Entenda quais são os riscos do pneu careca para sua segurança

Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Você conhece os riscos de circular com pneu careca?

Na verdade, poucos itens interferem tanto na segurança de um veículo quanto os pneus. Por isso, é importante adotar alguns cuidados rotineiros para garantir seu bom desempenho e aumentar sua durabilidade.

Ainda assim, por estarem em contato direto com o solo, seu desgaste é inevitável. Então, os motoristas precisam estar sempre de olho em suas condições. Você se lembra como estavam os pneus do seu carro da última vez em que os conferiu?

Continue lendo o post para entender em detalhes os riscos de um pneu careca, as maneiras de identificar essa condição e algumas dicas para evitar problemas!

Quais os riscos do pneu careca?

Com o uso e o atrito contínuo com o solo, os sulcos da banda de rodagem dos pneus perdem a profundidade. Isso faz com que eles fiquem mais lisos, o que aumenta de forma significativa o risco de acidentes.

Entenda como o pneu careca pode interferir em sua segurança e causar acidentes, muitas vezes envolvendo terceiros que transitam na região.

Compromete o tempo de resposta ao frear

Uma das principais consequências de pneus carecas é a perda da aderência ao solo, propriedade fundamental para garantir a segurança na hora da frenagem. O desgaste reduz o atrito e faz com que o veículo percorra uma distância muito maior antes de conseguir parar totalmente.

No caso de uma situação em que é necessário frear de forma rápida, mesmo que a pessoa que esteja conduzindo o veículo tenha bons reflexos, os riscos de ocorrência de um acidente se tornam muito maiores. Sem as características que garantem a boa aderência dos pneus, a segurança ao volante fica seriamente comprometida.

O perigo aumenta ainda mais em dias de chuva, que trazem outro grande risco aos pneus carecas, como veremos a seguir.

Aumenta o risco de aquaplanagem

A aquaplanagem acontece quando uma fina camada de água se forma entre os pneus e o solo. Sem a profundidade dos sulcos (que são fabricados na borracha com o objetivo de drenar a água), o veículo perde contato com o asfalto e passa a deslizar de maneira descontrolada, principalmente em trechos planos, bem asfaltados e/ou com declives.

Esse fenômeno é especialmente perigoso, pois costuma acontecer em velocidades elevadas, no geral, acima dos 70 km/h, o que aumenta o risco de acidentes graves.

Embora os pneus carecas estejam muito mais propensos a sofrer uma aquaplanagem, dependendo das condições da pista, até mesmo aqueles em bom estado podem acabar deslizando por alguns metros. 

Por isso, nessa hora, a recomendação é jamais tentar frear ou virar o volante, mas desacelerar e manter o veículo em linha reta. Assim, você consegue retomar o controle facilmente quando a aquaplanagem terminar.

Gera falta de estabilidade

A falta de proteção dos pneus carecas também torna a direção do veículo muito mais instável e desconfortável. Ao desenvolver velocidade, podem ocorrer trepidações e barulhos vindos das rodas. Em casos extremos, o pneu pode até mesmo estourar, em decorrência de sua fragilidade.

Problemas semelhantes também podem ocorrer quando há necessidade de fazer um alinhamento ou balanceamento. Nesses casos, vale muito mais a pena recorrer a uma oficina especializada do que arcar com os problemas em cadeia, que podem afetar outras partes do veículo e encarecer a manutenção.

Consiste em uma infração de trânsito

Além de todas as adversidades que vimos, rodar com pneus carecas também pode resultar em problemas com a fiscalização de trânsito. Isso porque essa prática representa uma infração grave, com multa no valor de R$ 195,23 e 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Segundo o artigo 230 (art. XVIII) do Código de Trânsito Brasileiro, a infração pode ser aplicada para cada pneu que estiver em mau estado, incluindo o estepe. Além disso, o veículo pode ficar retido até a regularização do problema.

Eleva o risco de atolamento

Além da maior propensão a acidentes, circular com pneus carecas em terrenos acidentados, como áreas com barro ou areia, aumenta o risco de atolamento, ou seja, de o veículo ficar preso no local.

Interfere no alinhamento do veículo

Os pneus gastos também influenciam no alinhamento, exigindo mais força do condutor ao realizar uma curva, por exemplo. Isso contribui para reduzir a segurança e a estabilidade.

Como identificar um pneu careca?

Apesar de parecer óbvio que um pneu desgastado pode ser definido como careca, muitos motoristas têm dúvidas a respeito. Alguns acreditam, por exemplo, que os fiapos de borracha (sobras do molde usado na fabricação dos pneus) seriam os “cabelos”. Assim, quando ausentes, o pneu estaria careca.

Na verdade, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) define as características ideais dos pneus na Resolução 540/2015. É estabelecido que a banda de rodagem deve ter sulcos com profundidade de 1,6 mm ou superior — abaixo disso, o risco de sofrer deslizamentos ou acidentes decorrentes de aquaplanagem se torna maior.

Uma maneira simples de verificar se os pneus de seu veículo estão com sulcos menores do que os determinados pelo Contran é usar uma moeda de R$ 1 para comparação. Isso porque o seu aro dourado corresponde exatamente à medida estabelecida para profundidade. 

Essa medida é conhecida como TWI (Indicador de Desgaste da Banda ou, em inglês, Tread Wear Indicator). Ela é sinalizada com um triângulo, na lateral do pneu e, ao ser atingida, indica o fim de sua vida útil

Além do desgaste, é importante observar que os pneus têm data de validade, que é de 5 anos. A data de fabricação é registrada ao lado direito da sigla DOT, gravada nas laterais do pneu.

Mesmo que você rode pouco com o carro, e os pneus não estejam ainda desgastados após o prazo, quando vencidos, eles ficam mais sujeitos a furos e a fissuras. Dificuldade para frear, volante irregular e desalinhamento são indícios de que está na hora de substituí-los.

O que fazer para evitar o problema?

As revisões em dia evitam o risco de conduzir o veículo com os pneus desgastados. Por exemplo, quando o desgaste for apenas na parte central dos pneus, pode ser resultado da falta de alinhamento do carro; se o problema surgir nas laterais, a calibragem talvez esteja errada. 

Além disso, a falta de manutenção dos pneus leva a outras questões, que podem prejudicar a performance do carro e pesar no bolso do proprietário do veículo.

Para reduzir o risco, é indicado fazer o rodízio de pneus e a calibração adequada. Afinal, conduzir com pneu careca é perigoso tanto para os ocupantes do veículo quanto para as demais pessoas que circulam na via e ficam expostas a acidentes. Lembre-se de que a sua segurança e a de sua família estão em jogo!

Gostou das dicas? Então, compartilhe nosso post em suas redes sociais e contribua para o aumento da segurança no trânsito!

 

Quer receber mais conteúdos como esses por email?

Cadastre-se para receber nossos conteúdos por email e tenha informações em primeira mão:

Representante das marcas Hyundai, Toyota e Mercedes-Benz, a Rodobens tem a melhor opção para você sair de carro 0KM.

Comentários