O que significa o sinistro em seguro auto?

Abril 2017

7 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Não tem jeito: em caso de acidentes automobilísticos, não há final feliz. Mesmo que não haja vítimas, o prejuízo material que uma situação dessa pode causar é sempre frustrante.

E o cenário ainda piora se o motorista não tem seguro ou até o tem, mas desconhece seu funcionamento, o que é sinistro, como funciona uma apólice e assim por diante. Nesse tipo de situação, as chances de se sair com danos financeiros são quase certas.

Imagine a seguinte cena: saindo da casa da irmã, após alguns minutos na direção, um aposentado percebe uma fumaça suspeita em sua Blazer movida a gás. Assustado, o motorista sai do veículo.

Não se passam muitos minutos até que as chamas se espalhem com violência pelo veículo. Trata-se de uma fatalidade sim, mas que pode acontecer com qualquer um, a qualquer momento.

De qualquer forma, era para ser uma história com final feliz, uma vez que a vítima não se feriu, certo? Só tem um problema: o veículo não tinha seguro! Agora, o aposentado sai com um prejuízo de dezenas de milhares de reais simplesmente por menosprezar a necessidade de ter uma proteção dessa natureza.

Curioso lembrar que, caso tivesse uma apólice, esse tipo de sinistro em seguro auto resultaria em uma indenização paga pela seguradora de forma rápida e sem maiores dores de cabeça. Definitivamente, algumas economias não valem a pena!

Muito provavelmente, o motorista dessa fatalidade hipotética amargou prejuízos por não conhecer bem o que é um seguro auto, como funciona uma apólice, quais são as terminologias e os benefícios que oferece. Você não vai cometer o mesmo erro, não é mesmo?

Saiba: com o conhecimento adequado, é possível não só escolher o serviço certo, como evitar que um estrago desses aconteça. Então fique de olho nos próximos tópicos para conhecer a fundo os termos de uma apólice, descobrindo o que significa sinistro em seguro auto! Já ouviu falar que o estudo e a pesquisa são as sementes dos sábios no cultivo das melhores decisões financeiras? Pois bem… Mãos à obra!

O que é sinistro em um seguro de automóveis?

Sinistro é toda ocorrência prevista na apólice do seguro contratado, de natureza involuntária, súbita e imprevista. É a amplitude da cobertura contratada que determina se o incidente será sanado pela seguradora — o que reforça a necessidade de atentar para o que está incluído no contrato.

Que coberturas são ofertadas em um seguro auto?

Assim como em qualquer outro tipo de seguro, o de veículos apresenta uma extensa rede de coberturas. Neste tópico, vamos apresentar as principais. Acompanhe!

Cobertura básica

Como o próprio nome já diz, essa é aquela cobertura essencial. Com ela, o motorista tem assegurado tudo o que é relacionado ao automóvel, como casos de roubo, colisão, incêndio, danos devido a alagamentos e raios, entre outros.

Cobertura compreensiva

A compreensiva é a cobertura mais comum, que abrange colisão, incêndio, roubo e furto, além de danos causados pela natureza. Algumas seguradoras colocam como riscos excluídos os incidentes decorrentes de vandalismos. Sabendo disso, fique atento em relação aos cuidados na hora de contratar um seguro auto.

Cobertura contra incêndio, roubo e furto

Temos aqui uma cobertura mais enxuta. É mais barata que a anterior, pois não cobre colisão. Nesse caso, a seguradora indeniza o motorista pela ocorrência de roubos, incêndios, furtos totais e até explosões.

Cobertura de danos a terceiros

Mais conhecida como Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos (RCF-V), a ideia aqui é cobrir danos causados a terceiros por sinistro em seguro auto, seja de natureza material, pessoal ou moral. Isso se estende até determinado limite, devidamente previsto na apólice. Essa opção costuma ser conjugada com a cobertura compreensiva.

Cobertura em acidentes pessoais de passageiros

O objetivo dessa cobertura é proteger passageiros conduzidos no veículo segurado ou seus beneficiários, em caso de óbito. Também é oferecida como adicional da cobertura compreensiva.

Cobertura adicionais

Além de ter direito às coberturas básicas, o segurado pode contratar proteções adicionais, incluindo-as no plano do seu seguro. A cobrança de cada cobertura se dá por um prêmio correspondente. Além disso, geralmente é determinado um limite de indenizações, assim como de uso.

Como proceder em caso de sinistro?

O incidente consumado no veículo está previsto na apólice? Menos mal! Estamos então falando de um sinistro. Nesse contexto, se os procedimentos previstos forem adequadamente adotados pelo condutor, a cobertura do prejuízo é garantida pela seguradora. Mas quais são esses procedimentos? Confira o que fazer, passo a passo!

Boletim de ocorrência

Via de regra, a orientação das seguradoras é que, na ocorrência de sinistro, o motorista registre um Boletim de Ocorrência (BO) o mais rapidamente possível, relacionando todos os detalhes do acontecido.

Testemunhas

Se possível, anotar nome e contato de pelo menos 3 testemunhas que estavam no local na hora da ocorrência. Tirar fotos e fazer vídeos também ajuda na montagem do conjunto probatório, acelerando a liberação da indenização.

Aviso de sinistro

O próximo passo é entrar em contato com a seguradora para informar sobre o ocorrido. O motorista será orientado a descrever o fato e receberá instruções sobre a documentação a apresentar para dar andamento ao registro, como cópias do RG, do CPF, da carteira de habilitação e do BO.

Caso tenha sido feita a contratação de uma assistência 24 horas, a seguradora informará as providências para envio de guincho e de um carro reserva, entre outras comodidades. E mais: é importante lembrar que, atualmente, é possível fazer o aviso de sinistro online.

As seguradoras têm prazo de até 30 dias para a resolução do sinistro, contados a partir da entrega da documentação correta por parte do segurado, conforme orientação da Superintendência de Seguros Privados (SUSEP).

Qual a diferença entre indenização integral e parcial?

Muita gente tem dúvida com relação a isso. Vamos desvendar esse mistério agora! Na verdade, não tem segredo: na ocorrência de um sinistro em seguro auto, a seguradora acionada realizará perícias para dimensionar o tamanho dos danos e o custo do conserto.

Se os prejuízos decorrentes de um mesmo sinistro ultrapassarem 75% do valor do carro ou até um percentual inferior, desde que previsto na apólice, a indenização será integral. Nessa situação, não é permitida a cobrança de franquia de seguro.

Por outro lado, se a conclusão for de que é possível consertar o automóvel, sendo que o valor dos reparos ficará abaixo dos tais 75%, a indenização será parcial, compreendendo o valor do restauro.

Se houver perda total, que valor é usado como base?

Supondo que um motorista tenha se envolvido em um acidente que resultou em perda total, com indenização integral, qual valor será usado como base? O valor da compra? O valor atual? Algum valor fixado em contrato? Não se preocupe, porque aqui também não tem segredo. Em caso de indenização integral, existem 2 modalidades distintas, definidas na apólice: VMR e VD.

Vamos começar com o Valor de Mercado Referenciado (VMR). Nesse formato, o pagamento será determinado pelo valor vigente na tabela de referência — tabela FIPE, por exemplo, que estará expressamente indicada na proposta do seguro.

O valor previsto será conjugado com o fator de ajuste, em percentual, aplicado sobre o valor de cotação do veículo. Esse fator de ajuste leva em conta as particularidades do carro, como estado de conservação, e poderá culminar em indenização superior ou inferior ao valor da tabela.

Passemos agora para o Valor Determinado (VD). Essa modalidade assegura o pagamento de uma quantia fixa em moeda corrente nacional, cujo montante é definido previamente, no ato da contratação do seguro.

Como funciona o sinistro em caso de terceiros?

Como vimos, entre as modalidades de cobertura está a cobertura para terceiros. São 2 as maneiras de usar esse tipo de benefício: a primeira, de forma opcional, incluída no seguro básico, e a segunda como uma contratação específica só para os terceiros, o que significa uma cobertura só para cobrir esse tipo de situação.

Em casos de acidentes de veículos, esse tipo de cobertura pode servir para arcar com danos materiais. Imagine se o carro do segurado bate em outro automóvel, objeto ou propriedade alheia. A seguradora deve cobrir os prejuízos. O mesmo vale para danos corporais: se o motorista atingir uma pessoa, a empresa de seguros cobre as despesas decorrentes.

E se a seguradora recusar o pedido de sinistro?

Saiba que não é nada incomum que a seguradora negue pedidos de sinistro, viu? No entanto, se a negativa parecer abusiva, o segurado tem respaldo do Código Civil e do Código de Defesa do Consumidor para ir atrás de seus direitos. Nesses casos, é possível tomar algumas medidas, como entrar com uma ação judicial.

Geralmente, ao receber uma negativa, o segurado tem o prazo de um ano para entrar com uma ação na justiça para revogá-la. Em situações específicas de roubo, furto e colisão, seja com perda total ou parcial, o prazo começa a ser contado no momento em que a seguradora confirma a negação do pedido. Normalmente, essa informação chega por carta.

É muito importante que, assim que o sinistro for negado, o segurado receba e guarde o documento que confirma a negativa. Só assim é possível entrar com uma ação contra a seguradora.

Por que é importante fazer um seguro para seu veículo?

Em um país que registra 1 roubo ou furto de veículo por minuto, não faz sentido achar que é vantagem não ter um seguro, não concorda? E o mais curioso é que, mesmo diante desse cenário, 70% dos carros que circulam hoje no Brasil não contam com qualquer tipo de seguro. Isso coloca em risco não somente o condutor, mas também todos os outros motoristas ao redor!

Dados como esses só reforçam a necessidade de ter seu carro (e suas finanças) devidamente protegidos. Trata-se de um pequeno custo necessário para evitar prejuízos maiores em momentos inoportunos, indenizações a terceiros em via judicial e até a perda irreversível do bem, em caso de roubo. Definitivamente, ter um seguro é economizar!

A propósito, agora que você compreendeu o que é sinistro e ainda conheceu outros processos de um seguro, comente aqui para compartilhar suas impressões e experiências! Participe!

 
 

Comentários