O que é e como funciona um consórcio de carros

Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Atualmente, o consórcio é uma das alternativas mais viáveis para aqueles que querem comprar ou trocar de veículo. Porém, ainda podem existir algumas dúvidas sobre como funciona um consórcio de carros. Pensando justamente nisso, resolvemos esclarecer, aqui, alguns questionamentos comuns sobre essa modalidade.

De que forma consigo ser contemplado em um consórcio de carros? E se eu atrasar alguma parcela? A administradora que escolhi é confiável? Se quer saber as respostas para essas e muitas outras perguntas, confira o que preparamos para você!

CTA_Como-funciona-o-consórcio-de-carros

Como funciona um consórcio de carros?

O consórcio de carros funciona da mesma forma que os consórcios para a compra de outros bens. Ele é muito semelhante a uma poupança, só que com aportes programados e formação em conjunto com um grupo de pessoas.

A ideia é reunir interessados em planejar a aquisição de um automóvel, com a vantagem de possibilitar a compra antes de que, individualmente, se consiga juntar o montante total.

O gerenciamento do grupo, dos pagamentos e dos sorteios é feito por uma administradora. Assim, desde quando é autorizada a atuar pelo Banco Central, a administradora começa a reunir um grupo interessado em comprar determinados bens, que podem ser:

É necessário atingir um número mínimo de consorciados para que o sorteio mensal desse bem se torne viável. Nesse formato, cada membro contribui com um valor mensal durante todo o tempo de vigência do consórcio. Esse montante é usado para formar o chamado fundo comum — reserva que é contabilizada para garantir seu poder de compra e a contemplação dos participantes do grupo

Contemplação

Todo mês, é realizada uma assembleia que reúne todos os participantes do grupo de consorciados. Nessa ocasião, pelo menos um deles será contemplado, por meio de sorteio, uma carta de crédito correspondente ao valor estabelecido em contrato.

Outros membros do grupo também podem ser contemplados dando bons lances — o que explicaremos melhor adiante.

O que é consórcio

Quais são as vantagens de um consórcio de carro?

Ao planejar a compra de um veículo, diversas estratégias podem vir à mente, mas é importante pesquisar bastante todas as alternativas, a fim de tomar uma decisão abalizada e entender qual vale mais a pena no seu caso.

O consórcio de carros traz muitas vantagens quando comparado às demais alternativas. Vamos destacar algumas delas aqui. Veja só!

Custos mais baixos

Quem preza pelo custo-benefício certamente opta pelo consórcio. Quando comparamos com outras formas de obtenção de crédito, então, os custos são muito menores. O motivo é a ausência de juros na aquisição do bem — a administradora do consórcio cobra apenas uma taxa prefixada para fazer a gestão do grupo. 

Maior flexibilidade

Você sempre vai encontrar um consórcio de carros com parcelas que caibam no seu orçamento. Essa flexibilidade permite que o objetivo de comprar um automóvel se torne facilmente realizável.

Ao apresentar suas condições para a administradora, então, ela pode oferecer o consórcio que melhor se encaixe nos seus objetivos. Assim, não haverá surpresas! Você pode planejar suas finanças para escolher a opção que respeite o seu orçamento. Da mesma forma, é possível saber qual é a data máxima para comprar seu veículo — que pode ser antecipada caso você seja sorteado ou dê um lance vencedor.

Liberdade no uso do crédito

Existem diferentes categorias de consórcio. Você pode fazer um de bens móveis, bens imóveis ou serviços, por exemplo. Quando você escolhe comprar um carro usando essa modalidade de aquisição, sua compra se encaixa em bens móveis.

Assim, ao fazer parte de um consórcio de um automóvel, você pode, na verdade, usar o prêmio de contemplação para comprar qualquer bem que se encaixe na categoria móvel. 

Portanto, sua escolha pode ser por um modelo diferente daquele apresentado no início do consórcio ou, até mesmo, embarcações e motos — se o valor não for o mesmo do contrato, isso pode ser conversado com a administradora.

Essa flexibilidade permite que você fique mais tranquilo com sua compra. Afinal, será possível fazer alterações, caso seus planos mudem com o tempo.

Compra à vista

Todos sabemos que compras à vista podem sair muito mais baratas. O comprador que tem o montante total para fazer o pagamento consegue obter descontos mais vantajosos.

Em relação ao crédito que vai receber, é importante entender como funciona um consórcio de carros. Como já dissemos, você recebe uma carta de crédito com o valor total do bem. Dessa forma, o recurso permite negociar melhores condições.

Lembre-se, também, de que parte do valor da carta pode ser utilizado para despesas administrativas. Na compra de um veículo, por exemplo, você terá que pagar por alguns processos burocráticos, como o licenciamento. Também pode ser usado o valor para acessórios. Assim, não será necessário desembolsar uma quantia adicional para cobrir esses custos.

Quanto tempo dura um consórcio?

A duração é uma dúvida comum entre aqueles que estão em busca de entender como funciona um consórcio. Um grupo da categoria de bens móveis pode levar até 120 meses. Contudo, em geral, os consórcios de carros duram entre 1 e 8 anos, dependendo do plano escolhido.

Assim, você sempre saberá qual é o prazo máximo para que tenha a posse do seu veículo — apenas lembre-se de que é possível antecipar essa data por meio do sorteio ou de um lance.

Como faço para participar de um consórcio de carros?

Para começar, procure uma administradora de consórcios confiável. É simples: vá ao site do Banco Central e pesquise a lista das empresas com autorização para atuar no ramo. É importante fazer uma boa escolha, para garantir que o dinheiro guardado para a compra do carro seja adequadamente administrado, o que permitirá que cada membro receba seu bem conforme combinado.

Vale dizer que existe a possibilidade de entrar em um grupo de consorciados que ainda está começando ou em um já formado — inclusive, com sorteios em andamento.

Pagamentos mensais do consórcio

Têm início, a partir daí, os pagamentos mensais. O boleto chega à casa dos consorciados todos os meses ou por e-mail, podendo ser pago na rede bancária ou em caixas eletrônicos. Ele contém informações bastante úteis, como:

  • as datas dos sorteios;
  • as pedras-chave contempladas por sorteio e lance.

Muitas administradoras também oferecem a opção de débito automático das mensalidades em conta bancária — lembrando que as parcelas podem ser reajustadas, dependendo do avalor de fábrica do veículo ou o índice de indexação, por exemplo: IPCA, o que, como vimos, acontece para garantir a compra do bem, que é o motivo de existência dos grupos.

Por fim, vale ressaltar que todas as parcelas precisam ser pagas, mesmo após a contemplação, e que não existem juros incidindo sobre os valores, apenas uma taxa de administração para manter os custos da empresa responsável pela gestão do consórcio.

Quando vou ter meu carro em mãos?

Como já antecipamos, uma das principais características do funcionamento de um consórcio de carros é que, todo mês, um consorciado recebe a carta por meio de sorteio. Assim, você pode conseguir sua carta de crédito tanto no primeiro mês, caso dê muita sorte, como no último, se os demais forem contemplados antes de você.

No entanto, é perfeitamente natural que mais de um membro seja contemplado por mês, desde que por meio de um lance vencedor. No lance, leva a carta o participante que conseguir antecipar mais parcelas. 

Se você der um lance e ele não for o vencedor, pode simplesmente guardar seu dinheiro para tentar fazer uma oferta maior na próxima oportunidade.

Possibilidade do lance embutido

Uma das possíveis modalidades de lance é o embutido. Nesse caso, o consorciado se compromete a usar parte do valor da sua carta de crédito para fazer sua oferta. Não é tão complicado como parece.

Imagine que você participe de um consórcio de veículos novos no valor de 50 mil reais. Se quiser, pode usar 10 mil reais desse total para oferecer um lance embutido, somando o valor aos recursos que já tem. 

Assim, consegue ofertar um valor maior, aumentando suas chances de contemplação. Nesse exemplo, saindo vencedor, sua carta valerá 40 mil reais, e não o inicialmente contratado.

O que acontece se eu atrasar as parcelas?

Este é um ponto importante para se entender como funciona um consórcio de carros. Afinal, caso alguma dificuldade aconteça, é possível que você não consiga quitar as parcelas do consórcio no tempo certo. O problema é que, atrasando as mensalidades por muito tempo, a conquista do seu carro novo pode ser prejudicada.

Se ainda faltarem muitos pagamentos e você não tiver sido contemplado, pode ser retirado do grupo para não comprometer seu andamento e, consequentemente, os demais consorciados. Se já tiver sido contemplado e parar de pagar as parcelas por qualquer motivo, a administradora pode até pedir a apreensão do veículo. Imagine só o transtorno!

Para não ter que lidar com esse tipo de situação, a melhor estratégia é pensar em como resolver o problema. E há algumas boas opções. Confira as que separamos a seguir!

Vender a cota para outra pessoa

Primeiramente, é preciso ver se o contrato assinado abre essa possibilidade. Se sim, você pode vender sua participação no consórcio a outra pessoa interessada, recebendo tanto quanto for possível daquilo que já investiu, para não ficar no prejuízo.

Adequar o valor da carta de crédito

Nesse caso, estamos supondo que a administradora tenha outras modalidades de consórcio mais baratas, ok? Assim, se você adquiriu, por exemplo, um consórcio de seminovos no valor de 40 mil reais, pode reduzir o valor da sua carta de crédito para 25 mil e usar a diferença para:

  • quitar parte do saldo devedor, diminuindo o prazo de pagamento;
  • reduzir o valor das parcelas, para que caibam no seu novo orçamento.

Pedir sua exclusão do grupo

Essa é uma alternativa extrema que inclui o pagamento de uma multa. Nesse caso, você até poderá reaver tudo o que investiu (menos as taxas de administração e a multa), desde que espere a contemplação de todos os membros e o devido encerramento do grupo.

Lembre-se de que também é possível buscar alternativas financeiras para quitar as dívidas que estiverem em atraso e não deixar o desejo de ter um carro escapar. No entanto, por mais que a venda de outros bens ou a tomada de empréstimos pessoais possam ser cogitados, só tome uma decisão caso tenha certeza de que, financeiramente, vale mais a pena continuar com a participação no consórcio, combinado?

As parcelas do consórcio podem sofrer ajuste?

Sim, as parcelas do consórcio podem ser reajustadas conforme o preço de tabela do veículo escolhido. Isso vai garantir ao consorciado que ele não perca poder de compra ao longo dos anos. No entanto, uma vez que não há juros nessa modalidade de compra, os custos continuam muito menores.

De que maneira a carta de crédito funciona?

Como você já sabe, a carta de crédito de um consórcio não é paga em dinheiro. Na verdade, o contemplado escolhe o carro na concessionária e avisa a administradora, que cuida do processo de pagamento. Assim, você não recebe o valor na sua conta, mas é feito um intermédio para compra do bem. Então, pode escolher a marca e o modelo.

Vale ressaltar: a carta de crédito de um consórcio de automóveis não pode ser usada para comprar um bem de outra categoria, como imóveis ou viagens.

Poder de barganha

Aqui, é importante lembrar um detalhe: com a carta de crédito, mesmo que o pagamento não seja feito diretamente por você ao vendedor, ele vai receber o dinheiro à vista! Por isso, você pode negociar descontos com a concessionária de forma direta.

Assim que o negócio estiver praticamente fechado, é hora de repassar as informações à administradora, para que ela quite o valor correto.

Compra de seminovo

Dependendo do ano de fabricação, carros seminovos ou usados podem, sim, ser adquiridos por meio de consórcio. Inclusive, não existe uma diferença oficial entre um consórcio de carros novos e um de seminovos — o que muda é sua intenção e o valor da carta de crédito.

De toda forma, se o veículo escolhido for mais barato que o valor de face da sua carta, você pode usar o que sobrar para quitar as parcelas que faltarem do seu consórcio.

Uso do saldo

Você também pode fazer isso na compra de carros mais novos, usando o restante para quitar serviços relacionados à compra do automóvel. Isso quer dizer que o valor não precisa ir integralmente para a compra do veículo propriamente dita. Entre as transações cobertas pela carta, estão o pagamento do IPVA e do seguro automotivo.

Se, por outro lado, você quiser comprar um carro mais caro do que o valor que sua carta de crédito cobre, também não há problema. O valor restante da compra precisa ser pago com seus próprios recursos.

Liberação do crédito

Com a contemplação, a administradora do consórcio libera a carta de crédito em um prazo que pode variar entre 48 e 72 horas, passando pelos processos de análise de crédito. Mas atenção: esse documento tem uma validade! Ele deve ser usado até o fim do período do consórcio ou em até 6 meses depois da contemplação. Nesse meio-tempo, o valor é colocado em um fundo de investimento para render.

Por fim, lembre-se de que a liberação da carta de crédito ocorre depois da avaliação cadastral do consorciado. Aqui, você tem que ter atenção: se qualquer tipo de problema for encontrado (dívidas não quitadas ou informações equivocadas — uma mudança de endereço não relatada, por exemplo), isso pode trazer dificuldades e até impedir a liberação do documento.

Que cuidados tomar antes de entrar em um consórcio?

Como o carro é um bem de alto valor, sua compra pede certos cuidados para não se transformar em dor de cabeça. O primeiro passo é fazer um rígido controle financeiro familiar. Você precisa ter certeza de que está na hora de realizar esse investimento, sem correr o risco de deixar as contas no vermelho, certo?

Como não sofre incidência de juros, o consórcio é uma ótima maneira de controlar gastos futuros, mas a inadimplência no pagamento também gera prejuízos ao devedor.

Gastos envolvidos na compra de um carro

Também não se esqueça de pesquisar bastante antes de escolher o modelo do carro que vai adquirir. Afinal, além do próprio valor do veículo, são muitos os detalhes que entram em jogo na hora de escolher aquilo que cabe no seu bolso, como:

  • o preço de seguro para o modelo de automóvel escolhido;
  • o seu rendimento com gasolina ou álcool;
  • os custos de manutenção envolvidos;
  • o possível valor de revenda;
  • o valor do IPVA a ser pago.

Riscos da compra de cotas ou cartas contempladas

Além de tudo isso, fique de olho nas fraudes! Sabia que existem criminosos que anunciam a venda de cotas em consórcios ou mesmo de cartas de crédito com valores muito abaixo do que é praticado no mercado? 

Para não cair em nenhuma armadilha, esteja sempre alerta, desconfiando especialmente de ofertas vantajosas demais. Só feche uma transação se tiver garantias legais e um contrato bem-feito.

Fazendo uma pesquisa rápida na internet, você logo encontrará relatos de pessoas que compraram cartas falsificadas, não contempladas, de consórcios que nem sequer existiam ou, até mesmo, de administradoras sem autorização para atuar. Todo cuidado é pouco!

Por fim, reforçamos a importância de que você procure uma administradora de consórcios de confiança. Afinal, essa é a empresa responsável por cuidar do dinheiro investido e da liberação das cartas de crédito! Mas como é justamente esse o assunto do nosso próximo tópico, continue com a leitura!

Como saber se a administradora é de confiança?

Já demos uma palhinha sobre isso no começo do post, certo? Então, você sabe: o principal requisito é consultar o Banco Central, que é quem fiscaliza e autoriza a atividade no setor. Fora isso, também procure se informar com clientes (antigos ou atuais) da administradora sobre seu nível de confiabilidade e de qualidade no atendimento.

Para garantir que essa pesquisa seja profunda o suficiente, busque, também, por reclamações em órgãos de proteção do consumidor (como o Consumidor.gov.br) ou em portais e serviços especializados no assunto (como o Reclame Aqui). Dê uma olhada no site da empresa, nas redes sociais e em publicações a respeito dela para ver o quanto ela domina sua área de atendimento, se é próxima do público e aberta à conversa.

Além do mais, fique atento ao vencimento das parcelas e procure escolher um plano que caiba tranquilamente no seu orçamento. Tomando essas precauções, você vai logo perceber que o consórcio é realmente um ótimo meio para adquirir seu tão sonhado carro!

Por fim, tenha em mente que consórcios de automóveis não englobam nenhum tipo de seguro automotivo. Se o veículo for roubado ou sofrer algum acidente, ficando avariado, o pagamento do consórcio não deverá ser suspenso. Então, não facilite: não saia da loja sem um seguro de automóveis!

Se quiser mais dicas sobre como funciona um consórcio de carros, fique conectado a nossas redes sociais! Estamos no Facebook e Instagram.

CTA_Manual-como-comprar-um-carro-sem-ter-dinheiro-guardado_final

 

Quer receber mais conteúdos como esses por email?

Cadastre-se para receber nossos conteúdos por email e tenha informações em primeira mão:

Use seu imóvel para tirar seus planos da gaveta

Comentários