Você sabe o que é Selic? Veja como ela impacta o mercado financeiro e o seu bolso

Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Quando o assunto é o mercado financeiro, é fundamental entender qual é o contexto em que o seu dinheiro está sendo aplicado. Independentemente da modalidade, objetivo ou perfil, compreender como funciona a dinâmica da Selic é essencial para ter mais retornos.

Mas, afinal, você sabe o que é Selic? Qual é o impacto real no dinheiro que você tem investido ou no empréstimo que pretende realizar? Para ajudar você a solucionar suas dúvidas, preparamos este artigo completo com mais detalhes sobre o tema. Continue com a leitura e fique por dentro!

O que é Selic?

Todo país tem uma taxa básica de juros para ter um maior controle e evitar que a política monetária estabelecida não seja seguida. Ou seja, de acordo com o panorama econômico, esse indicador pode ser alterado pelos órgãos competentes.

No Brasil, temos o Sistema Especial de Liquidação e de Custódia, popularmente conhecido como Selic, e o Comitê de Política Monetária (Copom) é a entidade responsável por definir seus valores.

Essa taxa representa muito mais que o custo de um empréstimo ou aplicação. É o indicador utilizado pelas instituições no país para cobrar pelas transações financeiras, mas serve também como ferramenta para a estabilidade da economia, refletindo no consumo da população.

Por que essa taxa é importante?

A Selic é uma das taxas básicas da economia brasileira. Sendo assim, tem um impacto direto não apenas nas operações financeiras mais complexas do mercado, mas também no dia a dia da população — seja no retorno de um investimento feito, seja nas condições oferecidas por um banco para um financiamento.

Além disso, está diretamente ligada ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e mostra o efeito da inflação no bolso de cada um. Afinal, o índice mede como o preço dos itens consumidos diariamente têm aumentado ou diminuído dentro de um período específico.

Acompanhar esse indicador, portanto, é parte dos fundamentos para entender qual é a melhor forma de cuidar das suas finanças.

Como a Selic é calculada?

Que esse indicador é importante você já entendeu. Agora é a hora de descobrir como ele é calculado!

Todas as transações financeiras que acontecem entre bancos no Brasil envolvendo títulos públicos federais e que têm prazo de um dia útil são registradas no sistema do Banco Central. Assim que o mercado fecha, o órgão realiza o cálculo da taxa média ponderada de todas as operações que foram realizadas ao longo do dia.

De que forma a Selic impacta o mercado financeiro e o seu bolso?

Mas, na prática, qual é o impacto das constantes quedas e aumentos da taxa Selic? A verdade é que qualquer decisão do Copom pode influenciar diretamente seus investimentos. Veja o que realmente muda com as alterações da taxa básica de juros no Brasil.

Oferta de crédito das instituições

A taxa Selic muda a forma como as instituições financeiras avaliam as ofertas. Quanto menor a taxa, maior a oferta de crédito para quem precisa fazer um empréstimo, por exemplo. E as condições também se tornam mais atrativas.

Para quem quer fazer um investimento como comprar uma pequena frota, a queda na taxa de juros é interessante. Ao final da operação, quando todas as parcelas forem pagas, o valor desembolsado não vai ser tão grande, já que os juros pagos mensalmente serão menores.

Alteração da rentabilidade da renda fixa

Os títulos de renda fixa são muito comuns no Brasil, com opções variadas como CDB, RDB, LCA, LCI e muitos outros. Por um tempo, esses eram considerados investimentos muito interessantes, já que a Selic registrou altas históricas no início da década de 2010.

Com as quedas na taxa de juros, porém, esses números não se tornam tão atrativos para os investidores quanto antes. Afinal, são investimentos atrelados aos títulos públicos, impactados diretamente pela Selic.

Sendo assim, os rendimentos gerados pela renda fixa passaram a não ser tão bons. O retorno é tão inferior que investimentos tradicionais, como a poupança, começam a sair da lista de opções para quem deseja retornos mais consideráveis.

Mudança na atratividade da renda variável

Como consequência dessas quedas, os investimentos em renda variável se tornam muito mais interessantes. Não existe mais a combinação entre segurança e rendimentos elevados que a renda fixa oferecia por muito tempo. Para quem deseja retornos maiores, portanto, a melhor opção é investir parte dos seus recursos na renda variável.

Com retornos mais altos e maior estabilidade para investimentos em longo prazo, mitos como os riscos elevados para a renda variável tendem a desaparecer. A não ser em casos de um perfil muito conservador, é aconselhável apostar em outras opções, como ações da Bolsa de Valores, fundos imobiliários e de multimercado.

Condições do cheque especial

Você sabia que 40% dos brasileiros que utilizam o cheque especial fazem isso mensalmente? Os dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostram um cenário de alerta e reforçam a importância de entender o que é Selic e como ela funciona nesses casos.

Esse recurso pode parecer uma boa ideia em um mês, mas as condições da oferta mudam com altas ou quedas da taxa. Isso porque as instituições cobram juros para os clientes que utilizam o cheque especial. Na prática, funciona como um empréstimo, mas o ganho vem exatamente do que é cobrado de acordo com o valor da Selic.

As quedas e altas da Selic, portanto, interferem em toda a economia no país, tanto em relação aos investimentos quanto à concessão de crédito e isso impacta diretamente o seu bolso! Dessa forma, é crucial entender o que é Selic e ficar por dentro de tudo o que acontece com a taxa de juros, a fim de compreender quais são as melhores maneiras de cuidar do seu dinheiro.

E então, gostou do conteúdo? Agora que você já sabe o que é Selic e como ela é importante para os diferentes segmentos do mercado, o que acha de seguir por dentro de outros tópicos relevantes sobre finanças? Assine a nossa newsletter e receba conteúdos como este diretamente na caixa de entrada do seu e-mail!

Quer receber mais conteúdos como esses por email?

Cadastre-se para receber nossos conteúdos por email e tenha informações em primeira mão:

Use seu imóvel para tirar seus planos da gaveta

Comentários