permuta de imóveis

Você sabe como funciona a permuta de imóveis? Entenda!

Fevereiro 2019

2 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Muitas vezes, quem tem um imóvel e deseja trocar por outro enfrenta dificuldades. É necessário ter paciência até aparecer um interessado disposto a pagar o que o proprietário acha justo. Do mesmo modo, encontrar um imóvel para compra é também bastante complicado. Pode acontecer ainda de as partes não chegarem a um acordo quanto a forma de pagamento ou qualquer outro entrave burocrático. Para contornar esses problemas, existe a permuta de imóveis.

No entanto, essa forma de negócio ainda é cercada de dúvidas. Para entender como a permuta funciona, quais as vantagens e que cuidados tomar, confira o post que preparamos!

O que é a permuta de imóveis?

De forma geral, uma permuta acontece quando duas pessoas trocam bens do mesmo valor. No caso da permuta de imóveis isso refere-se a casas, apartamentos, imóveis comerciais ou terrenos. Os bens trocados não precisam ter necessariamente o mesmo preço, já que uma das partes pode complementar o valor em dinheiro. Esse pagamento é conhecido como "torna".

A troca pode ser feita, inclusive, entre imóveis de tipos diferentes. Vamos supor que exista um proprietário com um terreno. Do lado, alguém interessado em construir um prédio. Nessa situação, a permuta pode ser feita em troca de um apartamento pronto, por exemplo.

Quais as vantagens?

A principal vantagem da permuta é viabilizar o negócio sem que seja preciso utilizar dinheiro, com exceção, é claro, das situações em que há pagamento da torna. Isso faz com que ambos saiam com um imóvel e possam usufruir deles da maneira que lhes for conveniente. Dessa forma, nenhuma das partes precisa se envolver em complicadas operações de tomada de crédito, que em vários casos acabam emperrando a compra de um imóvel.

Outro grande benefício conseguido com a permuta é a isenção do pagamento de imposto de renda sobre a negociação, caso não haja pagamentos extras. Isso acontece porque, perante a Receita Federal, o valor do imóvel declarado no último ano continua sendo o mesmo em trocas de bens do mesmo preço. Caso exista a torna, o imposto de renda deve ser pago por quem recebeu.

Que cuidados devem ser tomados?

As preocupações tomadas com as permutas devem ser as mesmas que em outros negócios envolvendo imóveis. O primeiro cuidado abrange a correta avaliação do valor dos imóveis que serão trocados. Esse processo pode ser demorado, principalmente quando não há concordância sobre os preços. Um profissional, como um corretor de imóveis, deve ser acionado neste momento.

O contrato é similar àqueles de operações de compra e venda, portanto, ele precisa ser formulado como uma escritura pública. Nela devem constar todas as obrigações, como o pagamento de serviços de corretagem e elaboração de contratos, além da formalização da troca que está sendo feita, inclusive com a data.

A permuta de imóveis é um negócio que pode se mostrar como uma excelente alternativa, principalmente para quem não quer passar pela dificuldade de ter que encontrar um comprador ou enfrentar a burocracia de conseguir crédito. Contudo, sempre avalie todas as suas possibilidades antes de fechar negócio.

Agora que você esclareceu suas dúvidas sobre permuta de imóveis, confira mais um de nossos posts  Comprar um imóvel para reformar: quanto vale a pena? — e continue aprendendo!

 

Comentários