quais-as-principais-cargas-especiais-e-os-cuidados-necessarios

Quais as principais cargas especiais e os cuidados necessários?

Junho 2019

4 minutos de leitura

Compartilhe
Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo WhatsApp

Quem trabalha com transporte de mercadorias tem uma grande responsabilidade nas mãos: fazer com que os produtos cheguem ao seu destino intactos e no prazo combinado. Porém, muitos objetos demandam cuidados extras para que não percam suas condições de uso devido a problemas durante o transporte. Por isso, saber como lidar com cargas especiais é essencial.

Pensando nisso, selecionamos algumas informações valiosas que vão ajudar você a não errar na hora de transportar esse tipo de produto. Não deixe de ler!

Quais são as principais cargas especiais?

Essas cargas são caracterizadas principalmente pela sua alta perecibilidade ou por serem frágeis, o que dificulta seu armazenamento e transporte. Veja quais são as principais categorias e os cuidados que demandam.

Produtos eletrônicos

Esses itens são considerados cargas secas, visto que são mercadorias não perecíveis. A mesma categorização vale para produtos industrializados, materiais de construção, metais, madeiras, ferragens e outros.

O ponto positivo é que o transporte desse tipo de produto pode ser realizado em qualquer condição climática, sem necessidade de refrigeração. Isso também permite que o serviço seja realizado por vários tipos de veículos, o que contempla desde carretas com baú a veículos destinados a cargas urbanas.

No entanto, equipamentos eletrônicos, como televisores, computadores e telefones celulares, por exemplo, demandam atenção em dois pontos: além de seres muito frágeis, são cargas de alto valor agregado, o que faz com que precisem de reforço na segurança. A contração de seguros é imprescindível para esse tipo de carga. Além disso, pode ser necessário revestimento estofado no interior do veículo.

Alimentos perecíveis e congelados

Cargas frigoríficas alimentícias são divididas em dois grupos: perecíveis e congeladas. As primeiras são frutas e legumes, por exemplo, que precisam ser armazenadas em locais com refrigeração, mas sem acúmulo de gelo.

Por sua vez, as cargas congeladas são geralmente carnes e, para transportá-las, é preciso utilizar um baú frigorífico que mantenha as temperaturas baixíssimas, entre 15 e 20 graus negativos. Outros exemplos incluem alguns produtos industrializados, como o pão de queijo.

Além disso, na hora de transportar alimentos, é preciso ter um cuidado extra com a higiene, para atender às normas da vigilância sanitária.

Produtos farmacêuticos

Para transportar medicamentos, também é necessário manter as condições de higiene e de temperatura adequadas. A grande peculiaridade do transporte dessa carga, no entanto, é a obrigatoriedade da supervisão de um farmacêutico, que atestará a qualidade dos produtos que estão sendo levados.

Além disso, é interessante optar por revestimento interno estofado para amortecer os possíveis deslocamentos. Como o vidro é muito utilizado para o envase de remédios líquidos, ao realizar esses fretes, é importante tomar os cuidados aqui mencionados.

Dependendo do tipo de medicação, também são necessários cuidados com as variações de iluminação, umidade e temperatura. Isso, porque algumas cargas são mais sensíveis e podem sofrer alterações de sua composição, devido à desregulação de um desses fatores.

Objetos frágeis, como vidro e cerâmica

No caso desses produtos, o grande problema está na fragilidade. É preciso pensar na embalagem e no veículo que será utilizado para o transporte. O ideal é que ele tenha suspensão a ar, para evitar que impactos na estrada danifiquem a carga.

Além de serem necessárias para identificar os produtos, as embalagens também devem conseguir protegê-los de imprevistos durante o trajeto. No entanto, a mercadoria até pode chegar embalada da empresa responsável pela fabricação do item, mas não da forma ideal para o percurso.

Sendo assim, antes de levar a carga até o veículo, o motorista deve verificar se a embalagem vai ser capaz de proteger os itens durante a viagem. Se esse não for o caso, as mercadorias devem ser colocadas em caixas resistentes. Para potencializar o cuidado, também é interessante embalar os produtos com plástico bolha, visto que esse material preenche os espaços vazios e, assim, diminui impactos.

Que cuidados tomar nesses transportes especiais?

Além da atenção específica que cada categoria de carga especial demanda, há outras observações mais genéricas que podem servir para todos os casos. Confira!

Faça manutenções no veículo

Os veículos usados para transportes especiais devem estar em ótimo estado de conservação e com a manutenção em dia, a fim de garantir que os produtos sejam entregues em perfeito estado no destino final.

Realizar as manutenções, tanto preventivas quanto corretivas, é fundamental, visto que danos na carroceria causam exposição dos itens à chuva ou ao sol, à variação de temperatura e até a maiores impactos durante o percurso.

Tenha cuidado individual com as peças

Cada produto deve ser embalado individualmente, com as proteções necessárias, como plástico bolha, almofadas de ar ou isopor. Além disso, não se deve empilhar as caixas além do limite especificado para cada tipo de carga.

Utilize caixas

O material de confecção das caixas vai depender da sua necessidade, mas o importante é que elas sejam resistentes e não deformem. Isso, aliado às demais proteções, vai ajudar a amortecer impactos.

Sinalize a fragilidade

Colocar as indicações usuais que mostram que o produto é frágil vai possibilitar que quem o maneja saiba com o que está lidando, principalmente quando houver muitas cargas diferentes.

Posicione os produtos mais frágeis por cima

Na hora de organizar o carregamento, coloque os produtos com maior risco de dano na parte superior e aquelas cargas mais pesadas e resistentes na base.

Afinal, transportar cargas frágeis por baixo de materiais mais pesados pode danificar e até inutilizar a mercadoria. Além disso, deve-se verificar a eficiência da fixação da embalagem, que deve permitir o mínimo de movimentação, mas, ao mesmo tempo, não pode ser muito justa a ponto de quebrar algum item.

Prenda muito bem a carga

Por fim, garanta que nada fique solto, prendendo tudo muito bem. Isso evita que caixas se movam e batam umas nas outras, principalmente na hora de curvas ou freadas mais bruscas.

Opte por um seguro de transporte de carga

No transporte de cargas, existem 4 tipos de seguros, sendo que alguns são facultativos e outros obrigatórios. A cobertura do seguro RCF-DC, ou Responsabilidade Civil Facultativa do Transportador Rodoviário por Desaparecimento de Carga, não é obrigatória, mas pode ser bastante útil para o condutor.

Isso, porque ela cobre os roubos de cargas transportadas, sendo válida para situações em que há roubo por ameaça de violência, desaparecimento de carga ou furto. Assim, se houver problemas durante a viagem, o motorista está assegurado, assim como a pessoa que contratou o serviço.

E então, achou o artigo útil? Acreditamos que seguindo essas dicas será mais fácil para você transportar cargas especiais, sem o perigo de que elas sejam danificadas no meio do caminho.

E se você gostou do texto e não quer perder mais nenhuma de nossas atualizações, assine a newsletter do blog!

 

Comentários