284098-o-que-e-previdencia-complementar-saiba-mais-sobre-o-assunto

O que é previdência complementar? Saiba mais sobre o assunto

maio 2019

2 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Todos os brasileiros com trabalho formal pagam valores periódicos ao INSS (Instituto Nacional de Seguro Social). Isso garante aos contribuintes o custeio de um benefício para quando chegar a hora da aposentadoria.

No entanto, a renda assegurada pela previdência social nem sempre é suficiente para a manutenção de uma boa qualidade de vida. Por isso, cada vez mais pessoas resolvem contratar um plano de previdência complementar.

Neste texto, explicaremos como essa opção funciona e quais são as vantagens que ela pode oferecer a você. Acompanhe e tire todas as suas dúvidas!

Como funciona a previdência complementar e para quem ela é indicada?

Quem recolhe a contribuição obrigatória para o INSS a partir dos próprios rendimentos está fornecendo recursos para o pagamento de aposentadorias e pensões daqueles que já não trabalham mais. Esse princípio é a base do funcionamento tanto do Regime Geral de Previdência Social (RGPS), voltado para a iniciativa privada, quanto do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), específico para o setor público.

Além desses dois regimes, que se caracterizam pela obrigatoriedade, existem os planos de previdência privada, que fazem parte do chamado Regime Complementar. Nesses casos, a adesão é voluntária e o benefício é pago a partir dos valores acumulados ao longo da vida. É como se cada participante de um plano de previdência complementar formasse a sua própria reserva financeira e, então, pudesse usufruir dela durante a aposentadoria.

Quais tipos de previdência complementar existem?

Nem todos os planos de previdência complementar são iguais. Eles são divididos em duas categorias: fechados e abertos.

Os regimes fechados são aqueles formados a partir de fundos de pensão destinados a trabalhadores de determinada empresa, categoria ou órgão público. Dessa forma, só são acessíveis para empregados desses segmentos. É comum que a instituição responsável pelo plano de previdência complementar atue também como patrocinadora, contribuindo em conjunto para a formação da reserva financeira.

Já os planos de previdência complementar abertos são oferecidos por bancos e seguradoras e permitem o ingresso de qualquer pessoa física interessada em contribuir com sua futura aposentadoria. Dentro dessa categoria, existem dois planos:

  • PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre);
  • VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre).

A diferença entre essas modalidades está no modo como é feita a tributação do Imposto de Renda.

Quais são as suas vantagens?

Logo de cara, o investimento em previdência complementar costuma ser bem simples. Basta escolher o plano para que parte do seu salário seja destinada à formação da aposentadoria. Isso ajuda, inclusive, quem tem menos disciplina para lidar com o dinheiro.

Ainda, os planos de previdência complementar estão entre as formas de garantir o complemento de renda durante a aposentadoria, já que os benefícios do INSS são limitados por um teto — atualmente, no valor de R$ 5.839,00. Outra vantagem é a proteção contra as mudanças de regras da previdência social, que constantemente é alvo de reformas.

Por fim, alguns planos de previdência complementar permitem o saque total dos recursos e a transferência para herdeiros em caso de falecimento do titular. Portanto, informe-se sobre as regras do plano antes de contratá-lo e escolha a opção que melhor se enquadra às suas necessidades.

Este texto solucionou suas dúvidas sobre o assunto? Então compartilhe-o nas suas redes sociais para ajudar seus amigos também!

Comentários