306726-estender-3000-o-que-e-um-consorcio (1)

O que é um consórcio?

Setembro 2019

13 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Ouvimos falar cada vez mais sobre o consórcio — em jornais, revistas e até mesmo em novelas e programas diversos na televisão. Também ouvimos pessoas, amigos e familiares comentarem sobre suas experiências. Mas, afinal: você sabe o que é consórcio?

Comprar um imóvel, carro ou a moto tão desejada, fazer uma viagem, construir a casa própria e muitos outros sonhos podem ser conquistados ao se fazer um consórcio, mas muitas pessoas ainda não entendem muito bem o que isso significa e quais são as suas vantagens.

Para ajudar você a aprender tudo sobre o tema, elaboramos este guia completo. A ideia, aqui, é que você termine de ler este post sem nenhuma dúvida. Assim, poderá tomar a melhor decisão ao entrar em um consórcio para a realização dos seus desejos. Vamos lá?

O que é um consórcio?

De acordo com a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio, consórcio é a modalidade de compra baseada na união de pessoas, físicas ou jurídicas, em grupos, com a finalidade de formar poupança para a aquisição de bens móveis, imóveis ou serviços. A formação desses grupos é feita por uma administradora de consórcios, autorizada e fiscalizada pelo Banco Central do Brasil.

O que isso significa? Que as pessoas que têm o mesmo desejo que você se unem, com o apoio de uma empresa de confiança, para, em pagamentos mensais, juntar dinheiro suficiente para o valor do bem. É uma espécie de poupança conjunta, mas com a garantia de que os depósitos serão realizados e de que, no fim, haverá a possibilidade de comprar o que você tanto sonhava.

Os membros do grupo são chamados de consorciados e formalizam o compromisso de pagamento das mensalidades a partir da assinatura do contrato com a administradora. Reunindo muitos interessados em um objetivo comum, é possível conseguir condições favoráveis para atingi-lo.

Assim, todos os membros dão uma contribuição financeira mensal para um fundo destinado à aquisição do bem ou serviço desejado pelo grupo. Os pagamentos vão financiando a entrega daquele bem para os participantes, até que todos sejam contemplados.

Para organizar toda a operação e gerir as finanças e as entregas, existem empresas especializadas em consórcios. Essas companhias cobram uma taxa de administração do grupo e vão garantir que todos os seus integrantes paguem suas parcelas em dia e também sejam contemplados com os seus bens no momento adequado.

Assim, todos ganham! A operadora do consórcio recebe uma taxa de administração, e cada um dos membros do consórcio consegue adquirir o bem desejado com segurança do seu investimento, sem arcar com juros elevados ou taxas altas praticadas em outras modalidades.

Confira as principais características de um consórcio:

  • sem juros;

  • parcelamento integral;

  • variedade de prazos e parcelas;

  • poder de compra do bem à vista;

  • possibilidade de acelerar o crédito por meio de lances;

  • flexibilidade do uso do crédito.

Quer um exemplo prático para entender melhor? Um consórcio é ótimo para planejar a troca do seu carro em dois anos, mas ruim se você precisa de um carro novo urgentemente para trabalhar. Assim, além de conseguir uma previsibilidade muito bacana do processo de aquisição, é possível desfrutar do bem antes da sua conclusão, algo inimaginável para quem está tentando juntar o dinheiro por conta própria.

Como acontece a contemplação no consórcio?

Quando você adere a um grupo de consórcio, assina um contrato em que constam as informações sobre o tipo de bem que deseja adquirir ao final do processo, o valor das parcelas mensais que vai pagar e o valor que terá para fazer a compra, determinado pela carta de crédito. Esse documento é expedido pela administradora do consórcio e é equivalente ao valor do bem.

Para recebê-la, ou seja, ser contemplado com a carta de crédito, existem três possibilidades. Na primeira delas, você poderá ser sorteado em uma das assembleias mensais realizadas pela administradora. Se for esse o seu caso, você poderá antecipar a compra do bem e, depois, continuar pagando as parcelas do consórcio até o término do contrato.

Outra forma de obter a carta de crédito antecipadamente é, como consorciado, também na assembleia mensal, oferecer um lance. Nesse caso, você pode antecipar o pagamento de algumas parcelas nesse mês. Todos os participantes têm o direito de oferecer lances. Aquele que for maior do que o apresentado pelos demais consorciados será contemplado com a carta de crédito. Assim, as parcelas serão deduzidas do fim do contrato.

Se nenhuma das possibilidades anteriores ocorrer com você, a contemplação será feita quando forem quitadas todas as parcelas do consórcio.

Qual a diferença entre lance e sorteio?

Para quem não conhece inteiramente esse processo, vale a pena entrar em mais detalhes sobre os sorteios e ofertas de lances em um consórcio. A primeira opção é a mais fácil de compreender. As administradoras de consórcio, em suas assembleias mensais, verificam como está o status de pagamento das parcelas dos consorciados.

Todos aqueles que vêm quitando em dia os seus compromissos participam, então, do sorteio. Na maioria dos casos, o número usado para essa operação consta em seu contrato ou no boleto usado para os pagamentos das parcelas. O número de pessoas contempladas por mês depende da operadora e do tipo de contrato.

Quanto aos lances, existem algumas modalidades diferentes, dependendo, também, da administradora escolhida para fazer parte do grupo de consórcio. Veja quais são elas.

Embutido

Nesse caso, a administradora permite que o consorciado utilize de 10% a 20% do valor da própria carta de crédito para oferecer o lance na assembleia mensal. Essa modalidade beneficia, em especial, as pessoas que não conseguem juntar dinheiro para antecipação do pagamento de parcelas.

É preciso, apenas, considerar que esse valor será descontado da carta de crédito no momento da contemplação, ou seja, vale planejar bem antes de tomar essa decisão. Em um exemplo prático: se você entrou em um grupo de consórcio para compra de um terreno de R$100 mil e oferecer um lance de 10% do valor da carta de crédito, ao final terá R$ 90 mil para a compra do bem, se for contemplado.

Livre

No lance livre, é você quem planeja quantas parcelas poderá antecipar naquele mês para a obtenção da carta de crédito. Caso o valor oferecido esteja entre os mais altos no seu grupo de consorciados, você será contemplado e poderá adquirir o seu bem. Vale a pena estudar os lances oferecidos em meses anteriores para fazer uma comparação e saber se conseguirá atingir a sua meta.

Fixo

Nem todas as administradoras de consórcio oferecem essa modalidade. Nela, a própria empresa fixa, previamente, o valor que deve ser oferecido como lance. Os consorciados, então, decidem se querem bancar esse lance e são sorteados para a contemplação da carta de crédito.

Quais os tipos de consórcio existentes?

É o Banco Central, entidade que regulamenta os consórcios em todo o Brasil, que define quais são os tipos de consórcio aceitos. Os mais comuns são os que servem para compra de veículos automotores (de todas as modalidades, incluindo carros, motos, caminhões, embarcações, aviões e, até mesmo, máquinas e equipamentos) e de imóveis (casas, salas comerciais, apartamentos, terrenos etc., novos ou usados)

O consórcio também pode ser usado para reforma ou construção de imóveis e para serviços. Os grupos formados para a compra de veículos costumam durar entre um e oito anos, dependendo do valor. Já os de imóveis podem chegar a 15 anos.

Ao ser contemplado, você pode escolher como vai usar o valor da carta de crédito, adquirindo, por exemplo, um bem mais barato e usando o que sobra para a quitação do IPVA ou das parcelas restantes do consórcio.

Vale lembrar que você pode trocar a opção de modelo de veículo, por exemplo, mas não de tipo de consórcio. Isso significa que, se entrou em um consórcio para aquisição de um imóvel, não pode, na hora da contemplação da carta de crédito, comprar um veículo, por exemplo.

Existem, ainda, os grupos de consórcio formados para serviços, como estudos, grandes eventos, como casamentos e festas de formatura, cirurgias estéticas, viagens, entre outros.

Quais as vantagens de entrar em um grupo de consórcio?

Há muitos benefícios a serem listados para que você opte pela adesão a um consórcio, em especial se compararmos essa modalidade com os financiamentos bancários. Veja quais são as principais.

Sem taxa de juros

Quem deseja comprar um bem, mas não tem o valor total para o pagamento à vista deve considerar seriamente a opção do consórcio. Isso, porque, ao contrário dos financiamentos, não é cobrada taxa de juros aos consorciados, o que leva a operação a ser muito mais barata, além de garantir maior previsibilidade do seu orçamento. Nos consórcios, as parcelas são calculadas no momento da assinatura do contrato e preveem apenas o pagamento da taxa de administração.

Mais segurança no investimento

Ao assinar contrato com uma empresa registrada no Banco Central, você terá a garantia contra perdas financeiras. O dinheiro investido não sofrerá desvalorização, e você terá mais tranquilidade em relação a outros tipos de investimentos, que sofrem com as oscilações do mercado financeiro. Para isso, busque uma administradora de confiança e com credibilidade e experiência.

Criação de uma poupança obrigatória

O consórcio é a alternativa ideal para aquelas pessoas que têm dinheiro para fazer uma reserva mensal em uma poupança, mas não têm disciplina para manter esse compromisso. O consórcio é uma forma de juntar o valor desejado obrigatoriamente, garantindo a realização de sonhos com planejamento financeiro.

Além disso, se você não consegue reunir um valor para dar de entrada, como normalmente é exigido nos financiamentos, isso não será problema. No consórcio, essa entrada não é necessária. Melhor do que isso: se você tiver algum dinheiro guardado, poderá usá-lo para a antecipação de parcelas, oferecendo um lance na assembleia mensal.

Poder de compra garantido

As administradoras de consórcio fazem a correção dos valores das cartas de crédito anualmente. Dessa forma, ao ser contemplado, seu poder de compra é mantido, ou seja, o valor para a compra do bem desejado está garantido, com reposição da inflação no período e segurança em seu investimento.

Qual a diferença entre consórcio e financiamento?

Se você não tem o dinheiro para adquirir o que deseja à vista, pode fazer a comparação entre o consórcio e o financiamento bancário para conseguir atingir o objetivo. A maior parte das pessoas já sabe como funciona o financiamento. Trata-se de um tipo de empréstimo feito por uma instituição financeira, que tem a exigência de uma garantia.

Nesse caso, o próprio bem adquirido é usado como garantia, pois, caso as prestações não sejam quitadas, ele é devolvido à instituição. Por que muitas pessoas acabam escolhendo fazer um financiamento? Porque ele oferece a possibilidade de compra imediata. A questão é que, para isso acontecer, o bem não é registrado em seu nome, mas no do banco que ofereceu o crédito. A isso se dá o nome de alienação fiduciária.

Uma das grandes desvantagens do financiamento em relação ao consórcio é a cobrança das taxas de juros, que normalmente são muito altas e podem fazer com que, ao final do contrato, você tenha pago mais do que o dobro do previsto para adquirir o bem. As instituições financeiras justificam essa cobrança como uma defesa contra os casos de inadimplência, que representam um prejuízo para elas.

Os juros, além de deixarem o bem muito mais caro do que seria com pagamento à vista, também tornam a operação imprevisível, pois oscilam conforme a movimentação do mercado e da economia. Por fim, nos financiamentos bancários, o processo de aprovação é muito mais burocrático, com análise de crédito criteriosa antes da aprovação.

O que considerar ao decidir entre consórcio e financiamento

Essa é uma escolha que depende de quais são os seus objetivos e possibilidades de pagamento. Quem tem urgência na compra do bem — ou seja, não pode esperar pela contemplação da carta de crédito — acaba tendo que arcar com as desvantagens oferecidas pelo financiamento. O processo é mais caro e burocrático. Por outro lado, você terá o dinheiro imediatamente para fazer a compra do bem desejado, caso tenha guardado o valor necessário para dar de entrada.

Por outro lado, se você não tem tanta pressa e prefere planejar melhor a sua vida financeira, o melhor é escolher um consórcio. Quer um exemplo disso? Você já tem um carro e deseja programar a troca dele para daqui a dois anos. Pode, então, entrar em um grupo de consórcio, planejando o pagamento das parcelas até o momento da aquisição, quando poderá escolher o novo modelo do veículo.

Assim, não precisará se preocupar com as taxas de juros e, quando for contemplado com a carta de crédito, poderá vender o seu carro usado e complementar a renda, pagando à vista e com maior poder de negociação. Outra vantagem, nesse caso, é que a documentação exigida para entrar em um grupo de consórcio costuma ser mais simples do que a necessária para os financiamentos bancários, além de não precisar dar um dinheiro de entrada.

Para ajudar você a pesar os prós e contras entre o financiamento e o consórcio, listamos de forma mais simplificada as vantagens de cada uma dessas modalidades. Compare antes de decidir!

Financiamento

  • você pode comprar o bem que deseja imediatamente ao ter o crédito aprovado;

  • se você tiver feito uma reserva e o valor de entrada for mais alto, poderá negociar a taxa de juros com a instituição financeira;

  • caso consiga amortizar antecipadamente a dívida, poderá ter desconto dos juros nas últimas parcelas.

Consórcio

  • você não precisa guardar dinheiro antes de entrar no grupo de consórcio para a entrada, mas, caso já tenha uma reserva, pode usá-la para os lances oferecidos nas assembleias mensais;

  • consegue planejar melhor o pagamento, pois as parcelas são acrescidas da taxa de administração, conhecida já no início do contrato, no lugar das taxas de juros bancárias;

  • controla melhor os seus gastos e permite um planejamento, além de ajudar na educação financeira;

  • a burocracia para entrar no grupo de consórcio é menor, com exigência de menos garantias e documentos na hora de assinar o contrato;

  • se estiver com o nome listado em serviços de proteção de crédito, poderá entrar no grupo de consórcio e quitar a dívida antes da contemplação da carta de crédito;

  • como não pagará juros, evita o prejuízo financeiro ao acabar de pagar as parcelas.

Qual o papel da administradora do consórcio?

Antes de assinar o contrato de adesão, é importante que você conheça as funções de uma administradora de consórcio, para ajudar na escolha. O primeiro passo é descobrir se ela é autorizada pelo Banco Central a realizar esse tipo de operação. Para isso, você pode acessar o site da instituição e conferir a lista, que é constantemente atualizada.

Para obter essa autorização, as administradoras de consórcios devem seguir uma série de normas estabelecidas pelo Banco Central, que ajudam a garantir a segurança dos consorciados. Entre os papéis dessas empresas, está a captação de clientes e a formação dos grupos de consórcio.

A partir disso, elas são responsáveis por representar seus consorciados desde a adesão até o fim do processo, diante da Justiça e de forma ativa ou passiva. O que isso significa? Que ela responde pelos direitos coletivos dos seus clientes.

A administradora do consórcio também é responsável por realizar as assembleias mensalmente. Nelas, além de fazer os sorteios, receber os lances e informar sobre as contemplações, também deve dar transparência sobre a situação financeira do grupo.

Quais são as garantias do consórcio?

Ao se deparar com uma proposta para entrar em um grupo de consórcio, você pode se questionar: que garantia eu tenho de que serei contemplado com a carta de crédito ao final do processo? Para responder a essa pergunta, o primeiro passo, nós já mencionamos: é preciso ter certeza de que a instituição escolhida está registrada no Banco Central. Também é importante verificar sua credibilidade e sua experiência no mercado de consórcios.

Feita essa checagem, o consorciado que quita as suas parcelas regularmente tem outros direitos que precisam ser conhecidos para que faça a melhor escolha. Veja quais são eles:

  • possibilidade de escolher o fornecedor do bem ou do serviço que deseja adquirir;

  • se o contrato permitir, transferência da titularidade do consórcio para outra pessoa;

  • poder de decidir adquirir um bem diferente daquele que foi estabelecido no início do contrato, desde que não seja de outra modalidade (se for um veículo, não pode trocar para imóvel, por exemplo);

  • se não usar a carta de crédito depois de 180 dias passados da contemplação, receber o valor dela em espécie, desde que todas as parcelas estejam quitadas.

Como saber se posso participar de um consórcio?

Como mencionamos, é fácil entrar em um grupo de consórcio. De toda forma, há algumas condições que podem ser observadas antes de assinar um contrato. A primeira delas é que você deve ter idade mínima de 16 anos. Já os documentos são apenas aqueles que normalmente são usados para contratos de prestação de serviços, como os de identificação e comprovação de residência e renda.

Se você está dentro dos critérios, então é hora de escolher a administradora de consórcio. Para isso, faça uma boa pesquisa entre as opções oferecidas pelo mercado e não se esqueça de checar se elas são registradas na lista do Banco Central. Faça uma busca por informações que garantam sua reputação. Vale entrar na internet, verificar os sites de reclamações e como elas são respondidas, além, é claro, de recomendações de amigos e usuários.

Escolhida a administradora, veja quais são as possibilidades oferecidas para entrar em um grupo de consórcio disponível para o que você deseja adquirir. Veja se o valor das parcelas cabe em seu orçamento e em quantos meses você poderá quitá-las. Verifique, também, quais são as regras para contemplação da carta de crédito, pois elas podem variar de acordo com a administradora do consórcio.

A adesão a um grupo de consórcio pode ter, também, diferentes possibilidades. Uma delas é ingressar em um grupo que ainda está sendo formado pela administradora. Nessa fase, o grupo será iniciado quando tiver a quantidade de consorciados suficiente para que o valor proposto seja atendido no prazo determinado em contrato.

Mas há, também, a possibilidade de aderir a um grupo já formado, caso haja uma cota vaga por cancelamento, exclusão de um consorciado ou desistência. Nesse caso, você deverá assumir os direitos e deveres que constam no contrato, além das parcelas restantes.

Aproveite que está pesquisando e peça ao profissional que está no atendimento para esclarecer todas as dúvidas referentes ao contrato de adesão, detalhando suas cláusulas, os direitos e deveres do consorciado. O Banco Central faz algumas exigências em relação ao documento. Para que o contrato esteja dentro das regras estabelecidas, deve conter:

  • descrição completa do bem;

  • valor da carta de crédito e os critérios de correção;

  • valor da taxa de administração;

  • quantidade de parcelas e prazo para quitação;

  • número de consorciados no grupo;

  • periodicidade das assembleias;

  • regras para a realização mensal dos sorteios;

  • modalidades de lances e regras para contemplação;

  • direitos e deveres do consorciado e da administradora;

  • detalhamento das regras sobre a retirada da carta de crédito no momento da contemplação;

  • regras sobre a transferência de titularidade do consórcio, caso seja possível, de acordo com a administradora;

  • direitos do associado em caso de desistência e cancelamento do consórcio;

  • procedimentos em caso de inadimplência e regras sobre a possível exclusão de um membro do grupo;

  • informações sobre a possibilidade de ressarcimento dos valores pagos, caso haja o cancelamento da cota de participação.

Se você seguir todos os passos, como avaliar os critérios de participação, fazer a pesquisa de reputação das administradoras e tirar suas dúvidas sobre os planos oferecidos e as cláusulas do contrato, estará pronto para fazer a sua adesão. Entrar em um grupo de consórcio é um passo importante para as pessoas, permitindo a conquista de um sonho com planejamento financeiro e, até mesmo, economia.

Afinal, como você viu, você estará livre das altas taxas de juros que, normalmente, são cobradas nos financiamentos bancários. Além disso, terá a possibilidade de fazer uma poupança programada para realizar os seus desejos, sejam eles a compra de um imóvel, a construção de uma casa, a troca do seu veículo, uma viagem, entre muitas outras possibilidades.

Não deixe de pesquisar bem todas as oportunidades que esse mercado oferece e escolher uma administradora de consórcio que atenda a todas as suas necessidades com credibilidade e segurança. Ficou interessado no assunto? Assine a nossa newsletter e receba outros conteúdos que podem ajudar você a tomar as melhores decisões!

Clique aqui e assista o vídeo: Conhecendo o sistema de consórcio

 

Nova chamada à ação

Comentários