Onde investir meu dinheiro? Tire suas dúvidas

Julho 2016

6 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

A escolha de um bom investimento definitivamente não é questão de sorte. Na verdade, essa decisão envolve um planejamento sólido e uma avaliação cuidadosa das opções disponíveis no mercado. É claro que também é preciso ter uma boa dose de disciplina, já que parte dos ganhos deve ser poupada para investir.

Para não fazer parte do grupo de pessoas que vive apenas fugindo das dívidas, você deve reavaliar seus hábitos financeiros, direcionar o pensamento para o futuro e fazer o dinheiro render mais. Afinal de contas, dinheiro parado é dinheiro perdido!

Mesmo com dinheiro em conta, no entanto, é comum encontrar pessoas com a mesma dúvida: onde investir meu dinheiro? Para responder a essa pergunta, listamos no post de hoje as principais modalidades de investimento para que você avalie qual cabe no seu bolso e analise qual melhor atende a suas necessidades de rentabilidade e liquidez. Confira e faça as contas!

Caderneta de poupança

A mais tradicional maneira de se investir o dinheiro excedente é a caderneta de poupança. Entre as razões para seu sucesso, a principal é o fácil acesso, já que uma conta pode ser aberta em praticamente qualquer instituição financeira, com pouca ou nenhuma burocracia.

Também são vantagens dessa modalidade a garantia de retorno, a previsibilidade dos ganhos, a facilidade de movimentação e a não incidência de taxas e impostos sobre a aplicação. Além disso, sua liquidez é diária, o que significa que o resgate pode ser solicitado a qualquer momento e os recursos ficam disponíveis para o poupador imediatamente.

No entanto, os pontos negativos também precisam ser analisados para descobrir se a caderneta de poupança é uma boa opção para seu perfil. Sua rentabilidade, por exemplo, é considerada baixa quando comparada com a de outras modalidades de renda fixa, ficando em torno de 8% ao ano.

É fundamental, portanto, avaliar os números da inflação para definir se a poupança é mesmo uma boa opção para o momento. Se os rendimentos forem inferiores ao aumento médio de preços, o investidor pode acabar perdendo dinheiro ao insistir nessa aplicação.

Podemos concluir, então, que a caderneta é uma opção viável para quem pretende investir valores baixos ou para quem precisa resgatar esse tipo de investimento com alguma frequência, especialmente em tempos de maior estabilidade do cenário financeiro.

Aquisição de imóveis

Outra opção clássica e muito bem vista pelos brasileiros é o investimento em imóveis. Afinal, essa não só é uma maneira de conseguir retornos financeiros interessantes no presente como também é uma forma segura de aumentar o patrimônio de toda a família pensando no futuro.

As 2 principais maneiras de transformar o investimento em imóveis em rendimentos financeiros é por meio do aluguel e da eventual valorização do bem. Por isso, dizemos que esse investimento possui características tanto de aplicações de renda fixa como de renda variável, uma peculiaridade que o torna conveniente para diferentes perfis de investidor.

Caso a opção seja por alugar o imóvel, o negócio se assemelhará a um investimento de renda fixa, já que haverá regularidade nos recebimentos e previsibilidade de reajuste por meio do índice de correção (IGP-M). Quem pretende apostar na valorização do imóvel depende de diversas variáveis para saber qual será o retorno, o que dá ao investimento aspectos de renda variável.

No atual momento do país, com as construtoras enfrentando sérias dificuldades, os valores de imóveis tendem a diminuir. Esse é um excelente panorama para quem pode comprar agora, na chamada baixa do mercado, para vender mais tarde, na alta.

No entanto, não é só quem possui um grande montante disponível que pode pensar nessa alternativa, viu? Os consórcios imobiliários são opções interessantíssimas para quem pode investir menos a cada mês, ao mesmo tempo em que tem a segurança e a tranquilidade de que eventualmente será contemplado, recebendo sua carta de crédito.

Mercado de ações

O mercado de ações oferece uma série de grandes oportunidades de ganhos, mas também envolve riscos que podem levar à perda dos valores aplicados. Isso porque, nessa modalidade, o investidor abre mão das garantias da renda fixa em busca de retornos mais atrativos.

O ideal é que esse tipo de investimento seja feito sempre com o auxílio de profissionais da área financeira, que poderão oferecer a orientação necessária para que os riscos sejam reduzidos e os ganhos, potencializados.

Momentos de retomada do movimento econômico, como o que vivemos agora, costumam ser excelentes cenários para quem quer apostar no investimento em ações. Como muitos papéis ainda estão em baixa devido ao recente quadro de recessão, eles podem ser adquiridos por valores atrativos para que o investidor aguarde por sua valorização.

O perfil ideal para quem deseja se aventurar nas bolsas de valores envolve uma renda alta, tolerância a possíveis perdas e intenção de usar as ações como maneira de diversificar os investimentos. O recomendado, inclusive, é que esse tipo de investimento seja visto como algo para o longo prazo, com retorno estimado entre 8 e 10 anos.

Títulos do Tesouro

Nos últimos anos, o investimento em títulos do Tesouro Direto esteve em alta, tornando-se uma verdadeira febre no mercado financeiro. Entre os motivos de tanta popularidade está a segurança da aplicação, já que o retorno é garantido pelo governo federal.

Os títulos públicos também são muito acessíveis, podendo ser adquiridos com valores muito baixos, além de apresentarem altas taxas de rentabilidade — dependendo do cenário econômico do país, podem render até 100% em poucos anos.

Os títulos do Tesouro Direto são divididos em diferentes modalidades, mas em geral seguem uma regra bem simples: quanto mais tempo você demora para fazer o resgate, maior é sua rentabilidade. Essa é uma excelente oportunidade para quem quer dar os primeiros passos para a diversificação dos investimentos, já que que seu gerenciamento não necessita de grandes conhecimentos financeiros.

Letras de Crédito

Quem procura por um investimento de renda fixa com retornos mais interessantes pode se interessar pelo investimento em Letras de Crédito. As 2 modalidade principais são as Letras de Crédito Imobiliárias (LCI), lastreadas em financiamentos imobiliários, e as Letras de Crédito do Agronegócio (LCA), usadas para subsidiar o mercado agrícola.

O aporte inicial para essas aplicações costuma ser mais alto que em outras opções, partindo de 10 mil reais, de acordo com a instituição financeira. Ao investidor, as Letras de Crédito são rentáveis em um prazo médio de 18 meses, embora seu período varie entre 3 meses e 3 anos.

Outras vantagens das Letras de Crédito é que elas não sofrem tributação do Imposto de Renda e ainda possuem garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para investimentos de até 250 mil reais. Essa é uma garantia importante, que previne perdas caso a instituição financeira vá à falência.

Certificado de Depósito Bancário

Mais conhecida como CDB, essa aplicação funciona como um empréstimo que o investidor faz para a instituição financeira. Seguindo o contrato firmado entre as partes, a remuneração aumenta de acordo com o tempo que o dinheiro fica aplicado.

São oferecidas ao investidor as opções de aplicação com taxas de rendimento prefixados ou pós-fixados. Quanto ao investimento inicial, são exigidos valores a partir de mil reais, o que o torna acessível a muitas pessoas.

O investidor também pode escolher entre planos com liquidez diária, recomendados para quem tem objetivos de curto prazo, ou planos com liquidez no prazo de vencimento, ideais para quem quer manter o dinheiro aplicado por todo o prazo.

Assim como as Letras de Crédito, os CDBs também são protegidos pelo FGC em investimentos de até 250 mil reais. No entanto, essa modalidade recebe tributação de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e IR de maneira regressiva — quanto maior for o prazo do investimento, menor será a taxa cobrada. 

Letras de câmbio

Investir no câmbio pode parecer uma ação arriscada, mas é possível realizar essa operação de maneira segura pelas de Letras de Câmbio. Essa opção é semelhante ao CDB, com a exceção de que, em vez de emprestar seu dinheiro para o banco, você o disponibiliza para uma financeira. Em geral, a rentabilidade é fixada, podendo render mais de 130% em 3 anos.

Além disso, as LCs também são asseguradas pelo FGC para investimentos de até 250 mil reais. A recomendação dos especialistas, no entanto, é que esse tipo de investimento só seja feito com valores altos, acima de 50 mil reais.

Para andar sempre para frente, é essencial fazer seu dinheiro render. Por isso, procure a opção que melhor caiba no seu bolso e que garanta a rentabilidade e a liquidez adequadas à sua realidade. Nada de tomar decisões por impulso, combinado?

Não se esqueça de que, assim como tudo relacionado ao planejamento financeiro, investimentos exigem organização. Essa característica é fundamental para qualquer pessoa que busca conquistar algum objetivo, tanto no plano financeiro como em qualquer outro aspecto.

Se você também vive se perguntando onde investir meu dinheiro, não deixe de considerar as características dos principais tipos de aplicação para escolher a melhor opção. E se você quer receber mais informações sobre economia pessoal, investimentos, consórcios e mercado imobiliário diretamente na sua caixa de e-mails, assine já a nossa newsletter!

 

Nova chamada à ação

 

Comentários