinar nossa newsletter e ficar por dentro de outros conteúdos interessantes?

 

Quer receber mais conteúdos como esses por email?

Cadastre-se para receber nossos conteúdos por email e tenha informações em primeira mão:

Use seu imóvel para tirar seus planos da gaveta

Comentários